Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Yoga, meditação e alimentação: os pilares da nova plataforma de aulas online
Gaya Immersions
Gaya Immersions

Yoga, meditação e alimentação: os pilares da nova plataforma de aulas online

A Gaya Immersions oferece aulas online como experiências imersivas.

Publicidade

O confinamento provou que quase tudo pode ser transformado e adaptado ao digital, que mesmo à distância podemos continuar a fazer o que dantes parecia possível só fisicamente, e a Gaya Immersions é exemplo disso. Nesta plataforma global online, com aulas virtuais diárias, estão unidos os três vértices do triângulo – o yoga, a meditação e a alimentação consciente.

Sara Montes é o nome e a cara do projecto que, finalmente, ganha forma onde sempre quis, em Lisboa, apesar de chegar a todo o mundo. Disse adeus a Timor Leste, onde era assessora do ministro do Turismo, para voltar às raízes e a uma das suas maiores paixões, o yoga. Com uma mãe muito ligada ao espiritualismo e um pai empreendedor, Sara sempre conseguiu angariar o melhor dos dois mundos.

Inspirada pelas tradições do yoga e pelas práticas rituais antigas que aprendeu na Índia e em Bali, Sara criou a Gaya Immersions, com a qual chegou a fazer inúmeros eventos por todo o mundo, mas a vontade de trazer para Portugal um projecto que “fosse ao encontro do que se faz mais a nível europeu nesta área”, diz, sempre foi a sua vontade. 

É assim que nasce a plataforma Gaya Immersions, um espaço agregador que junta uma comunidade global de professores, artistas, healers e cientistas pronta a dar a conhecer técnicas de yoga e auto-conhecimento a outra comunidade, mas de alunos. 

“Era muito mais fácil para nós gravar vídeos e colocá-los online, mas há uma conexão muito maior em directo, é o que nos distingue de outras plataformas”, explica Sara. “No fundo queremos que cada pessoa consiga encontrar um equilíbrio no seu estilo de vida, que consiga adaptar a si o que mais lhe convém, seja no yoga ou na alimentação”. 

As aulas na plataforma são diárias, acontecem em tempo real e podem receber a participação máxima de 250 alunos, numa espécie de experiência imersiva. As aulas dividem-se em três categorias: Ciência do Yoga, Cura e Culinária Consciente – esta última numa parceria com a NOS Escola, uma escola brasileira de bem-estar e saúde integral. 

“Somos pessoas normais, trabalhamos noutras áreas ou já tivemos trabalhos noutras áreas, é preciso quebrar o que ainda existe daquele estereótipo de sermos alternativos”, explica Sara. “O yoga aliado a outras componentes é uma ferramenta que podemos usar no dia-a-dia, e não é preciso sermos radicais, podemos ter a ajuda da própria ciência”.

Além de Sara, o projecto conta com a colaboração de outros especialistas portugueses e internacionais, com grande experiência nas devidas áreas. É o caso da alemã Stefanie Birkholz, professora de Ashtanga Yoga, a venezuelana Andreina Vila, professora de Vinyasa Yoga, a islandesa Jini Afonso, professora de Hatha Yoga, e a brasileira Anna Elisa de Castro, conselheira de saúde e fundadora da NOS Escola.

Antes de se atirarem de cabeça, os praticantes podem sempre ter acesso ao trial gratuito de três dias, sendo depois as inscrições feitas no site. Estas podem decorrer de duas maneiras: ou numa modalidade de pagamento de aula avulso (7,5€) ou por mensalidade (45€). As inscrições estão abertas e quem se inscrever até 1 de Julho usufrui de um desconto durante o primeiro ano de utilização, pagando apenas 30€ por mês.

Os horários estão disponíveis no site e as aulas são reservadas através do mesmo. Só depois recebe um link para a transmissão em directo da respectiva aula. 

Quando tudo acalmar, Sara vai finalmente abrir o seu estúdio na Avenida da Liberdade, no Hotel Hotel, mantendo sempre a plataforma online porque “com esta situação provámos que é possível fazer tudo através de um ecrã, e cria outras oportunidades”, diz.

Está previsto para breve o lançamento de cursos online, numa modalidade mais intensiva e para quem quer aperfeiçoar determinadas técnicas, havendo, aí sim, contacto directo com os professores, ainda que virtual.

+ Ponha-se à fresca: experimente treinar ao ar livre em Lisboa

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade