A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
escavações na sé
©DR

Projecto para núcleo arqueológico da Sé Catedral pode ser novamente modificado

Em meados do próximo ano serão, finalmente, abertos ao público os núcleos arqueológicos da Sé Patriarcal de Lisboa. Um processo que tem levantado algumas críticas quanto à preservação dos achados islâmicos.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Uma rua romana da Olisipo Felicitas Julia com uma extensão de 17,5 metros, lojas e parte de uma casa ou uma antiga mesquita do início do século XII. São estas as principais descobertas das escavações arqueológicas que decorrem no claustro da Sé Patriarcal desde os anos 90, apenas interrompidas entre 2004 e 2011. 

Em 2016 foi aprovado um projecto para a construção de um espaço museológico e cripta arqueológica, bem como a reposição do pátio do jardim do claustro e conservação e restauro das capelas e claustros da Sé. Um projecto que o ano passado foi alterado, e aprovado pela DGPC (Direcção-Geral do Património Cultural), de forma a integrar um conjunto de vestígios arqueológicos de uma mesquita aljama, sobre a qual foi erguido este Monumento Nacional. Recentemente, o Sindicato dos Trabalhadores de Arqueologia (STARQ) e o Fórum Cidadania Lx acusaram a DGPC de permitir a destruição das estruturas dessa antiga mesquita, no decurso dos trabalhos arqueológicos. 

Sé Catedral
©DR

Por sua vez, a DGPC esclarece que as estruturas que foram identificadas, e que agora é necessário desmontar, "correspondem a um pequeno troço de parede à qual se encontra adoçado um banco construído em alvenaria de tijolo com dois pequenos arcos, que segundo a direcção científica da intervenção poderá associar-se a uma área de vestiário relacionado com os banhos da mesquita e uma área associada à base do minarete que terá existido naquele local”. Tudo o resto ficará visível para os futuros visitantes, incluindo esse mesmo banco que, apesar de ser retirado do contexto actual, ficará enquadrado noutro local do núcleo arqueológico.

mesquita da sé catedral
Banco dos balneários da mesquita©DR

Para a arqueóloga da DGPC Alexandra Gaspar, o ideal seria haver uma visão de conjunto e disse esperar mais uma alteração do projecto. Nesse sentido, esta quarta-feira foi anunciado que a DGPC vai convocar, com urgência, uma reunião da Secção do Património Arquitetónico e Arqueológico (SPAA) do Conselho Nacional de Cultura (CNC). Um órgão consultivo composto por 21 especialistas em Patrimómio, externos à DGPC, que irá avaliar a situação arqueológica na Sé e tomar uma decisão que será vinculativa e que irá determinar em que termos se irá desenvolver o projecto.

+ Leia aqui a edição digital e gratuita da Time Out Portugal

+ Lisboa tem um banco de empréstimo de bicicletas usadas e todos podem contribuir

Últimas notícias

    Publicidade