A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Pátio das Antigas, Lisboa Antiga, A Materna
©DRA Materna

O Pátio das Antigas: A loja dos bebés

Coisas e loisas da Lisboa de outras eras

Por Eurico de Barros
Publicidade

A Materna instalou-se na Baixa em 1963, para vender artigos para bebés e futuras mamãs, e teve lojas em todo o país. A última, na Avenida de Roma, fechou em 2012.

Na sua origem, foi a Secção de Higiene Infantil do Instituto Pasteur de Lisboa, criado em finais do século XIX por um empresário lisboeta, que importava produtos daquela instituição francesa fundada por Louis Pasteur, nomeadamente vacinas e soros, e que evoluiu depois para a produção de medicamentos. Em 1963, transformou-se na loja Materna, instalada na Rua do Carmo, especializada em artigos para bebés, bem como para as futuras mamãs. Os lisboetas passaram logo a chamar-lhe “a loja dos bebés”.

A Materna foi a primeira loja portuguesa a importar e vender os célebres Babygrow ingleses. Em 1966, abandonou a designação Materna – Antiga Secção de Higiene Infantil do Instituto Pasteur de Lisboa, para se tornar Materna – Artigos de Higiene Infantil. O seu enorme sucesso levou à abertura de várias sucursais, caso da Materna da Avenida de Roma, também em Lisboa. Algés, Cascais, Coimbra e Porto foram outras das cidades que passaram a ter lojas Materna, entre meados da década de 60 e início dos anos 70. A empresa começou também a investir noutros segmentos etários com as Materna Maxi, duas lojas que vendiam roupa para crianças e adolescentes até aos 16 anos.

A Materna original, da Rua do Carmo, ardeu no grande incêndio do Chiado, a 25 de Agosto de 1988, e as outras lojas foram desaparecendo pouco a pouco. A última a fechar foi a da Avenida de Roma, em 2012.

Lisboa de outras eras:

+ O Pátio das Antigas: O café elegante do Chiado

+ O Pátio das Antigas: Uma avenida a estrear

+ O Pátio das Antigas: Self-service de modernidade

Últimas notícias

    Publicidade