Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O El Taco Chingón estacionou num jardim do Estoril com tacos e margaritas
Notícias / Comida

O El Taco Chingón estacionou num jardim do Estoril com tacos e margaritas

El Taco Chingón Estoril
Fotografia: Manuel Manso

Depois de ter ganho casa própria na Alameda, a taqueria ao domicílio de Pedro Leitão ganhou um novo irmão temporário no Estoril. O restaurante pop-up, que é como quem diz a carrinha de street food do El Taco Chingón, está estacionado num jardim e vai funcionar até Outubro com tacos, cocktails e música para embalar. 

Os sombreros continuam a fazer parte do cenário, agora em modo festa mexicana não em casa, mas no Jardim Chingón – como anuncia o cartaz à entrada do portão. O novo poiso no Estoril fica numa casa privada de um amigo de Pedro, e vai estar aberto pelo menos até Outubro, porque depois disso “logo se vê”, diz-nos. 

A carrinha, marcada com os motivos e ilustrações coloridas que dão imagem ao restaurante, está estacionada debaixo de um dos ramos da árvore central do jardim. De lá saem cinco tipos de tacos: o de atum, um ex-líbris servido em tortilha crocante e maionese de malagueta chipotle; o vegetariano; e três de carne como é o caso do suadero, com carne de vaca assada com chile morron, do tinga de pollo, com frango desfiado em marinada de chipotle, e o al pastor com carne de porco marinada em Achiote, um molho tradicional mexicano. Pode pedir apenas um taco (3,5€), dois (5,5€) ou três (7,5€), isto para não falar no guacamole e nos triângulos de tortilhas fritas ou no pico de gallo, que servem de arranque a qualquer refeição.

“Sou aqui desta zona, e apesar de termos já um espaço próprio, sentia falta de ter algo do El Taco para estes lados”, explica Pedro. “Surgiu a oportunidade de ocuparmos este jardim, e fazer a festa mexicana durante o Verão.”

A festa, essa, faz-se também com muitos cocktails à mistura. Prova disso é a mesa que se estende para um dos lados da carrinha e que compõe o cenário com um número valente de garrafas que servem de combustível aos cocktails, das margaritas ao mezcal.  

©Manuel Manso

O espaço, que serve apenas jantares durante a semana e almoços e jantares ao fim-de-semana, tem uma zona de esplanada à sombra da árvore e outra zona lounge que já apanha uns raios de sol em dias bons, caso se queira estender ao comprido de copo e taco na mão. Para adoçar o repasto, há uma pequena arca com gelados artesanais da Colé, com sabores que vão do açaí com banana ao limão e manjericão, sempre sem lactose nem glúten. 

Aos sábados, Pedro quer ter música ao vivo para ou um DJ para poder trazer a animação ao Jardim Chingón, que já funciona desde esta quarta-feira, dia 17. 

Enquanto no Estoril a novela mexicana acontece de segunda a domingo, mantém-se em Lisboa o restaurante com uma carta mais extensa e o serviço de chef em casa. 

Rua Fausto Figueiredo, 3 (Estoril). Seg-Sex 18.00-23.00 e Sáb-Dom 12.00-15.00/18.00-23.00.

Os melhores restaurantes mexicanos em Lisboa

Publicidade
Publicidade