Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Renasceu em Alvalade uma biblioteca para as famílias

Renasceu em Alvalade uma biblioteca para as famílias

Publicidade

Epopeias contadas às crianças, encontros com escritores e um clube de leitura. A biblioteca da Avenida Rio de Janeiro reabriu no último fim-de-semana, com a promessa de um intenso programa de actividades.

Depois de ter encerrado para obras de reabilitação no Verão do ano passado, a Biblioteca Manoel Chaves Caminha reabriu com melhores condições e uma agenda preenchida. As mudanças estão logo à vista, nomeadamente através da rampa colocada à entrada a pensar nas pessoas com mobilidade condicionada – há também instalações sanitárias adaptadas. Mas a maior novidade é a aposta nas actividades para toda a família e a criação de uma comunidade de leitores, moderada pelo escritor Gonçalo M. Tavares.

Biblioteca Manoel Chaves Caminha

 

Sala no último piso
Fotografia: Inês Félix

 

“Antes era preciso tocar à campainha”, conta à Time Out José António Borges, presidente da Junta de Freguesia de Alvalade. “Transferimos o posto de atendimento [que estava situado na Rua Conde de Arnoso] para o rés-do-chão deste edifício, para garantir que a biblioteca, dentro do horário de atendimento, está sempre aberta.” Já as associações da freguesia, que tinham escritório no primeiro andar, foram encaminhadas para o Centro Cívico Edmundo Pedro, “a antiga sede da Freguesia de São João de Brito”, desocupando o espaço que, no futuro, dará lugar a uma loja.

No segundo andar, há uma sala dedicada ao público infanto-juvenil, com livros, jogos e uma tenda de circo para os miúdos darem largas à imaginação. No último piso, há mais obras para consultar ou requisitar, mas destaca-se sobretudo o espólio deixado por Manoel Chaves Caminha e a iluminação natural, com o sol a bater nas paredes e no mobiliário branco. “É para os leitores mais tradicionais, que gostam de silêncio.”

Uma biblioteca para as famílias

“Estamos a preparar uma programação para as famílias, para que possam cá estar sobretudo ao sábado de manhã”, adianta José António Borges. “Vamos começar com A Ilíada e A Odisseia”, explica, referindo-se à actividade “Epopeias contadas às crianças” – as próximas sessões estão marcadas para 13 de Abril e 11 de Maio, às 10.00.

 

José António Borges, presidente da Junta de Freguesia de Alvalade
Fotografia: Inês Félix

 

A agenda cultural da biblioteca contempla ainda encontros com escritores, uma proposta dirigida pelo jornalista José Mário Silva. A próxima conversa – marcada para 13 de Abril, às 16.00 – contará com Maria Teresa Horta, uma das autoras das polémicas Novas Cartas Portuguesas (1972), obra que suscitou um processo judicial pela sua natureza transgressora em relação à tradição patriarcal dominante.

No mês de Maio, o clube de leitores, moderado por Gonçalo M. Tavares, regressa com uma sessão especial para discutir Terras do Demo, de Aquilino Ribeiro, no âmbito da terceira edição de “Alvalade Capital da Leitura”. Este evento literário, que decorrerá em vários locais da freguesia, entre os dias 16 e 25 de Maio, prevê mais actividades na biblioteca, mas a programação ainda não está fechada.

Biblioteca Manoel Chaves Caminha, Avenida Rio de Janeiro, 30. Seg-Sex 09.00-18.00; Sáb 09.30-13.30 e 14.30-17.30. A participação na comunidade de leitores carece de inscrição através de e-mail. Todas as outras actividades são de entrada livre.

+ Dos códices e incunábulos ao Harry Potter: uma viagem pelas bibliotecas em Lisboa

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade