A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Yamatai
Gabriell VieiraA cerejeira é um dos elementos centrais do restaurante

O Yamatai trouxe para o Saldanha o minimalismo japonês

Marisa Cerqueira, uma das antigas proprietárias do Dinastia Tang, abriu um restaurante de comida japonesa tradicional com um toque de modernidade.

Por
Sebastião Almeida
Publicidade

Para Marisa Cerqueira, os dois anos passados em Xangai, na China, entre 2005 e 2007 foram marcantes. Tanto tempo depois, essas influências gastronómicas continuam a magicar-lhe na cabeça – a Ásia é um continente imenso e a sua cultura gastronómica acompanha a sua dimensão. Até Fevereiro do ano passado, Marisa era uma das proprietárias do Dinastia Tang, em Marvila, um dos restaurantes chineses mais autênticos da cidade. Esse reduto da gastronomia chinesa foi dos primeiros espaços a deixar a zona oriental da cidade e nos próximos anos os vizinhos desse quarteirão, como a Fábrica da Musa ou Aquele Lugar Que Não Existe, deverão seguir o mesmo destino. Depois de um hiato alongado pela pandemia, Marisa está de volta com o Yamatai, um restaurante japonês que abriu em Abril, na Rua Praia da Vitória, no Saldanha.

Yamatai
Gabriell VieiraO nabe-yaki udon é um dos pratos-fortes da casa

O novo projecto volta-se agora para a culinária japonesa, “totalmente diferente da chinesa”, explica.  A carta foi pensada e trabalhada por um chef-consultor brasileiro com ascendência japonesa que entretanto saiu. Rafael Arruda, que já havia trabalhado com Marisa em Marvila, é agora seu sócio. O sushi tradicional e de fusão são as apostas claras. Os pratos quentes como o nabe-yaki udon (18€), um caldo quente com massa udon, tentam ao máximo ir ao encontro da gastronomia tradicional nipónica.

“Temos o mais tradicional e o menos. Somos maleáveis para agradar a um clientela mais vasta”, explica. O katsu domburi panado (13€) é outras das opções na carta que muitos clientes já reconhecem.

O peixe, elemento central na confecção “tem de ter uma grande qualidade”, assegura Marisa. “Às vezes é complicado”, lamenta, mas de momento a matéria-prima é assegurada por um fornecedor que garante o melhor peixe no mercado. Os combinados de sushi (para todos os preços) acabam por ser uma solução simples para quem não quer cingir-se a um tipo de peças. O Izanagi (25€) combina 25 peças de sushi ou sashimi escolhidas pelo chef de acordo com as preferências do cliente; o Samurai (39€), com 32 peças, poderá ser uma escolha acertada para dois; se tiver um pouco mais de fome, talvez valha a pena o Izanami, com 40 peças e pelo valor de 46€. O salmão e o atum são peixes sempre presentes, mas também o lírio, robalo ou o peixe-gato.

Yamatai
Gabriell VieiraOs combinados são uma opção se preferir provar diferentes peixes

O ambiente quer-se minimalista. O fundo preto do restaurante contrasta em harmonia com os tons claros das madeiras das mesas. Numa posição de destaque, encontra-se uma cerejeira em flor, “conhecida no Japão como sakura” e a árvore mais conhecida do país, explica Rafael. As sobremesas são também típicas: há mochi de cheesecake (4,50€) ou de matcha (4,50€).

Apesar da reabertura total dos restaurantes há sempre a possibilidade de encomendar para casa ou de passar no restaurante [96 714 5938]. Para breve, e para aproveitar o restaurante num horário mais calmo, das 15.00 às 19.00 haverá um período onde vão servir bubble tea, um chá com bolinhas de tapioca.

Av. Praia da Vitória, 11 (Saldanha). 96 714 5938. Ter-Dom 12.00-15.00/ 19.00-23.00.

+ Leia grátis a Time Out Portugal desta semana

+ Time Out Lisboa volta às edições em papel com revista premium

Últimas notícias

    Publicidade