Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Príncipe Real é o 5.º bairro mais cool do mundo para a Time Out
Notícias / Vida urbana

Príncipe Real é o 5.º bairro mais cool do mundo para a Time Out

árvore do jardim do principe real
Fotografia: Manuel Manso

Madrid, Seul, Medellin e Atenas. É este o caminho a percorrer na lista dos bairros mais desempoeirados do mundo até chegar a Lisboa.

"Caros mini-curadores, ninguém conhece melhor a vossa cidade do que vocês. Gostaríamos, por isso, de saber qual é o bairro mais cool de Lisboa para toda a equipa". Mais coisa menos coisa, foi assim que a equipa de editores da Time Out lançou o desafio. Na redacção de Lisboa, começou o debate. "Marvila está a crescer", "Campo de Ourique é sempre Campo de Ourique!", "Não conheço nada das Olaias", "O Intendente está incrível!" – foram algumas das reacções. O consenso chegou com o bairro que consegue reunir alguns dos melhores restaurantes, lojas, jardins ou mercados: o Príncipe Real. É ele que figura no número cinco da tabela revelada pela Time Out com os 50 bairros mais cool do mundo.

Em primeiro surge Embajadores, na vizinha Madrid, na zona de Lavapiés, lugar onde se juntam culturas e tradições gastronómicas. Segue-se Euljiro, em Seul, com paredes ainda a cheirar a tinta fresca, tipografias, armazéns, cafés e bares que figuram nos melhores do mundo. O pódio fecha com Nueva Villa de Aburrá, Medellin, na Colômbia, local de reunião de rockabillies, punks e metaleiros. "Nueva Villa de Aburrá estabeleceu-se como um bairro do amor livre e de envolvimento sociopolítico, assim como um espaço de celebração de tradições novas, como os festivais anuais de molho picante ou de música electrónica, desafiando novas ideias da vida colombiana", assina a jornalista Maggie Clark. 

Antes do Príncipe Real surge Metaxourgeio, em Atenas, que esteve abandonado até ser ocupando por uma série de artistas, activistas e organizações de voluntariado. "Os seus edifícios neoclássicos estão gravados com murais emotivos, feitos pelos graffiters locais. Bordéis manhosos e zonas ocupadas – lembranças da desaceleração económica das última década – deram lugar, lentamente, a bares e tabernas que vibram pela madrugada", escreve a publicação.

Muitos mais bairros figuram na contagem, como Strasbourg-Saint-Denis, em Paris, Neukölln, em Berlim, ou Highland Park, em Los Angeles. Veja a lista completa aqui

+ Coisas para fazer em Lisboa este mês

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments