Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Uma carta aberta ao Alojamento Local no andar por cima da nossa casa

Uma carta aberta ao Alojamento Local no andar por cima da nossa casa

Uma carta aberta ao Alojamento Local no andar por cima da nossa casa

Olá caro vizinho. Como está? Não temos nada contra o facto de ter colocado a sua casa numa plataforma de alojamento temporário. A casa é sua, está no seu direito. Achamos óptimo que tenha conseguido uma segunda, terceira ou quarta fonte de rendimento.

A sua presença nas reuniões de condóminos continua a ser muito bem-vinda e queremos sempre saber a sua opinião sobre que estação de rádio deve passar nos elevadores. Mas faça-nos um favor, gentil e desembaraçado vizinho: explique às pessoas a quem aluga a casa como se vive em sociedade. Se calhar basta uma nota explicativa, um pequeno sermão, um workshop rápido.

O Provedor do Lisboeta fornece os tópicos essenciais:

1. A melhor maneira de levar um trolley escadas acima ou escadas abaixo é pegá-lo pela mão e não arrastá-lo aos solavancos durante todo o percurso.
2. Existem horas de silêncio que devem ser respeitadas e pessoas no mesmo prédio que gostam de dormir durante a noite. É possível, também, que haja pessoas que gostam de dormir durante o dia (vampiros, guardas nocturnos), por isso é boa ideia não fazer muito barulho.
3. Os caixotes do lixo do prédio não são meramente decorativos. Existem para depositar todo o tipo de detritos e funcionam com um código de cores fácil de memorizar.
4. As portas do prédio foram desenhadas para poderem ser fechadas por pessoas débeis e pouco musculosas, pelo que não é preciso usar de toda a força dos membros superiores para as fechar.
5. Os seus vizinhos são seres humanos e não actores num parque temático pitoresco que reproduz à escala uma antiga cidade europeia. Trate-os com respeito.

Obrigado pela compreensão! 

O Provedor do Lisboeta é um vigilante dos hábitos e manias dos alfacinhas e de todos aqueles que se comportam como nabos e repolhos nesta cidade. Se está indignado com alguma coisa e quer ver esse assunto abordado com isenção e rigor, escreva ao provedor: provedor@timeout.com.

+ Uma carta aberta às pessoas sentadas nos lugares prioritários

Publicidade
Publicidade