Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O Rossio na Betesga #19: um aperto de mão ao virar da esquina
Notícias / Vida urbana

O Rossio na Betesga #19: um aperto de mão ao virar da esquina

O Rossio na Betesga #19: um aperto de mão ao virar da esquina

No quarteirão da pastelaria Suíça, na esquina da Rua do Amparo com a Praça da Figueira, está um aperto de mão que já terá deixado muitos alfacinhas intrigados. O que será aquilo?

É apontado como um dos símbolos maçónicos da Baixa Pombalina. O que parece ao comum dos mortais um vulgar passou-bem será um aperto de mão maçónico “de aprendiz”. A prova disso é a posição dos dedos, por mais banal que ela possa parecer. E por que está ali? Bom, para isso não é avançada nenhuma explicação.

Passemos então à história. Nesta esquina estava instalada uma requintada loja da Martins & Rebello, Manteigaria União, que comercializava a Manteiga União em latas com o logotipo que está na fachada: o aperto de mão.

DR

A empresa foi fundada em 1901 e é uma história de sucesso. Os laticínios Primor e o queijo Castelões são alguma das conhecidas marcas que lançou. Nas décadas de 50 e 60 chegou aos 700 empregados e 400 viaturas para distribuição. Na sede da empresa, no largo Camões, está hoje instalada uma loja dedicada a pastéis de nata que adoptou o nome inscrito na fachada – Manteigaria União – e manteve o logótipo: o famoso aperto de mão.

Sobre a pertença dos dois sócios a alguma loja maçónica não se encontram registos, mas António Cardoso Rebello e Alfredo Martins hão-de ter dado um valente bacalhau ao fecharem este belo negócio. E que melhor logotipo poderiam ter escolhido, para uma empresa a que até chamaram União?

O Rossio na Betesga #18: restos do Mundo Português

+ O Rossio na Betesga #17: uma bancada de carpintaria nos Prazeres

Publicidade
Publicidade