Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Super Bock Super Rock terá autocarros directos e comboio até de madrugada
Notícias / Música

Super Bock Super Rock terá autocarros directos e comboio até de madrugada

FESTIVAL SUPER BOCK SUPER ROCK 2014
Fotografia: Arlindo Camacho

O festival Super Bock Super Rock regressa ao concelho de Sesimbra com novas práticas ambientais e opções de mobilidade, para o ajudar a decidir se quer ir e voltar ou se o melhor é acampar e não perder pitada.

Depois de quatro edições no Parque das Nações, o festival volta, de 18 a 20 de Julho, à Herdade do Cabeço da Flauta, lugar onde assentou arraiais entre 2010 e 2014. Mas o recinto não é o mesmo: o terreno, diferente daquele que o público se lembra de pisar nos anos de “Meco, sol e rock n’roll”, é uma das novidades deste ano, anunciadas esta terça-feira pela organização.

“De regresso ao cenário idílico junto à praia do Meco, em Sesimbra, onde se realizaram algumas das edições mais memoráveis da sua história, preparam-se todas as condições para proporcionar uma experiência de festival única e fora do ambiente citadino do quotidiano, potenciando a relação tão especial que se estabelece entre os artistas em palco e o público”, lê-se no comunicado da promotora Música no Coração.

Mais alternativas de mobilidade

Para contornar o problema do trânsito que marcou outras edições no Meco, a organização apostou em transportes colectivos. O objectivo é facilitar as idas e voltas dos festivaleiros, com autocarros directos a partir de Lisboa (na Praça de Espanha e na Gare do Oriente) e de regresso à capital após o festival (entre as 2.00 e as 5.00 e entre as 8.00 e as 13.00). Caso decida apanhar o autocarro a partir da Praça de Espanha, poderá fazê-lo entre as 13.00 e as 19.00 na véspera do festival (17 de Julho), 10.00 e 22.00 no dia 18 de Julho, e 14.00 e 19.00 no segundo e terceiro dia de concertos (19 e 20 de Julho). A partir da estação do Oriente, os horários são os seguintes: entre as 10.30 e as 22.00 na véspera e primeiro dia de concertos e entre as 13.00 e as 20.00 nos restantes dias. Cada viagem custa 3,35€.

Além dos Transportes Sul Tejo, há “soluções de mobilidade Via Verde” criadas para o festival, como o serviço de carsharing DriveNow, o serviço ridesharing Via Verde Boleias ou o serviço especial de comboio (3,35€), numa parceria com a Fertagus, “que sairá da estação de Coina em direcção a Lisboa às 3.30 da manhã, com paragem em todas as estações, depois dos grandes concertos de 19 e 20 de Julho”. Conte ainda com parcerias com duas plataformas de transporte de passageiros, a Uber e a Bolt, que terão um ponto de recolha próximo do recinto “para facilitar o encontro dos utilizadores com os motoristas”.

Se optar por ir de carro, não se preocupe: haverá estacionamento “com capacidade para corresponder à procura, que terá sinalização, iluminação e equipas para auxílio”. Já o espaço de campismo continua a situar-se “debaixo da magnífica sombra dos pinheiros mansos da Herdade do Cabeço da Flauta”. Gratuito para os portadores do passe de três dias, abre a 17 de Julho, às 10.00. Para os campistas, haverá também autocarros gratuitos até à Praia do Meco, todos os dias do festival, entre as 9.00 e as 19.00. Além da oferta de transportes colectivos, a organização também melhorou os acessos ao recinto, para evitar horas perdidas na fila.

Novas práticas ambientais

Este ano, foi criado também um Plano de Suporte Ambiental, que inclui sanitários secos de compostagem, para eliminar o uso de água, dezenas de pontos de recolha selectiva, uma máquina de cerveja à pressão que funciona a energia solar e, à semelhança de edições anteriores, um sistema de copos reutilizáveis.

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a associação ambientalista Quercus e a Sociedade Ponto Verde vão estar presentes no recinto, para promover a defesa contra incêndios e a sustentabilidade, bem como monitorizar os comportamentos dos festivaleiros face às suas práticas ambientais.

Entre os nomes confirmados para esta 25.ª edição, destacam-se Lana Del Rey, Cat Power, The 1975 (dia 18), Phoenix, Calexico and Iron & Wine (19), Migos, Janelle Monáe e Disclosure (20). Com o campismo aberto a partir da véspera do festival, no dia 17, o warm-up faz-se com a curadoria da editora Discotexas e conta com Moullinex, Xinobi e DJ Vibe em DJ set e actuações ao vivo de Da Chick, MEERA e Oma Nata. Os bilhetes, à venda desde Dezembro de 2018, vão dos 60€ (passe diário) aos 110€ (passe de três dias).

+ Concertos em Lisboa em Junho

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments