A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Toca da Raposa
©Melissa VieiraConstança Raposo Cordeiro

Um laboratório de cocktails n'A Toca da Raposa

Por Clara Silva
Publicidade

A partir desta semana, e todas as quartas-feiras, Constança Raposo Cordeiro testa novas bebidas com os clientes da sua Toca da Raposa nestas R&D Sessions. Espreitámos o laboratório de experiências.

Estou a ir longe de mais ou não? É frequente Constança Raposo Cordeiro achar que pode estar a exagerar na carta de cocktails do bar que abriu em Junho de 2018 no Chiado. Foi o caso da Raposa, um cocktail com natas fumadas – “era o Prado que fumava as natas para nós”, conta a bartender de 29 anos –, cozinhadas com alho francês, sumo de gengibre fresco e tequila. “As pessoas pediam isso e eu já dizia que não, que não iam gostar”, continua. “Consegues logo perceber quem tem perfil para isso ou não.” Outro cocktail da carta, a Tágide, também tinha um público muito específico. “Era com azeite, água das azeitonas, gin, natas e espumante”, recorda. “Também era completamente diferente, a textura parecia espuma do mar. Ou se ama ou se odeia e percebo os dois lados.”

Nas R&D sessions que vão acontecer no bar todas quartas-feiras a partir desta semana, Constança pode fazer dos clientes cobaias sem qualquer problema. “Aqui vou poder ir longe de mais sem medos”, adianta a bartender.

Com duas sessões de hora e meia, às 18.30 e às 20.30 e limitadas a 12 pessoas, o objectivo é experimentar bebidas novas, não necessariamente cocktails. “São sessões de research and development, investigação e desenvolvimento, onde damos a provar cinco líquidos diferentes”, explica. “Uns são cocktails inteiros, outros são licores, outros fermentados... Tem muito a ver com a nossa necessidade.”

Toca da Raposa
Toca da Raposa
©Melissa Vieira

As sessões serão úteis para tirar dúvidas em relação a alguns cocktails da carta, mas também para “manter os clientes envolvidos no processo criativo”, sublinha, e incentivar a vontade do bar de inventar coisas com produtos sazonais, muitos dos quais são apanhados na floresta no próprio dia.

Por exemplo, um licor de sementes de freixo apanhadas por Constança no Verão de 2017. “Tinha guardada uma caixa de cinco litros cheia de sementes e pensei que podia ser que um dia as usasse”, conta. “Será a primeira vez que alguém experimenta.” Ou um novo cocktail que mistura cogumelos shiitake e cogumelos pleurotos com “vinhos fortificados e absinto”. “Às vezes estou a ir longe de mais e as pessoas gostam disso, mas se calhar não é preciso estar no menu.”

As sessões, a 25€ por pessoa, incluem também pão, azeitonas e legumes da época. “Para lembrar quão bom o produto é sem ser manipulado”, diz Constança Raposo Cordeiro. “E também para as pessoas não ficarem demasiado tocadas.”

Toca da Raposa. Rua da Condessa, 45 (Carmo). Qua 18.30 e 20.30. 25€. Mais info em www.tocaraposa.com

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Últimas notícias

    Publicidade