Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores bares de vinho em Lisboa

Os melhores bares de vinho em Lisboa

Apetece-lhe um copo de vinho e um petisco a acompanhar? Faça uma pausa nestes bares de vinho em Lisboa

By the Wine - Sala
©Ana Luzia By The Wine
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Não é segredo para os portugueses – e não só – que o nosso vinho é um dos melhores do mundo e prova disso foi o galardão entregue pelo Wine Enthusiast ou a recomendação da Condé Nast Traveler. A estas junta-se um outro punhado de menções que, ao longo dos anos, têm deixado os produtores nacionais orgulhosos. Não será de estranhar, por isso, que os bares de vinho (ou wine bars, como lhes chamam os ingleses), garrafeiras e lojas da especialidade estejam cada vez mais na moda. Nesta lista, para se aconchegar ao fim do dia, reunimos os melhores bares de vinho da cidade, às vezes acompanhados de petiscos igualmente saborosos.

Recomendado: Os melhores cursos de vinhos em Lisboa

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Os melhores bares de vinho em Lisboa

1
Bacchanal
©Manuel Manso
Bares

Bacchanal

Cais do Sodré

Na Roma Antiga, o bacanal era uma celebração festiva em honra de Baco, deus do vinho, que por norma acabava em orgias e promiscuidade. Mas neste Bacchanal a ideia não é essa – a não ser que se queira enrolar com vários vinhos. E a avaliar pelos expositores do bar é bem possível que acabe a envolver-se com vinhos de inúmeras castas e de todas as regiões vinícolas portuguesas. Afinal, bacanal que é bacanal tem oferta diversa. O vinho a copo começa nos 4€ e vai até aos 11€, mas se quiser a garrafa os preços sobem até aos 100€. 

2
bar da odete
©Arlindo Camacho
Bares, Bares de tapas

Bar da Odete

Santa Maria Maior

O termo wine bar é evitado porque tudo nesta casa é português até ao tutano, da garrafeira aos materiais da decoração, passando por todos os produtos usados nas sandes e tábuas de queijos e enchidos. Trata-se, portanto, de um bar de vinhos, queijos e presuntos com o dedo da crítica de vinhos Odete Cascais. Entre os 4€ e os 8€, a oferta é difícil de bater, mas daí até um Quinta do Vale Meão (35€) é tudo para servir a copo e em perfeitas condições a qualquer hora. Agora, até pode preparar-se antes de sair de casa: basta ir ao blogue da Odete, onde encontrará histórias, curiosidades e dicas sobre vinhos.

Publicidade
3
bares
©Manuel Manso
Bares

Black Sheep

Chiado/Cais do Sodré

Lisboa ganhou uma nova ovelha negra. Chama-se Black Sheep e gaba-se de ser o “o wine bar mais pequeno da cidade”, mas tem espaço suficiente para caberem mais de uma centena de referências de vinhos de produtores nacionais independentes – ovelhas negras do negócio, por assim dizer. Todas as semanas há cerca de 14 vinhos diferentes a copo (os preços variam entre os 3,50€ e os 6,50€) e as garrafas também estão disponíveis para levar para casa. Para acompanhar, há petiscos como azeitonas, hummus de feijão branco, tábuas com queijos e enchidos, ou queijo de cabra com marmelada. Lá dentro, há espaço para apenas uma dúzia de pessoas, mas isso não deverá ser um problema. É que o Black Sheep fica em plena Praça das Flores e os clientes podem levar o copo de vinho para o banco de jardim.

4
by the wine
©Manuel Manso
Restaurantes

By The Wine

Chiado/Cais do Sodré

Neste bar também mora um restaurante, mas é o balcão que nos conquista. É um dos melhores sítios no Chiado para beber um copo de vinho ao fim do dia e, sem dúvida, um dos que mais pinta tem. São 16 bancos altos virados para uma prateleira com uns 40 vinhos, tudo José Maria da Fonseca, servidos por uma dúzia de empregados, tudo gente nova com alguma formação nas caves de Azeitão. Entre os 2,60€ e os 4€, o bouquet de escolhas é admirável.

Publicidade
5
Carinho do Vinho
©Duarte Drago
Restaurantes, Europeu

Carinho do Vinho

Chiado/Cais do Sodré

Nesta garrafeira e bar de vinho a copo, perto da Praça das Flores, encontra apenas referências portuguesas de pequenos produtores. Desde vinhos tintos ligeiramente mais ácidos, encorpados e pesados do Alentejo, até vinho verde frutado e brilhante do Douro, as propostas cobrem praticamente todos os tipos de palatos. E há ainda uma pequena selecção de licores e bebidas espirituosas, se estiver para aí virado. Se não percebe nada de vinho, não se preocupe: os preços são para todas as carteiras e não lhe faltará ajuda para escolher o copo certo para a ocasião. Até dá para encomendar para casa: o prazo de entrega é de três a cinco dias.

6
Adega do Chafariz do Vinho
©Ana Luzia
Bares

Chafariz do Vinho

Princípe Real

O Chafariz do Vinho é, ainda e sempre, um lugar de culto para o vinho a copo em Lisboa, com centenas de opções, e se por acaso nos esquecemos de o referir mais vezes é apenas porque andamos a dormir. Aqui organiza-se uma extensa colecção de vinhos (o termo enoteca não aparece por acaso), parte da qual entra pela Mãe D'Água acima, onde encontra excelentes condições de preservação.

Publicidade
7
Chiado Wine Bar
©DR
Restaurantes, Português

Chiado Wine Bar

Chiado

No Chiado Wine Bar a aposta está nos melhores vinhos nacionais. Do Douro ao Dão, passando por Lisboa, descendo ao Alentejo e terminando, claro, por terras algarvias. Mas não é esta a única razão de ser da casa no número 5 do Largo Trindade Coelho. A cerveja artesanal também lá mora, assim como os cocktails. Se a fome apertar, tem petiscos como as tábuas ou o chouricinho assado. Não falha.

8
Donna Taça
©Duarte Drago
Restaurantes

Donna Taça

Avenida da Liberdade/Príncipe Real

O Donna Taça é o bar perfeito para se tornar um enólogo. Todos os vinhos que estão no bar foram provados pela equipa da casa, que sabe a sua história e está disponível para contá-la. Há vinhos portugueses, franceses, argentinos, chilenos, sul-africanos, australianos e até austríacos. “Sempre com a preocupação de serem pequenas produções e de terem alguma história daquele país ou daquela vinícola.” Como não são seleccionados pelo preço, mas sim pela sua qualidade, há para todas as bolsas, a começar nos 6€, por exemplo, e a multiplicar por vários dígitos, a mais de 500€.

Publicidade
9
faz figura, santa apolónia
DR
Restaurantes, Português

Faz Figura

São Vicente 

O Faz Figura chama-se agora Portugal Food & Wine by Faz Figura. Na sala de provas, em que se transformou a assoalhada da entrada, há uma mesa corrida e uns quantos bancos. E na parede, em frente à janela rasgada, dispensadores para 48 garrafas portuguesas que funcionam num esquema de self-service: nas máquinas, introduz-se um cartão carregado com dinheiro e selecciona-se o vinho e a quantidade que se quer, entre 125 ml, 70 ml ou 20 ml (esta última é a quantidade para prova gratuita). Pedro Dias, um dos donos e o cérebro por trás do conceito, da arquitectura, da carta (com a ajuda do cozinheiro John Leon) e da selecção de vinhos, provavelmente andará por ali a dar uma ou duas dicas e a sugerir experiências desafiantes. Os restantes vinhos da carta – que não estão nos dispensadores e serão à volta de 20 referências – também se vendem a copo através do sistema Coravin, que retira vinho de uma garrafa sem a abrir, através de uma agulha fina.

10
Jobim
©Manuel Manso
Bares

Jobim

Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Não é novidade para ninguém que os vinhos são do melhor que Portugal tem para oferecer. O Jobim, no número 116 da Rua da Imprensa Nacional, é só mais uma prova disso. A carta, composta maioritariamente por referências portuguesas, é complementada por petiscos que celebram a gastronomia internacional e a reinventam com os melhores produtos nacionais. Há vinho a copo ou à garrafa mas também pode enveredar pelos cocktails. Se passar à porta do Jobim, vai ouvir logo os sons de jazz e bossa nova que convidam turistas e vizinhança a entrar.

Publicidade
11
Lisbon Winery
©DR
Restaurantes, Português

Lisbon Winery

Bairro Alto

É um centro de provas e bar de vinhos onde se encontra uma cisterna do século XVI, património arqueológico da cidade. Tem mais de 200 vinhos portugueses de pequena produção e os mais baratos custam 4€ (a copo). Também pode pedir garrafas, o ideal se for com um grupo de amigos. Para acompanhar, há queijos e enchidos, à boa maneira portuguesa. Se quiser, pode optar ainda por uma prova premium (65€), que inclui comentários de especialistas, cinco vinhos portugueses de topo a copo, seis variedades diferentes de queijos artesanais, seis variedades diferentes de enchidos de porco alentejano, presunto Pata Negra de cura prolongada, pão e água.

12
Prova-enoteca
©Manuel Manso
Restaurantes, Português

Prova-Enoteca

Belém

É uma mercearia, garrafeira e espaço para petiscos, mas dá para ir só pelo vinho a copo. Na garrafeira há mais de 80 referências de vinhos portugueses, entre brancos, tintos, verdes ou rosés, escolhidos com a ajuda do sommelierPode pedir qualquer um a copo (há um taxa de serviço de 6€) e acompanhar, por exemplo, com uma tiborna (a partir de 2,50€), como a de cavala com molho pesto (3,30€), ou as mais clássicas tábuas de queijos e enchidos (desde 7,20€). Há ainda provas de vinho e workshops.

Publicidade
13
nova wine bar
Restaurantes, Europeu

Nova

Chiado

No mesmo espaço, uma loja e um lugar para petiscos e vinho a copo. Antigamente, chamava-se a isto uma venda, hoje, é um wine bar. Mas lá está, as boas ideias tendem a envelhecer tão bem quanto o bom vinho e a experiência que se consegue nesta casa, não sendo nova, é estranhamente rara em Lisboa: beber bom vinho a copo, com uma oferta simpática de coisas para picar, bom aconselhamento e, no fim, a opção de comprar a garrafa. Parece simples, mas foram precisos dois publicitários para elaborar a ideia.

14
The CorkScrew Wine Bar
©DR
Restaurantes, Português

The CorkScrew Wine Bar

Santa Maria Maior

Desde 2014 que este cantinho em Alfama é um oásis para quem aprecia bom vinho, fazendo chegar ao copo todas as regiões nacionais. Dos Açores ao Douro, do Dão ao Tejo, sem esquecer Setúbal, Alentejo e, claro, o Algarve. Se pelo meio a fome apertar, está no sítio certo. A carta de petiscos conta com tábua de queijos (12,50€) ou mista de queijos e enchidos (15€, oito variedades), chouriço de porco preto (7,50€) ou um bacalhau assado à Alfama (12€).

Publicidade
15
Wine Not?
©DR
Restaurantes, Português

Wine Not?

Chiado

O bar e restaurante da Rua Ivens tem a Casa Ermelinda Freitas, a produtora de vinhos da zona de Palmela, como bandeira e uma selecção invejável de vinhos. Tinto, branco, espumante, todos cabem na lista de opções, onde também não faltam petiscos e pratos, desde pimentos padrón ou cogumelos salteados com cenoura e feijão verde até amêijoas à Bulhão Pato. Mais impressionante é o candeeiro de garrafas no tecto: são 500 e demoraram mais de cinco horas a ser enroscadas uma a uma.

16
Wines By Heart
Fotografia: Inês Félix
Bares, Enotecas

Wines by Heart

Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A Wines by Heart, perto da Avenida da Liberdade, é uma garrafeira sem fronteiras, onde se faz comida amiga do vinho. Aqui, há garrafas de todos os tipos e lugares. Não é um restaurante, mas sim um lugar onde bom vinho pode ser degustado na companhia de um prato, cuidadosamente harmonizado. Rodrigo Osório é quem dirige a cozinha. Enquanto esperava que a Wines by Heart estivesse pronta, o chef brasileiro passou pelo Belcanto de José Avillez e pelo Prado de António Galapito, onde aprendeu o melhor que se faz na cozinha nacional.

És tu Baco?

Os melhores enoturismos para uma escapadinha de Lisboa
©Kym Ellis/ Unsplash
Coisas para fazer

Os melhores enoturismos para uma escapadinha de Lisboa

Portugal é um país de forte tradição vitivinícola e, a avaliar pelos inúmeros prémios e distinções em concursos internacionais, a excelente qualidade dos seus vinhos não passa despercebida. Para os apreciar e conhecer, nada como visitar as regiões de produção e envolver-se na sua cultura através de visitas guiadas às instalações ou provas de vinhos e outros produtos locais. Explore os melhores enoturismos para uma escapadinha de Lisboa e torne-se um seguidor fiel do Baco.

Garrafeira Pura
©DR
Restaurantes

O que são e onde beber vinhos naturais em Lisboa

Os vinhos naturais e biológicos não são moda passageira, são diferentes, e o método de produção é, aliás, bem antigo. Começamos por lhe explicar as diferenças entre vinificação natural, biológica e biodinâmica e dizemos-lhe onde pode ir tirar as teimas e provar este tipo de vinhos em Lisboa. Bons brindes.

Publicidade
vinho
©Terry Vlisidis/ Unsplash
Coisas para fazer

De copo na mão: provas de vinho em Lisboa e arredores

Com o tesouro sem rival de mais de 250 castas de uvas nativas e diferentes zonas climáticas, Portugal tem tudo o que é necessário para produzir vinhos de elevada qualidade. Para os conhecer a todos, do tinto ao branco, sem esquecer o rosé, o verde e os espumantes, o melhor a fazer é alinhar em provas na companhia de especialistas e produtores. Espreite esta lista de provas de vinhos em Lisboa e arredores que inclui muitos locais de enoturismo de sonho.

Publicidade