A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Artbeerfest
DRArtbeerfest

O e-artbeerfest volta a transformar cada casa num festival de cerveja

A pandemia continua a impedir que o clássico Artbeerfest se realize em Caminha. Mas, pelo segundo ano consecutivo, a organização envia cervejas para casa de quem quiser.

Por
Luis Filipe Rodrigues
Publicidade

O e-artbeerfest nasceu da necessidade. Impedidos de fazerem o Artbeerfest em Caminha, por causa da pandemia, os organizadores do mais icónico festival português de cerveja artesanal montaram um festival virtual no ano passado. Os interessados pagavam um valor fixo e recebiam em casa uma caixa com garrafas de vários produtores nacionais, escolhidas a dedo. Agora, a iniciativa repete-se.

Nesta segunda edição do e-artbeerfest, até 14 de Julho, a organização vai enviar para casa dos festivaleiros cervejas nacionais e internacionais, produzidas pelos 48 cervejeiros convidados para o próximo Artbeerfest, que se deve realizar no segundo ou no terceiro fim-de-semana de Julho de 2022 em Caminha – a data ainda não está fechada. "É possível que até ao próximo ano se junte mais um ou outro", reconhece Octávio Costa, o organizador. Mas estes 48 já estão confirmados.

Quem quiser conhecer as cervejeiras estrangeiras que vão participar na próxima edição deve dirigir-se a artbeerfest.pt e encomendar o pack internacional. Custa 120€ (com portes de envio incluídos) e, além de 24 cervejas de todo o mundo, inclui uma MØM Pirolito Pils, "a única cerveja de Caminha", bem como uma t-shirt, um copo ou outro brinde das várias marcas envolvidas.

As cervejas incluídas neste pack vêm de várias latitudes. A lista inclui Juguetes Perdidos (Argentina), Frau Gruber (Alemanha), Mahrs Bräu (Alemanha), La Pirata (Catalunha), Gwei-Lo (China), The Garden (Croácia), Gamma (Dinamarca), Mikkeller (Dinamarca), Barney's (Escócia), Holy Goat (Escócia), Oso Brew Co (Espanha), Anker (Estónia), Thin Man Brewery (EUA), Coolhead (Finlândia), Brasserie Outland (França), Seven Island (Grécia), Mad Scientist (Hungria), Two Tribes (Inglaterra), Vetra (Itália), Totenhopfen (Luxemburgo), Funky Fluid (Polónia), Stu Mostów (Polónia) e Dogma (Sérvia).

O pack nacional tem um preço mais modesto: 64€. Com curadoria do Cantinho Café de Castelo Rodrigo, reúne 26 cervejas de marcas como Açor, Barona, Bolina, Burguesa, Colossus, D'os Diabos, Dois Corvos, Epicura, Fidélis, Letra, Lupum, Luzia, Madam Lindinha Lucas, Maldita, Mania, Mean Sardine, MØM, Oitava Colina, Ophiussa, Piratas Cervejeiros, Post Scriptum, Rima, Rudes, ShortWave, Sovina, Vadia e Velhaca.

Independentemente da caixa escolhida, as latas e garrafas incluídas são um misto de novidades e edições limitadas, por um lado, e alguns rótulos menos exclusivos, mas com provas dadas, por outro. O pack internacional dá uma boa ideia da cerveja que se anda a fazer por esse mundo fora, enquanto o nacional apresenta cervejeiras de norte a sul do país, mais e menos conhecidas.

As encomendas podem ser feitas até dia 14 de Julho e são enviadas poucos dias depois de confirmado o pagamento. A ideia é ir degustando as cervejas ao longo de vários dias (ou não; cada um sabe de si e do seu fígado), no entanto a organização agendou um encontro online para 17 de Julho, para quem quiser partilhar a degustação online destes packs.

Nas próximas semanas, os organizadores do festival e a Câmara Municipal da Caminha prometem ainda anunciar uma "novidade daquelas de criar borboletas no estômago". Não dão mais pistas, mas quem sabe se não vai ser possível matar as saudades de Caminha ainda este ano, noutro formato?

+ Os melhores sítios para beber cerveja artesanal em Lisboa

+ Leia edição desta semana da Time Out Portugal: Ilhas

Últimas notícias

    Publicidade