A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Yallah: o Médio Oriente para pegar e levar no Chiado

Por
Ines Garcia
Publicidade

Na cidade portuária de Jafa, em Israel, há comida de rua com várias influências. Hagay Elle foi absorvendo-as até decidir trocar uma carreira como fotógrafo de moda por uma de cozinheiro. Passou pelo pan-asiático Boa-Bao, numa primeira experiência na cozinha, e agora tem o seu próprio restaurante, pequenino, na Rua do Loreto, com street food de todo o Médio Oriente.

“É uma mistura do Médio Oriente. Não é um restaurante libanês, israelita ou sírio”, diz Hagay, esclarecendo que este não é um sítio para formalismos e que ele próprio não é chef, é um entusiasta da cozinha, perfeccionista, que cozinha de raiz tudo o que se faz aqui. Há uma mesa comunitária com dez lugares sempre posta, com os talheres no meio para cada um se servir como se estivesse em casa, mas a ideia é também pegar e levar. Ou pegar e yallah – “yallah”  significa qualquer coisa como “bora lá” e é uma expressão transversal a vários países do Médio Oriente; portanto, na altura de escolher um nome para este conceito, teria de ser este.

Naatch
Fotografia: Manuel Manso

O menu é pequeno, como a cozinha, mas é tudo caseiro e feito com ingredientes frescos. Tem os clássicos hummus (6€) e babaganoush (7€), servidos em pratos de barro, em doses generosas, para comer com pão pita (1,50€) e com a mão, sem pudores. Há salada de beringela com feta, romã e coentros (7€), tahine com alcaparras e salsa (6€) ou um falafel crocante (5€/quatro unidades). “Há cada vez mais sítios com falafel bom mas são todos muito diferentes, especialmente por causa das especiarias usadas”, explica. Neste que aqui faz, utiliza cerca de oito tipos de especiarias.

Hummus
Fotografia: Manuel Manso

O prato principal desta casa com apontamentos em tons terra, calorosos, são as pitas, recheadas com o falafel e salada (6,50€), ou com outras três receitas criadas por Hagay. Há o naatch, uma espécie de almôndegas de peixe com um molho ligeiramente picante (8€); o Jerusalem mix, com uma mistura de aves, cebola e especiarias (8€); ou o yallah, com uma carne picada inspirada num kebab que o cozinheiro comia sempre no mesmo sítio em Jafa (8€). 

Yallah
Fotografia: Manuel Manso

A sobremesa também não ficou esquecida: há uma mousse de chocolate com cardamomo (4€) ou um pudim de leite libanês com água de rosas (4€). 

Dentro de umas semanas, aos domingos, vão começar a servir também um brunch do Médio Oriente. Hagay ainda não tem a certeza do que vai incluir, fora a shakshuka já confirmada, mas está certo que será uma mesa cheia de pequenos pratos coloridos e bem temperados.

Rua do Loreto, 54, Edifício Officina Real (Chiado). 21 604 2000. Ter-Dom 12.00-00.00 (a partir das 22.30 servem apenas pitas).

+ Os melhores restaurantes libaneses em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade