Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O novo bar de Arroios é um Covil e está cheio de hidromel
Notícias / Bebida

O novo bar de Arroios é um Covil e está cheio de hidromel

Covil
Manuel Manso

O hidromel é a bebida principal do novo bar de Arroios, inspirado na cultura celtibera e lusitana. A bebida é uma boa alternativa para quem já está farto de sidra.

Água, mel e levedura. Diz-se que o hidromel, bebida popular nos livros de J.R.R. Tolkien, J.K Rowling e George R. R. Martin, pode ter surgido antes mesmo da cerveja ou do vinho. Para alguns povos antigos era uma bebida sagrada. Agora também é a bebida mais sagrada d’O Covil, o novo bar de Arroios.

Aliás, este é provavelmente o único sítio em Lisboa onde vai encontrar hidromel à pressão – e fique a saber que é uma boa alternativa para quem já está enjoado de sidra.

Com um mês e meio, o bar de Margarida Malheiros e Rui Bajouca ainda é um segredo de alguns. “Somos um bom início de noite”, diz Margarida, que antes de se dedicar ao bar fazia traduções. Rui trabalhava em editoras de música e começaram a cozinhar o projecto há um ano.

Manuel Manso

“Gostamos os dois muito da cultura celtibera e lusitana e achámos que seria muito interessante fazer um bar a puxar por isso”, conta Margarida.

Ambos gostavam da bebida ancestral, especialmente deste hidromel que agora servem em garrafa ou à pressão, da marca Apiagro, empresa de apicultores de Torres Vedras, e que já é uma espécie de bebida oficial do bar. “A casa tornou-se conhecida por ter hidromel à pressão”, diz Margarida. Um copo de hidromel Viking (com 6% de álcool) custa 2,90€, enquanto uma pint custa 4,20€. Também é vendido em garrafas grandes (a 12€ o LuCitanea Viking e a 16 €o LuCitanea Celta, ambos da Apiagro).

Manuel Manso

“Está para a cerveja como a sidra”, compara Margarida. “É mais suave, bebe-se melhor e é menos pesada.” Apesar disso, o bar também é conhecido pelas cervejas artesanais, como a Onyx (1,9€), a Lagunitas (2,5€) e a Áurea, da Trindade (2,2€).

Outra das preocupações é respeitar a cultura celtibera e a dos antigos povos nórdicos e germânicos. Por exemplo, com uma pequena biblioteca (ainda em crescimento) sobre o tema. Ou com comida e festas temáticas. No Carnaval houve uma festa Viking e a 23 de Março preparam-se para celebrar a “ostara”.

 

 

Manuel Manso

E nem só de hidromel se faz este Covil. Há shots da casa, licor de poejo, tostas em pão de bolota (a vegetariana, de pasta de grão, é uma das mais populares), brownies de bolota, tábuas de queijos, de muxama e salmão e também bolas de carne.

Calçada de Arroios, 45 (Arroios). Ter-Qui e Dom 16.00-00.00, Sex-Sáb 16.00-02.00

 + Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments