A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Lisboa
Fotografia: Stijn te Strake/ Unsplash

Time Out Lisboa volta às edições em papel com revista premium

Marca vai desdobrar-se em três formatos, mantendo forte aposta no digital: o site, diário; a revista online, semanal; e uma nova revista em papel, trimestral.

Por Time Out Lisbon editors
Publicidade

A Time Out Lisboa vai regressar às bancas, renovada, com uma periodicidade trimestral. Um ano depois de interromper as publicações em papel, devido à crise sanitária, está na hora de voltar à rua, de voltar a apostar no futuro, na inovação e no dinamismo cultural e gastronómico da cidade. Numa altura ainda incerta, mas em que a vacinação faz regredir a pandemia, a Time Out arrisca e posiciona-se ao lado dos sectores mais afectados pela Covid-19 – as artes, a restauração, o alojamento –, para dar a conhecer o que Lisboa tem de melhor e alavancar os negócios locais. A Time Out nunca o deixou de fazer ao longo deste ano. Porém, na revista premium, com lançamento previsto para o final de Abril, promete fazê-lo com frescura, em profundidade, e com a atenção e a dedicação de sempre.

A nova Time Out Lisboa terá quatro edições ao longo de 2021. A primeira vai focar-se na Lisboa tradicional. Um dos pontos de honra da Time Out em todo o mundo, neste período de instabilidade, tem sido apoiar as pequenas empresas das cidades em que está presente, através da campanha Love Local. Esse será o mote para a estreia da Time Out Lisboa neste novo modelo. As restantes edições acompanharão as estações – a segunda virá com o Verão; a terceira, com o Outono; e a quarta, com o Inverno, dando particular atenção ao Natal. As festas do final do ano deverão ser um marco na debelação definitiva da crise de saúde pública, de acordo com as expectativas das autoridades competentes, mas a Time Out crê que a retoma deve ser trabalhada com energia e antecipação, e avança já.

É esse o desafio que a equipa comercial da Time Out Lisboa está também a lançar aos anunciantes: que se juntem neste esforço de relançamento e ajudem a criar uma dinâmica positiva, virtuosa, para a nossa cidade. O futuro é agora. Estamos investidos nisso.

Em Março de 2020, a Time Out decidiu suspender as edições impressas em Lisboa e no Porto, concentrando todos os esforços no digital. Nasceu assim uma revista online, semanal e gratuita: a Time Out Portugal. Foi a primeira vez que as redacções das duas cidades portuguesas trabalharam em conjunto num produto comum. E esse produto vai manter-se. A aposta no digital é estratégica para a Time Out em todo o mundo. Assim, a marca vai desdobrar-se em três formatos: desde logo o site, actualizado várias vezes ao dia, com notícias e listas de coisas para fazer, para ver, para ouvir, para comer; a revista online, Time Out Portugal, que sai às quartas-feiras com uma selecção mais fina do melhor das agendas de Lisboa e do Porto para a semana seguinte; e, por fim, a nova Time Out Lisboa, a chegar às bancas trimestralmente, impressa em papel de qualidade. Esta última permitirá uma leitura mais demorada, pensando e descodificando a cidade, e identificando tendências.

“A palavra-chave, em todos os formatos, é curadoria, escolha. É o que torna a Time Out única. Mas os leitores mais fiéis foram manifestando no último ano as saudades que tinham de encontrar a revista em papel nas bancas. E os jornalistas da Time Out, preparados para o desafio do digital, também anseiam por um formato que permita mostrar uma Lisboa mais profunda, cheia de pessoas e projectos que vale a pena conhecer melhor e explorar em grandes reportagens e entrevistas”, diz a directora editorial, Vera Moura. “A nova Time Out Lisboa promete isso mesmo, em edições para saborear e coleccionar.”

“O melhor de Lisboa à audiência certa”

“Não podemos descartar a responsabilidade e a legitimidade que temos quando imprimimos qualquer conteúdo Time Out. É também por isso que há claramente uma oportunidade, neste momento, para tornarmos o nosso conteúdo mais relevante e poderoso do que antes”, afirma o director-geral da Time Out Portugal, Duarte Vicente. “Entregaremos mais e melhor, sem descartar o que já fizemos e a bem sucedida transição para o digital. Se ainda antes de termos plataformas digitais ganhámos confiança e autoridade em Portugal, agora estamos mais bem preparados para criar produtos diferenciados e complementares, que respondam a necessidades distintas tanto dos leitores como dos anunciantes.”

Segundo os Media Communications Studies, o print é das plataformas mais credíveis junto da audiência. O que também contribui para a decisão de relançar a Time Out em papel: em tempos voláteis como estes, é fundamental que tanto o meio como a mensagem sejam garante de credibilidade para leitores e anunciantes. “Enquanto fizemos, de forma surpreendente e bem sucedida, a transição para o digital, que incluiu o shift para Time In, não nos esquecemos que parte da nossa audiência continua e continuará a ter preferência pelo suporte físico”, nota Duarte Vicente. “Por outro lado, na perspectiva dos anunciantes e da monetização dos investimentos, o facto é que o print é mais tangível. A tangibilidade para um anunciante, por exemplo, garante que o seu momento de comunicação pode ser mais eficaz num formato físico, que perdura no tempo e é guardado como um item.”

“O que propomos para os apaixonados por Lisboa é o mesmo que fazem os apaixonados pela música, que utilizam a subscrição do Spotify para o dia-a-dia, para estar em cima do acontecimento, e depois cultivam o gosto pelo vinil e coleccionam os seus discos preferidos para ouvir com tempo e qualidade”, exemplifica Duarte Vicente. “A Time Out trimestral será assim: uma revista em que os melhores jornalistas, fotógrafos e colunistas, verdadeiros especialistas da vida na cidade, entregam o melhor conteúdo sobre Lisboa à audiência certa.”

+ O Time Out Index está de volta. Como tem sido a vida na sua cidade?

Últimas notícias

    Publicidade