A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

O ministério da noite faz 5 anos

Por Miguel Branco
Publicidade

São cinco anos de Ministerium, que se celebram no sábado com Dyed Soundroom, tal como João Maria, Kaesar, Mary B e Elless & Benn. Que comece o segundo mandato. 

À noite, o Terreiro do Paço é diferente. Há menos selfie-sticks, menos pombos, que talvez migrem por não gostarem de electrónica. Existe um ténue som de fundo, um isto-vem-de-onde? Faz agora cinco anos que a origem está identificada. É o Ministerium Club, espaço formado por um grupo de amigos que se juntou a João Maria Girão, que há muito tempo trabalhava na área enquanto DJ e programador. Aí nasceu a Ourbookings (responsável pela produção do Lisb-On e do Lisboa Electronica), promotora que gere a discoteca, e que viria a dar origem à editora Assemble Music e, mais recentemente, à Ministerium Records. 

Tudo isto foi feito com o objectivo de acrescentar valor à indústria da música electrónica permitindo ajudar a desenvolver todo o espectro económico a ela associado, através da identificação de novos talentos nacionais e internacionais, com bookings de elevada exigência e, o mais importante, conseguindo criar a melhor atmosfera possível”, explica José Diogo Vinagre, responsável pela comunicação. 

Real é o impacto do Ministerium na noite lisboeta, assumindo-se como mais uma opção de reconhecida qualidade, mais um sítio onde podemos depositar os fantasmas que nos ocuparam a semana. É assim há cinco anos: “O balanço é bastante positivo. Tivemos muitas mazelas de crescimento que nos fizeram crescer bastante. Acreditamos que a aposta em artistas de elevada notoriedade e a procura de novos talentos contribuem bastante para o impacto que temos na noite lisboeta. No cenário underground entendemos que estamos a tomar o caminho certo. Neste momento não faríamos nada diferente. Sabemos que o que queremos fazer no Ministerium Club demora tempo, mas é um investimento a longo prazo que estamos confiantes em fazer.”

E os resultados estão aí, por esta casa já passaram alguns dos maiores nomes da electrónica internacional como Move D, Maya Jane Coles, Tale of Us, Jeff Mills, Nina Kraviz, Moodymann, Loco Dice, Maceo Plex, em noites que ficam na memória. Talvez não tanto como o mítico momento em que, em plena noite de 25 de Abril, Ricardo Villalobos acaba o set com “Grândola Vila Morena”. Para esta noite onde se apagam as velas e se come o bolo, o grande convidado é Dyed Soundroom, tal como João Maria, Kaesar, Mary B e Elless & Benn. 

Em tudo o que é feito no Ministerium parece ecoar o seu bom ambiente e, isso, para quem o lidera, é o que mais importa: “Temos um ambiente único. A boa energia que se sente no espaço é indescritível,  semana após semana. Sentimos que cada vez mais é um público conhecedor que sai para ouvir artistas de que gosta ou que, não conhecendo, tem curiosidade para vir experimentar porque confia na qualidade da programação. O ambiente familiar mantém-se e por muito que possamos vir a crescer, uma das prioridades vai ser manter essa característica”, conclui José Diogo.

+ Discotecas em Lisboa. Quando cai a madrugada na cidade

Últimas notícias

    Publicidade