A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Liverpool, Bar, Noite, Lisboa
©Arlindo CamachoLiverpool

Discotecas em Lisboa. O roteiro para voltar perder-se na noite

As discotecas voltam a reabrir, depois de três semanas sem música nem dança. Saiba onde planear a próxima saída à noite.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Durante três semanas, por ordem do Governo e em mais uma tentativa de travar os avanços da pandemia, as discotecas voltaram a fechar. Desde o Natal que as pistas de dança se mantêm vazias e silenciosas, sem as habituais batidas que levam a noite até à manhã do dia seguinte.

Com o final desta ordem de encerramento. Muitos estabelecimentos preparam-se para reabrir já a partir da meia-noite de dia 15 de Janeiro. E nunca é demais recordar as regras: entrar e dançar só é possível mediante a apresentação de um teste negativo (antigénio com 48 horas de validade ou PCR com 72 horas, ambos com comprovativo), de certificado de recuperação ou do certificado de vacinação com a dose de reforço tomada há pelo menos 14 dias. Em alguns dos locais, existe ainda uma quarta possibilidade: um teste rápido feito à porta, sob vigilância e claro, com resultado negativo.

Para que não perca nenhuma reabertura e de forma a poder planear ao máximo este regresso à boémia nocturna, reunimos algumas das discotecas e danceterias que reabrem as suas portas este fim-de-semana. Tome nota.

Recomendado: Os 50 melhores bares em Lisboa

As melhores discotecas em Lisboa

  • Noite
  • Santa Maria Maior

No Terreiro do Paço, e a funcionar desde Dezembro de 2012, é um dos melhores clubes da cidade para dançar até ser dia. Por aqui passam nomes nacionais e internacionais do techno.

Para a reabertura desta sexta-feira (a partir das 23.30), a proposta é celebrar o Natal e a entrada em 2022 numa única noite. Pedro Sequeira Rodrigues e Manuel Cotta tomam conta da sala principal. Laundry Service e Luísa dão música à zona do BarQuatro. Vai ser até às sete da manhã.

  • Coisas para fazer
  • Centros culturais
  • Marvila

Mesmo antes da pandemia, a geografia da noite alfacinha já estava a mudar. E o Nada Temple, lá para os lados de Marvila, é um bom exemplo disso. Funciona como bar, espaço para eventos, galeria, discoteca e escola de dança. E alberga desde festas gay a afters de techno psicadélico.

No dia 14 de Janeiro, abre as portas às 23.59 com um set de quatro horas de Luís XL Garcia. Dilen Magan, Kee_ko e Jonski levam a noite até às 06.00.

Publicidade
  • Noite
  • Princípe Real

A cave onde se estreou António Variações é um dos sítios mais divertidos da noite alfacinha, com animação de uma “equipa escolhida a dedo” por Marco Mercier, o sócio-gerente, ainda na casa dos 30, que começou a trabalhar como bailarino na casa e que também é coreógrafo de espectáculos de Filipe La Féria. De Conchita a Ana Malhoa, passando por Aja ou Miss Cracker, estrelas de RuPaul’s Drag Race, foram muitas as convidadas especiais ao longo destes anos.

O Trumps reabre já esta sexta-feira (14) à noite e com a famosa festa Dirrty Pop, onde as principais atracções são as drag queens residentes: Rececca Bunny, Marge Mellow, Lexa Black, Lola Bunny e Sylvia Koonze. No sábado (15) há Rodeo, uma noitada inspirada no melhor do Wild West.

  • Noite
  • Princípe Real

O clube underground no Príncipe Real abriu portas em 2018, depois do fecho do Brownie. Na altura, Licínio Cordeiro sentia que havia uma lacuna no bairro: uma pista de dança. Ei-la, à sexta e ao sábado, com boa música.

Nesta sexta-feira, as portas reabrem com Guigas na mesa de mistura. Sábado há nova noitada ao som de Zé Salvador.

Publicidade
  • Noite
  • Clubes
  • Estrela/Lapa/Santos

O clube surgiu em Beirute, virado essencialmente para o público gay e “inspirado nos grandes clubes da Europa, da América do Sul e das Arábias”. Em Portugal, é a meca da noite gay para uma faixa etária mais jovem, com uma pista movida a êxitos pop inconfundíveis e a batidas do fuck brasileiro que fazem subir a temperatura no interior.

A festa reacende já esta sexta-feira com uma nova edição do Baile da Posh.

  • Noite
  • Chiado/Cais do Sodré

O Finalmente continua a ser um dos melhores sítios da cidade para sair a qualquer dia da semana — mesmo à segunda-feira. Este é um dos dias fortes da casa, com a noite Lugar Às Novas, a dar oportunidade a novos talentos do transformismo.

Mas é desta sexta-feira que todos querem saber e sim, o Finalmente reabre portas das 18.00 às 00.30 e da 01.00 às 06.00, com o espectáculo do elenco da casa.

Publicidade
Lounge
  • Noite
  • Cais do Sodré

O Lounge é um dos melhores sítios de Lisboa para sair à noite. E não há uma sílaba de exagero na frase anterior. A programação é uma das grandes apostas da casa, que consegue agradar a gregos e troianos. Numa noite normal — que até pode ser a um domingo —, é possível começar por ouvir um concerto de rock’n’roll cru e suado e acabar a dançar ao som de pérolas disco obscuras às quatro da manhã. E o melhor disto tudo é que a entrada é livre.

O Lounge tem um grande fim-de-semana à sua espera. Pedro Beça fica encarregue da música esta sexta-feira, sábado a noite será de trol2000 e domingo há mais uma sessão de Sinners Club.

  • Noite
  • Cais do Sodré

O Titanic Sur Mer é o sucessor espiritual do saudoso Maxime de Manuel João Vieira, mas com uma programação musicalmente mais ecléctica. Dependendo da noite, tanto se pode ouvir jazz como samba e forró, músicas africanas e indie rock. Mais os eventuais Ena Pá 2000 e outros projectos do patrão da casa. Entre copos e concertos é escolher o que mais lhe agrada.

Sexta-feira a festa faz-se com Omolete Collective (música, vídeo, instalação e performance). Sábado, a noite é reservada à nostalgia dos anos 1990 e 2000, um banho de pop que promete molhar toda a gente.

Publicidade
  • Noite
  • Bares abertos de madrugada
  • Alvalade

Mais que uma discoteca, a Primorosa de Alvalade parece ser uma experiência arquitectónica e temporal. Aqui é como se descêssemos numa cápsula do tempo até 1966, quando abriu. Depois foi a discoteca africana Sarabanda, até voltar ao seu nome e conceito originais. Um must-go das Avenidas Novas.

E é já a partir desta sexta-feira (14) que os fãs da Primorosa voltam a ter permissão para bailar ao som do DJ residente.

  • Noite
  • Chiado/Cais do Sodré

Com um primeiro andar e uma cave onde funciona a pista de dança, a música é regra geral indie. Até Win Butler, líder dos Arcade Fire, por lá passou uma noite como DJ – para histerismo de quem o reconheceu. A discoteca tem mais de 30 anos, foi o primeiro espaço alternativo da cidade e ficou linda numa das nossas capas.

Ao contrário da reabertura de Outubro, desta vez, o Incógnito não se vai fazer esperar. As portas abrem sexta-feira e sábado com Señor Pelota na primeira noite e Filipe Parada na segunda.

Publicidade
  • Noite
  • Chiado

O alcatifado Le Baron abriu no final de 2018 no Centro Comercial do Chiado e ainda é um segredo da noite alfacinha para muita gente – além da divulgação no Instagram, os donos não gostam de publicitar o espaço. Além de cocktails especiais, o bar do ilustrador André Saraiva tem DJs alternativos de quarta a sábado e funciona até às quatro da manhã.

O Le Baron reabre portas esta sexta-feira (14). A música estará a cargo de André Granada, metade do duo Funkamente, e Arthur Lastmann, um dos mentores da editora Into the Deep.

  • Bares
  • Estrela/Lapa/Santos

Para os apaixonados pela capital portuguesa e pela vida nocturna alfacinha, o Lust in Rio oferece um espaço para abanar o capacete, incluindo em quartas-feiras de festas Erasmus.

A reabertura não se vai fazer esperar. Ricardo Coimbra, Gonçalo Roque e Frank P levam a noite desta sexta-feira até às 06.00.

Publicidade
  • Noite
  • Cais do Sodré

Numa noite normal no Liverpool pode escutar "Poetas de Karaoke", de Sam The Kid, como uma qualquer canção dos ABBA. E se para alguns isso cria enxaqueca, para outros é o melhor de dois mundos, é uma espera excitante sobre o que se segue, neste caso, depois dos ABBA. E sim, é mais um dos bares com nomes de cidades internacionais que habita o Cais do Sodré.

É sabido que o Liverpool tem uma extensa legião de fãs, fora os turistas que não lhe resistem. Nem uns nem outros terão de esperar mais: o bar reabre já esta sexta-feira, dia 14.

  • Noite
  • Bares abertos de madrugada
  • Santos

Antes era o Main, agora é o Mome. Inaugurado no final de Dezembro, une três conceitos que exigem três estados de espírito diferentes: um restaurante, um bar que cheira a lounge e, descendo as escadas, uma discoteca, com dois bares laterais e uma pista de dança considerável.

O espaço reabre no sábado (15) com a festa Rolézinho, dedicada aos ritmos brasileiros.

Publicidade
  • Noite
  • Santos

A playlist dos anos 80 está sempre garantida em qualquer ida ao Plateau. O mesmo se pode dizer da decoração sui generis, há anos um dos traços mais distintivos desta discoteca lisboeta.

Esta sexta-feira, as portas voltam a abrir para receber curiosos e habitués.

  • Bares
  • Bares
  • Cais do Sodré

O Rive Rouge vive uma nova vida, por estes dias. Deixou de ser o irmão mais novo do Lux e ganhou vida própria, animado sobretudo pelas festas organizadas pelo produtor e DJ Kamala.

São precisamente essas noitadas que estão de volta já a partir desta sexta-feira: Déjà-vu na primeira noite, com Gonçalo Ferro, Duarte Grilo e Vasco Amaral, e Sweet no sábado, com Nokin, Vasco Alves e o próprio Deejay Kamala.

Publicidade
  • Noite
  • Cascais

Um ícone da Linha que se soube manter vivo ao longo dos anos. Actualmente, o Jézebel é palco de festas e noites temáticas e a noite da reabertura, após três semanas de porta fechada, não é excepção.

Para esta sexta-feira está marcada uma festa Vila Funk. É, por isso, fácil adivinhar que tipo de sonoridades se vão ouvir (e dançar) por lá.

Aproveitar a noite em Lisboa

  • Noite

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista (em constante actualização) dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses. A noite lisboeta está bem viva e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, dos cocktails e seus derivados à cerveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer. 

  • Bares

Não é segredo para os portugueses – e não só – que o nosso vinho é um dos melhores do mundo e prova disso foi o galardão entregue pelo Wine Enthusiast ou a recomendação da Condé Nast Traveler. A estas junta-se um outro punhado de menções que, ao longo dos anos, têm deixado os produtores nacionais orgulhosos. Não será de estranhar, por isso, que os wine bars, garrafeiras e lojas da especialidade estejam cada vez mais na moda. Reunimos os melhores bares de vinho da cidade, às vezes acompanhados de petiscos igualmente saborosos.

Publicidade
  • Bares
  • Cervejaria artesanal

A cerveja artesanal demorou a impor-se em Lisboa, mas hoje já não vivemos sem ela. Não é por acaso que cada vez mais sítios, desde restaurantes típicos portugueses a tabernas asiáticas, têm pelo menos uma marca e duas ou três variedades de cerveja artesanal por onde escolher. E depois há os sítios especializados, onde as pessoas vão de propósito para beber um bom néctar de cevada. Desde restaurantes a brewpubs, bares ou lojas, estes são os melhores sítios para beber cerveja artesanal.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade