A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Trabalhos de manutenção do Metro
Fotografia: Duarte DragoTrabalhos de manutenção do Metro

Obras do metro encerram troço da 24 de Julho durante nove meses

As obras para a construção da futura estação de Santos do Metropolitano de Lisboa vão condicionar a circulação num troço de cerca de 200 metros da Avenida 24 de Julho. Os trabalhos arrancam esta terça-feira e prolongam-se até Abril do próximo ano.

Escrito por
Renata Lima Lobo
Publicidade

O prolongamento das actuais linhas Verde e Amarela (entre o Rato ao Cais e Sodré), para a construção da futura linha Circular, resultará em duas novas estações da rede do Metropolitano de Lisboa (ML): Estrela e Santos. E a construção da ligação à futura estação de Santos vai forçar a Câmara Municipal de Lisboa a cortar o trânsito automóvel num troço da Avenida 24 de Julho, entre a Avenida D. Carlos I e a Rua Boqueirão do Duro, durante nove meses. Mas esta será apenas uma primeira intervenção, já que o ML adianta que as alterações na circulação nas imediações das avenidas 24 de Julho e D. Carlos I serão realizadas faseadamente nos próximos 23 meses.

Segundo o ML, a actual intervenção envolve “a construção dos toscos entre a estação Santos e o término da estação Cais do Sodré, acabamentos e sistemas” necessários a este prolongamento. Por outro lado, a estação de Santos ficará localizada a poente do quarteirão compreendido entre a Avenida D. Carlos I, Rua das Francesinhas, Rua dos Industriais e Travessa do Pasteleiro.

Quanto aos desvios de trânsito que serão implementados a partir desta terça-feira, o ML dá as coordenadas, em ambos os sentidos: “Os veículos que circulem na Avenida 24 de Julho em direção ao Cais do Sodré serão desviados para a Avenida D. Carlos I, Rua D. Luís I e Boqueirão do Duro, retomando a circulação na Avenida 24 de Julho, no mesmo sentido (Cais do Sodré). Os veículos que circulem na Avenida 24 de Julho em direção a Alcântara serão desviados para a Rua do Instituto Industrial, Rua da Boavista e Avenida D. Carlos I, retomando a circulação na Avenida 24 de Julho.”

Também os utilizadores da ciclovia da 24 de Julho serão desviados por percursos alternativos, “devidamente sinalizados que irão contornar as áreas afetas aos trabalhos de construção.” Já a circulação elétricos da Carris não será afectada, garante o ML, que prevê a inauguração da linha Circular em 2024.

No entanto, para que estes desvios de trânsito sejam viáveis, o ML avança que haverá necessidade de condicionar lugares de estacionamento nas ruas supra referenciadas, estando prevista a criação de zonas de estacionamento exclusivas a residentes.

+ Orçamento Participativo: o forte da discórdia

+ Entrada gratuita nos museus, monumentos e palácios da DGPC reduzida para domingos de manhã

Últimas notícias

    Publicidade