A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Pátio das Antigas, Lisboa Antiga, Cinema Lumiar
©DRCinema Lumiar

O Pátio das Antigas: O cinema com parque

Coisas e loisas da Lisboa de outras eras

Por Eurico de Barros
Publicidade

Aberto em 1968, o Cinema Lumiar tinha estacionamento privativo e foi a última sala construída em Lisboa exclusivamente para exibição cinematográfica.

Estacionar o carro não era problema quando se ia ao Cinema Lumiar, inaugurado em Outubro de 1968 na Calçada de Carriche. Incluído numa urbanização baptizada Quinta da Nazaré, o moderno Lumiar era o único cinema de Lisboa com parque de estacionamento privativo, num projecto do arquitecto José Croft de Moura. Como era também tradicional na altura em qualquer sala de cinema que se prezasse, o Lumiar tinha um confortável bar. O espectador podia lá ir sem medo de andar às voltas no carro à procura de lugar para estacionar, e perder a hora de início da sessão, e tomar um café e uma água, ou uma bebida mais forte, antes do início do filme.

Mas, ou porque o público não correspondesse na quantidade desejada, ou porque a escolha de filmes deixasse a desejar, ou ainda porque na zona não havia muita gente com hábitos cinematográficos regulares, a verdade é que, pouco mais de um ano depois de abrir como cinema de estreia, o Lumiar passou a sala de reposição com sessões duplas, o que era um mau sinal para o espectador minimamente exigente. Fechou em Junho de 1982, e nessa altura já não se podia deixar o carro no parque exclusivo, devido aos assaltos. O Lumiar fica para a história do cinema em Lisboa por ter sido a última sala construída na capital exclusivamente para a exibição de filmes.

Lisboa de outras eras:

+ O Pátio das Antigas: O café elegante do Chiado

+ O Pátio das Antigas: Uma avenida a estrear

+ O Pátio das Antigas: Self-service de modernidade

Últimas notícias

    Publicidade