A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Varandas de Lisboa
Duarte DragoLampreia no Varandas de Lisboa

Tradicional mês da lampreia no Varanda de Lisboa vai ter mão de Vítor Sobral

Por
Hugo Torres
Publicidade

Os ciclóstomos mais apreciados da gastronomia nacional voltam à carta do restaurante do Hotel Mundial, ao Martim Moniz. É servido de escabeche, no arroz ou à bordalesa.

Nada é imutável: nem o casario que se avista do alto do Martim Moniz, no coração de Lisboa, que tem recuperado cores e telhados, nem um dos mais antigos restaurantes de renome da cidade. O Varanda de Lisboa, no oitavo andar do Hotel Mundial, reabriu em Novembro de cara lavada (mantiveram-se as janelas panorâmicas, as paredes e o grande mural que ornamenta uma delas) e com um carta actualizada por Vítor Sobral. Agora, o chef da Tasca da Esquina dará uns retoques numa das tradições da casa: o mês da lampreia.

Varanda de Lisboa

Fotografia: Duarte Drago

O menu especial dedicado a estes animais de boca circular estará disponível a partir de quarta-feira, 5 de Fevereiro, ao almoço e ao jantar. É composto por entrada (filete de cavala de escabeche), prato principal e sobremesa do dia (na apresentação do menu, em que o escabeche de entrada também foi de lampreia, foi servido pudim de limão, para cortar a gordura do bicho). Para o centro da refeição, haverá duas opções: arroz de lampreia ou lampreia à bordalesa. O menu custa 40€ por pessoa e fica na carta até 15 de Março.

A lampreia chega ao restaurante do Hotel Mundial ainda viva, vinda de Entre-os-Rios, e é já no Varanda de Lisboa que é limpa e tratada. No entanto, como é uma proteína sazonal, se uma eventual procura elevada pode levar à escassez do produto, sendo então necessário diversificar origens. Os responsáveis pelo restaurante têm essa possibilidade acautelada, tendo trocado contactos de fornecedores com outro clássico da vizinhança, o Solar dos Presuntos, para que nunca falte lampreia nas mesas de um nem de outro. (No restaurante da Rua das Portas de Santo Antão, a lampreia já chegou à ementa.)

Varandas de Lisboa

Duarte Drago

Carlos Queijo, com 40 anos de casa, continua à frente da cozinha do Varanda de Lisboa e será ele a garantir que está tudo no ponto. O menu de lampreia é sobretudo dele, mas leva um toque de Vítor Sobral, que tem colaborado com o restaurante do Hotel Mundial como consultor. E não tem senão elogios a fazer ao chef residente, que diz ter “mãozinhas de ouro”. “Não faz espumas mas faz um arroz…” Outra das estrelas do Varanda é a garrafeira (que, com a renovação, ficou à vista de todos numa espécie de aquário climatizado, logo à entrada). O que significa que não poderia faltar um vinho pensado especificamente para acompanhar a lampreia: é um Sousão tinto, o Vallado Divina Lampreia, feito para acompanhar um prato que não é carne nem é peixe, é a “divina lampreia”. 

+ Restaurantes para comer lampreia em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade