As melhores pizzarias em Lisboa

A escolha foi difícil e exigiu uma mesa redonda (como o produto em questão) onde se debateram quais as melhores pizzarias em Lisboa. Este foi o resultado
Restaurante Zero Zero
Fotografia:Ana Luzia Esplanada restaurante Zero Zero
Por Mariana Correia de Barros e Inês Garcia |
Publicidade

É um assunto sensível, sobretudo numa cidade onde há cada vez mais restaurantes de pizzas de qualidade. E a verdade é que uma pizza é capaz de ser o prato mais consensual e com mais adeptos um pouco por todo o mundo. Mas a escolha teve de ser feita. Escrutinámos uma lista de dezenas de pizzarias, pensámos nas melhores pizzas trincadas nos últimos anos e chegámos a um veredicto final. Estas são as melhores pizzarias em Lisboa, que vendem tanto pizzas redondas ou quadradas como rectangulares sem nunca esquecer aquelas que as cortam à fatia.

Recomendado: Os melhores restaurantes em Lisboa

As melhores pizzarias de Lisboa

Pizza Primavera, Casanova
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Casanova

icon-location-pin São Vicente 

É conhecido pelas mesas corridas, lâmpadas vermelhas para os pedidos e pelas filas sem fim quer seja almoço, jantar, fim-de-semana ou uma discreta segunda-feira. A massa das pizzas também conhecidas como "as pizzas do Lux" dada a proximidade com a discoteca e o horário alargado em que as servem – estala a cada trinca, graças ao tempo ideal no forno de lenha, o conduto vem sempre em bastante quantidade e, sobretudo, os produtos são bons, muito bons. Seja o presunto da San Daniele, seja a mozarela de búfala do Casanova, seja o pesto, sejam os queijos da 4 Formaggi. 

A Time Out diz
Pizza Pugliese da Zero Zero
©DR
Restaurantes, Italiano

ZeroZero

icon-location-pin Princípe Real

A primeiro ZeroZero abriu em 2015 – entretanto já têm outro espaço no Parque das Nações e no Time Out Market – e diferenciou-se logo pela massa especial, confeccionada segundo o método poolish, um tipo de pré-fermentação que acontece em várias fases. Não o queremos maçar com pormenores técnicos, por isso, resumindo, leva três tipos de farinha (uma delas a 00) e fermenta durante uma média de três dias. O resultado? A massa pesa muito menos no estômago. Entre as nossas recomendações, atire-se à Margherita DOP, à Montanara, com mozarela fiordilatte, porcini, queijo asiago e speck, ou à Pugliese, com presunto de Parma 18 meses, ricota, ovo e Parmiggiano-Reggiano 16 meses. Sim, aqui os queijos e enchidos têm todos selo italiano. 

A Time Out diz
Publicidade
la Finestra
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Italiano

La Finestra

icon-location-pin Avenidas Novas

É o irmão do meio da família do Lucca, em Alvalade, e do Tavola Calda, em Algés, e as pizzas são semelhantes entre todos (há sócios em comum nos três restaurantes). Massa fininha, estaladiça e com dezenas de combinações diferentes de ingredientes. Continuam a ser fortes na relação qualidade/preço e continuam a deixar fazer aquele pedido especial que tanto gostamos: “olhe era metade desta e metade daquela”. No final, peça a sobremesa secreta: panacota com Nutella.

A Time Out diz
Pizza da Mercantina
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Italiano

Mercantina

icon-location-pin Chiado

Esqueça a massa fina. Aqui a receita vem de Nápoles, onde a grossura da base é apreciada e as bordas deixam muito pão para mastigar. Todos os ingredientes são italianos, as pizzas são feitas em forno de lenha e estão no quentinho entre 60 a 90 segundos. Muitas delas têm assinatura de chef, no caso Giorgio Damasio, mas continuamos a preferir a mais simples de todas: Margherita DOP, com grandes pedaços de mozarela de búfala, manjericão e azeite. 

+ Mercantina estreia-se na pizza à fatia com novo quiosque

A Time Out diz
Publicidade
In Bocca al Lupa
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

In Bocca al Lupo

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Pizzas biológicas. A ideia pode causar estranheza a alguns ouvidos, mas a verdade é que funciona. E muito bem: levou cinco estrelas da nossa crítica, por exemplo. O restaurante do Príncipe Real é despretensioso, mas quem aqui vem, vem para comer bem. E para ver a massa fina ser estendida à frente dos olhos até ficar bem lisa e com pouca elasticidade; para provar mozarelas orgânicas de Itália e legumes vindos de uma quinta biológica em Portugal; ou para ter de decidir entre a gulosa pizza Pesto e a Hortolana, com vegetais grelhados. 

A Time Out diz
La Puttana - Marinara
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pizza

La Puttana

icon-location-pin Cais do Sodré

O formato é simples: poucas mesas, corridas, um janelão a dar para a rua que se abre em dias de mais calor, um forno a cozer pizzas sem intervalo e uma ementa onde se tenta ir pela diferença. Isso vê-se na aposta das pizzas bianche, isto é, sem pinga de tomate, como a Popey, com espinafres, ovo e parmiggiano-reggiano, numa quattro formaggi, onde cada uma das qualidades do queijo (mozarela, gorgonzola, parmiggiano e mascarpone) está dividida nos quartos da pizza, ou nas pizzas stravaganti, de sabores muito fora da caixa, caso da geisha, com shitake, pancetta, crème fraîche, creme balsâmico e cebolinho.

A Time Out diz
Publicidade
Pizza Chiado da Pizzaria Lisboa
©Paulo Barata

Pizzaria Lisboa

Foi a terceira aventura de José Avillez pelo Chiado e aquela em que se meteu, sem quaisquer problemas, na comfort food. Fê-lo em bom, com uma massa cujo sal que leva é siciliano, a farinha é 00 e o forno onde é metida é de lenha e topo de gama. Quanto ao produto em si, as pizzas levam nomes lisboetas e, entre as melhores, estão a Castelo, com mortadela trufada italiana e burrata, a Sete Colinas, com cogumelos, fiambre, alcachofras, cebola e orégãos ou a mui portuguesa Santo António, com chouriço alentejano e pimento vermelho. 

Esplanada do restaurante Esperança da Sé
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Esperança da Sé

icon-location-pin Santa Maria Maior

Seja o clássico do Bairro Alto, seja o encantador da Sé, o Esperança é, já o dizemos há muitos anos na Time Out, uma óptima bóia de salvação para uma mesa fora de horas (sobretudo a do Bairro). As pizzas são cozinhadas em forno de lenha, têm bons ingredientes na base e as combinações andam entre a deliciosa Tutto Funghi, com cogumelos de Paris, porcini e azeite de trufa e a Nostra, com espargos, cebola, tomilho e speck. São também fortíssimos nas calzones, uma excelente aposta para quem gosta do género.

A Time Out diz
Publicidade
Forno d'Oro
Fotografia: Ana Luzia

Forno D'Oro

Regra geral, há que desconfiar de quem gosta de aportuguesar uma pizza. Mas no que toca ao Forno D’Oro – para interpretar de forma literal, já que o dito é revestido a folha de ouro –, não há nada a temer. Tanka Sapkota, o dono (que também tem o Come Prima), soube o que fazia quando decidiu fazer os dois menus, Alma Lusitana e Espírito Itálico. No primeiro há sabores como alheira, agrião ou paio de porco, no segundo há os suspeitos do costume, como queijos e carnes frias. Quanto à massa, é napolitana, isto é, mais grossa do que nas pizzas convencionais. 

Camera

Pizzas Baldracca

Também chamadas de pizzas do São Jorge, por funcionarem na cafetaria do cinema, têm a resposta perfeita para aqueles dias em que quer matar as saudades de comer pizza, sem ficar cheio. Sim, os exemplares aqui são para lá de finos, muito estaladiços e fáceis de despachar até à última migalha. Têm todas nomes de filmes italianos – destaque para a Il Gato Pardo, com fiambre e cogumelos, e a Quarto do Filho, com pimento, cogumelos e curgete – e os preços são bem em conta. 

Publicidade
Lambrettazzurra - Baronissi
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pizza

Lambrettazzurra Pizzeria

icon-location-pin Cascais

É um pequeno restaurante de pizzas napolitanas, idealizado por um brasileiro que ficou famoso em Cascais por vender biquínis. Inusitado, mas verdadeiro. Um autêntico caso de popularidade na vila, com excelentes pizzas, como esta La Pulcinella, a jóia da coroa. Leva cogumelos porcini, tomate seco, pasta de trufa branca, queijo taleggio, queijo pecorino e azeite.

PIZZA FORNERIA
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Italiano

Forneria

icon-location-pin Parque das Nações

Há poucas coisas na vida tão reconfortantes como uma pizza de presunto e cogumelos. Na Forneria, a nova pizzaria do Parque das Nações, aberta no final do ano passado, Vítor Cunha, o antigo chef da pizzaria Casanova, faz uma massa fininha e estaladiça recheada com tomate, mozzarella flor de leite, cogumelos frescos e presunto.

Publicidade
Pizza Romana al taglio
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pizza

Pizza Romana Al Taglio

icon-location-pin Baixa Pombalina

Já se sabe que não são só as pizzas redondinhas que valem: a base grossa e o formato rectangular na pizza representam um dos snacks mais amados pelos romanos e, pela qualidade da que se faz aqui, prometem entrar na rota obrigatória dos lisboetas que gostam de se misturar com a turistada da Baixa. As farinhas usadas são integrais, a fermentação longa (ajuda na digestão) e as combinações estão sempre a mudar. Experimente a de batata.

Camera
Restaurantes, Pizza

La Pizza di Nanna

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

A geladaria Nannarella e o restaurante Il Matriciano juntaram os trapinhos e abriram um restaurante para comer pizza à fatia. Todos os dias há supplí (uns croquetes com arroz, carne e mozarela) e cinco variedades de pizza diferentes: a de batata e alecrim; a Rossa, de tomate pelado San Marzano, Azeite extra virgem e mozarela; a clássica Margherita; uma recheada de fiambre, mozarela e mortadela e uma que varia todos os dias. São vendidas a peso.

Publicidade
Pizzaria Luzzo - Onassis
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Luzzo

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A Luzzo estreou-se na Rua de Santa Marta e entretanto já é um império do franchising em Lisboa e Norte do país. As pizzas cruzam ingredientes portugueses com os melhores italianos. São de massa fina, confeccionada em forno de lenha e podem conjugar alheira com espargos laminados (a Rústica) ou trufa negra com pascas de parmesão e azeite trufado (a Tutti-Trufi). Recomendamos também a Onassis, com camarões salteados e vieiras com molho de champanhe e coentros. 

A Time Out diz
Restaurantes, Pizza

Maritaca

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Quando a pizzaria Maritaca saiu da Avenida 24 de Julho abriu um vazio nos nossos corações. Depois instalou-se na Lapa, com outros donos, e manteve alguns dos ex-libris – caso das pizzas com queijo catupiry. São servidas em tamanho pequeno ou médio, ou em tabuleiros (bons para dividir). A massa é fina, bem ao estilo napolitano.

Publicidade
Valdo Gatti
Arlindo Camacho
Restaurantes, Italiano

Valdo Gatti

icon-location-pin Grande Lisboa

Abriu no Bairro Alto e forte da casa são as pizzas. Biológicas. Há uma ou outra salada, um tiramisú, bolo de chocolate e gelados da Nannarella para a sobremesa e é tudo. O pizzaiolo é António Menghi, um italiano da região da Apúlia, que trata das massas que ficam umas 48 horas, no mínimo, numa câmara de fermentação e são feitas com grão europeu, importado de Itália. Informação útil: para chegar a esta Valdo Gatti há que entrar por uma das ruas estreitas do Bairro Alto, vindo da zona do elevador da Glória.

sora lella, pizza mezzo metro, pizza romana
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

Sora Lella

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

O Il Matriciano al Mare fechou para dar espaço a esta pizzaria. Não se fixe nas más notícias porque agora a carta daquele italiano dedicado ao peixe está no Il Matriciano, ali bem perto. Na Sora Lella, que pediu o nome emprestado a uma actriz italiana, comem-se pizzas ao estilo romano, com massa ligeiramente mais alta e crocante. As combinações de ingredientes ganharam nomes de italianos famosos e podem juntar-se até quatro numa só pizza de meio metro (de 22€ a 24€). Juntam-se uns antipasti como os arrosticini, espetadas de ovelha típicas de Abruzzo (10€), e está feita a refeição para uns três ou quatro.

Os melhores restaurantes em Lisboa

Il Matriciano carbonara
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores pratos de massa em Lisboa

Entre restaurantes italianos com poucos anos de vida, pratos novos em cartas antigas e prémios atribuídos pelo Governo de Itália, fomos à procura dos melhores pratos de massa em Lisboa, cozinhados al dente e cronometrados ao minuto por quem percebe do assunto.

Snack-Bar Galeto
© João Palla Martins
Restaurantes

Restaurantes abertos até tarde em Lisboa

Se já lhe aconteceu ter a barriga a dar horas já tarde, este guia é para si. A fome é coisa que nem sempre dá para controlar e, pelos mais variados motivos, pode dar por si fora de horas a procurar um sítio onde comer um bom bife a cavalo com batatas fritas, enfardar uma paella ou devorar uma pizza com todo o queijo que tem direito. Ainda que Lisboa tenha umas quantas panificadoras abertas fora de horas, como a do Bairro Alto ou a da Praça do Chile, às vezes o estômago precisa mesmo de mais aconchego. Não é fácil: ora a cozinha fecha cedo, ora começa a chegar aquela hora perigosa em que empregados de cozinha e de sala o rondam, fecham as luzes e dizem educadamente que é hora de sair. Corremos a cidade e encontramos 11 bons restaurantes abertos até tarde. 

Publicidade
Esplanada Rio Maravilha
Fotografia:Arlindo Camacho
Restaurantes

15 restaurantes para jantar e beber um copo sem sair de lá

Não precisa de percorrer as capelinhas todas. Nestes restaurantes – de fine dining, comida do mundo ou portuguesa reinventada – pode jantar, beber um copo e deixar-se ficar para dançar. São o perfeito dois em um (ou até três em um). Marque mesa num destes sítios e comece e acabe a noite no mesmo sítio. Sempre em bom.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com