Global icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right SameSame: uma residencial criativa em Lisboa
Notícias / Vida urbana

SameSame: uma residencial criativa em Lisboa

samesame
Fotografia: Manuel Manso

Viver e trabalhar no mesmo espaço – o conceito de co-living está a chegar a Lisboa e o SameSame é o primeiro 100% português.

Comunidade, criatividade, e uma casa para viver e trabalhar sobre estas premissas – é o co-living a acontecer. O SameSame é o primeiro projecto de co-living 100% português e estreia-se em Lisboa na Rua da Madalena, apoiado por um espaço de cowork, o Beco. O foco é atrair as comunidades criativas.

Os culpados são Filipa Meirelles, Gonçalo Caldeira e Gonçalo Lopes, que, estando desde sempre mergulhados na indústria criativa, quiseram trazer para cá uma nova forma de trabalhar e viver, em ambientes partilhados e de convívio, valorizando a cultura e a divulgação da mesma. “Viajámos e tínhamos amigos que já tinham vivido neste regime, juntámos a experiência toda e percebemos que esta era uma lacuna no mercado, que não havia nada do género focado nas indústrias criativas”, explica Gonçalo Lopes. “O nosso principal objectivo é promover novos talentos, sejam criativos que estejam em início de carreira, sejam outros que não tenham, por exemplo, espaço para se exibirem e se mostrarem ao público.”

Fotografia: Manuel Manso

Sob o mote Rest, Create and Linger, o SameSame serve para cada um desses verbos, é um pólo que atrai empreendedores, freelancers, nómadas digitais, artistas – dos designers aos arquitectos, ilustradores, músicos, pintores ou tatuadores. “A tendência é que o co-living cresça em cidades como Lisboa, porque acompanha uma evolução dos tempos e da própria comunidade criativa, neste caso”, explica Filipa. “Lisboa tornou-se numa hub criativa de há uns anos para cá, não é por acaso que a Web Summit é cá, por exemplo. É tudo um reflexo da sociedade”, remata Gonçalo Caldeira.

São dois edifícios contíguos, ainda que um dos prédios, o do Beco do Rosendo, esteja em fase de obras – a ideia é que funcione exatamente com o mesmo conceito de co-living. O número 214 da Rua da Madalena é o que está no activo e conta com cinco pisos, onde o primeiro é ocupado pelo Beco. O espaço de cowork é também centrado nas indústrias criativas – aberto a qualquer pessoa que precise de um espaço para trabalhar (sem ser necessário estarem hospedados) e os restantes para os residentes em co-living. Além das mesas de trabalho, o espaço tem uma sala de reuniões, uma copa e uma área lounge onde decorrem os eventos da programação cultural regular, desde aulas de yoga, sessões de cinema a conferências – tudo aberto ao público. A par do cowork, o SameSame terá um espaço anexo ao edifício para tatuadores – são estúdios equipados com as condições necessárias a quem trabalha na área, sobretudo para artistas independentes.

Fotografia: Manuel Manso

O segundo e terceiro pisos albergam dois apartamentos, com cinco e quatro quartos respectivamente, com salas amplas, de convivência e interação, sempre com uma decoração de inspiração nórdica dos anos 60 (tal como o próprio conceito de co-living). “A ideia é que pessoas de várias áreas se reúnam aqui, que criem uma comunidade orgânica. Nem sequer temos televisão, para não ser um entrave à comunicação”, diz Gonçalo Lopes. O quarto e quinto pisos são apartamentos privados divididos em T0, apartamentos T1 e T2, para casais ou para quem prefere mais privacidade.

As modalidades passam por Rest (dormida), Rest and Create (dormida e trabalho) e Rest, Create and Linger (dormida, trabalho e eventos gratuitos), todas com um mínimo de estadia de um mês, e cada uma delas inclui despesas de casa, internet, limpeza e acesso aos eventos (a partir de 700€/mês). As reservas são feitas através do site www.samesameliving.com. Há ainda outro cantinho a ser finalizado: uma casa de chá (ainda sem nome definido) com refeições leves que abrirá em Março e será a pedra basilar da comunidade criativa, o ponto de encontro e o palco expositivo dos artistas residentes no co-living – de exposições a concertos. “Vai ser aqui que vamos dinamizar uma agenda cultural mais intensa com os nossos artistas”, diz Gonçalo.

O SameSame está também em processo de fechar parcerias com associações de empreendedorismo social, nomeadamente com o Impact Hub e os vizinhos Renovar a Mouraria, com quem querem criar sinergias no que toca à compostagem dos resíduos do edifício. “Estamos empenhados na vertente da sustentabilidade e muito em breve vamos ter tudo bem discriminado e valores amigos do ambiente pelos quais nos queremos seguir”, afirma Filipa.

Rua da Madalena, 214. www.samesameliving.com

+ Espaços de cowork em Lisboa para trabalhar em comunidade

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments