A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Rufus Wainwright
DRRufus Wainwright

Rufus Wainwright vai actuar nos Jardins do Marquês em Julho

A primeira edição do Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley vai realizar-se entre os dias 2 e 11 Julho. Tirando Rufus Wainwright, todos os músicos falam português.

Por
Luis Filipe Rodrigues
Publicidade

Quando a primeira edição do Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley foi anunciada, no final de 2019, poucos sabiam o que era um coronavírus e ninguém imaginava que um fosse virar o mundo do avesso passados uns meses. Mas virou, e o festival oeirense acabou cancelado, como quase todos. Passou mais de um ano e continuamos a lidar com a pandemia, e a ver quase todos os festivais serem cancelados. Ainda assim, remando contra a maré, acaba de ser anunciado que, dentro de um mês, vai ouvir-se música nos Jardins do Marquês, em Oeiras.

O primeiro Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley vai desenrolar-se ao longo de sete noites, partindo do princípio que a pandemia não volta a trocar as voltas à organização entretanto. Rufus Wainwright é o nome mais sonante do cartaz, e o único músico norte-americano. Deve actuar a 6 de Julho, à boleia do seu mais recente álbum, Unfollow The Rules (2020), e com Vicente Palma na primeira parte. Mas vai ouvir-se mais música da boa entre 2 e 11 de Julho, cumprindo sempre todas as regras determinadas pela Direção-Geral da Saúde.

A abertura do festival, na sexta-feira, 2 de Julho, fica a cargo da Rua das Pretas, banda/tertúlia dinamizada por Pierre Aderne, que nesta noite estará acompanhado por Walter Areia, Nilson Dourado, Nani Medeiros, João Pita, Rui Poço, Karla da Silva, Joana Amendoeira e Camila Masiso. Depois, os cabeças de cartaz brasileiros Seu Jorge & Daniel Jobim cantam Tom Jobim. Antes do concerto de Rufus Wainwright, vão ainda passar pelos Jardins do Marquês dois destacados pianistas portugueses, a 4 de Julho: Maria João Pires e Júlio Resende.

A partir de 8 de Julho, e até o festival chegar ao fim, há concertos todas as noites. António Zambujo, que editou este ano António Zambujo Voz e Violão, toca a 8 de Julho, tal como a brasileira Tainá. No dia 9, Bonga, o grande embaixador da canção angolana, faz parelha com Mayra Andrade, uma das mais internacionais cantoras lusófonas. Um dia mais tarde, Jorge Palma toca primeiro e Camané & Mário Laginha partilham o palco depois. Por fim, a 11, o popular Rui Veloso encabeça um cartaz que inclui ainda o cabo-verdiano Tito Paris.

Os ingressos encontram-se à venda nos locais habituais e, dependendo do dia e do lugar escolhidos, podem custar entre 20 e 50 euros. De acordo com a organização, "os bilhetes adquiridos para as datas de 2020 são válidos para 2021 sem necessidade de troca ou da emissão de novo bilhete. Os bilhetes adquiridos para as datas de 2020 que não se confirmam em 2021 podem ser trocados por qualquer das noites de 2021, devendo para tal contactar o local onde foram adquiridos."

+ Há uma nova Time Out Cascais para descobrir

+ Coisas para fazer em Oeiras

Últimas notícias

    Publicidade