Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Quatro restaurantes libaneses onde vale a pena reservar mesa

Quatro restaurantes libaneses onde vale a pena reservar mesa

Nos restaurantes libaneses em Lisboa a comida é para partilhar e ir descobrindo os sabores delicados mas cheios de especiarias.

Za'atar
©Grupo José Avillez A mesa libanesa do Za'atar, de Joe Barza e José Avillez
Publicidade

Uma mesa libanesa quer-se cheia e colorida, afinal a gastronomia do Líbano é das mais completas do mundo, com muitas especiarias aliadas a vegetais frescos e ingredientes mais delicados. Lisboa não é estranha aos sabores libaneses e já vai perdendo o preconceito de prescindir dos talheres para pegar no pão achatado para comer os pratos condimentados, de partilhar mezze, do húmus ao falafel, ou de se atirar a um bom kebab. Nestes quatro restaurantes libaneses em Lisboa há os pratos mais clássicos e tradicionais e uma boa dose de modernidade, vinhos libaneses para conhecer e também sobremesas. 

Recomendado: Os melhores restaurantes do Médio-Oriente em Lisboa

Quatro restaurantes libaneses onde vale a pena reservar mesa

Za'atar
©Grupo José Avillez
Restaurantes, Libanês

Za'atar

O Za'atar é o segundo projecto étnico de José Avillez na cidade (o primeiro foi a Cantina Peruana, com o chef Diego Muñoz). Este restaurante de gastronomia libanesa foi pensado a quatro mãos com Joe Barza, um chef internacional que é uma estrela televisiva no Líbano. A carta foi muito bem estudada e equilibrada para o paladar português pela equipa de cozinheiros da confiança de Avillez. Habitue-se aos nomes: o couvert chama-se karkachat, as saladas são as salatas e depois há os mezze frios e os mezze quentes, do mais básico húmus ao tajin arnabit, couve-flor marinada e assada com curcuma, coentros e azeite e servida com tahini (4,50€). Há ainda pequenos pratos como o moughrabieh djej, um guisado de cuscuz com caldo de carne, chalotas grelhadas, cebolinho e coentros (8,5€); o frikeb bi lahmeh, um prato de trigo verde fumado com perna de borrego, alperces secos e alecrim (8€) e os grelhados, como o kebab de peixe branco marinado (12€) ou a taook, uma espetada de frango (8€). Também há sobremesas com alma e sabor libanês – prove o sorvete de alperce com creme de pistácio (5€).

+ Entrevista a José Avillez e Joe Barza

Sumaya
©Duarte Drago
Restaurantes, Libanês

Sumaya

icon-location-pin Princípe Real

O menu do Sumaya, um restaurante do grupo Atalho no Príncipe Real, tem um menu muito grande, muito completo, para dar a conhecer ainda mais (e melhor) os pratos típicos de forno e os grelhados do Líbano – a maior parte receitas da avó de Tarek Mabsout, o dono. Uma das grandes apostas deste restaurante é também nos vinhos: além dos portugueses, que não poderia deixar de haver, têm 18 referências libanesas, entre tintos, rosés e brancos, cultivados no vale de Bekaa, considerado o coração verde do Líbano.  Uma boa maneira de conhecer um pouco de tudo é pedir um dos combinados, para uma (13€), duas (26€) ou quatro pessoas (80€) e regar então com um copinho de vinho.

Publicidade
Muito Bey
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Libanês

Muito Bey

icon-location-pin Cais do Sodré

Ezzat Ellaz quis que se comesse Muito Bey a comida libanesa em Lisboa e por isso em 2016 abriu o seu primeiro restaurante. O conceito é muito simples: comida libanesa autêntica mas com ingredientes portugueses. A consultoria do menu está agora a cargo de Joseph Youssef, um chef libanês a viver no Dubai que está há 18 anos a fazer a gestão de cozinhas de restaurantes. A palavra de ordem é sempre mezze, tudo para partilhar. Nos frios, há uma salada de friké, um super-alimento, com rúcula, tomate, amêndoas e nozes; há quatro húmus diferentes – além do tradicional, de grão de bico com tahine, alho e limão, há com abacate, com carne picada ou com beterraba cozida –, uma mussaka de beringela assada com cebola, alho, grão de bico, malaguetas e hortelã seca. Nos quentes estão os falafel, quatro croquetes de grão fritos, as Makanek, salsichas de vaca refogadas com alho e molho de romã, um pratinho de camarões salteados que bem podiam ser os nossos a la guilho, mas aqui numa versão libanesa, ou uma baklava de queijo feta com geleia de tomate.

A Time Out diz
fenícios
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Libanês

Fenícios

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Pioneiros da gastronomia libanesa em Lisboa, estes Fenícios vêm do Líbano e deixam qualquer um feliz com pouco: uma taça de húmus, um pão libanês e um copo de vinho. Os mezze estão por toda a carta e mesmo em menus de degustação como o mezze fenícia, com húmus, moutabal (beringelas grelhadas cozinhadas num puré com com pasta de sésamo, alho e limão), falafel (os pasteis de grão, fava e especiarias). Aqui comem-se também os kibbé, uma espécie de croquete com variedades por todo o Médio Oriente e que aqui são feitos com carne de vaca, trigo e amêndoa.

Gastronomias do mundo em Lisboa

comida de santo, feijoada brasileira
Arlindo Camacho
Restaurantes, Brasileiro

Sítios para comer comida brasileira em Lisboa, do pão de queijo à feijoada

Não lhe vamos falar de rodízios de carnes grelhadas em situações all you can eat ou restaurantes onde o buffet se vende ao peso. Nada contra, mas nesta lista, o caminho vai ser outro, pelos quitutes, esses petiscos pequeninos para matar a fome aqui e ali, pela Bahia, com os seus clássicos como o óleo de dendê, o camarão seco, os coentros ou o leite de coco, e pelos ingredientes brasileiros que nos últimos anos ficaram na moda deste lado do Atlântico, como a tapioca ou o açaí. Reunimos uns quantos sítios para comer comida brasileira em Lisboa onde há variedade no receituário e que estão – esperamos – a abrir caminho para mais restaurantes brasileiros em Lisboa. É que samba sem um prato à frente não enche barriga. 

ceviche puro da cevicheria
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Peruano

Os melhores restaurantes peruanos em Lisboa

A cozinha peruana é uma das que mais curiosidade desperta na cidade: o Qosqo foi pioneiro desta gastronomia ali para os lados da Sé e o chef Kiko com A Cevicheria criou o buzz máximo em torno dos pratos do Peru. Entretanto o grupo Portugália abriu o Segundo Muelle, o chef peruano Diego Muñoz juntou-se ao império Avillez e abriu uma Cantina dentro do Bairro e até aprendemos o que é a cozinha nikkei. Mas há mais palavras-chave para além do ceviche que deve conhecer quando entrar num restaurante peruano (e esqueça essa ideia de ser tudo comida crua): as causas, ou causitas, são pratos em que o ingrediente principal é a batata; os tiraditos são fatias de peixe, finas, ao estilo carpaccio, mas temperadas com diferentes molhos, ají é uma malagueta com muitas variedades; anticuchos são espetadas na brasa; chicharrón são pedaços de carne ou peixe panados e os tacu tacu pastéis feitos com arroz e feijão e vários recheios possíveis.  Pelo meio, brinda-se com pisco sours, cocktails que juntam aguardente de uva pisco com limão.  Siga o roteiro dos melhores restaurantes peruanos em Lisboa. 

Publicidade
Restaurante Zero Zero
Fotografia:Ana Luzia
Restaurantes, Pizza

As melhores pizzarias em Lisboa

É um assunto sensível, sobretudo numa cidade onde há cada vez mais restaurantes de pizzas de qualidade. E a verdade é que uma pizza é capaz de ser o prato mais consensual e com mais adeptos um pouco por todo o mundo. Mas a escolha teve de ser feita. Escrutinámos uma lista de dezenas de pizzarias, pensámos nas melhores pizzas trincadas nos últimos anos e chegámos a um veredicto final. Estas são as melhores pizzarias em Lisboa, que vendem tanto pizzas redondas ou quadradas como rectangulares sem nunca esquecer aquelas que as cortam à fatia.

Publicidade