Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Descobrir a Ria Formosa: guia essencial para um dia de passeio

Descobrir a Ria Formosa: guia essencial para um dia de passeio

Saímos de Cabanas de Tavira em direcção à cidade a bordo de um barco movido a energia solar. Regressámos de tuk tuk (calma!) e descobrimos que há mais para ver em Tavira além das das praias

Tavira
DR
Por Nelma Viana |
Publicidade

A Quinta dos Perfumes, um agroturismo de luxo em Cabanas de Tavira, foi o ponto de partida para uma visita à cidade. Em apenas 10 minutos de bicicleta chegámos ao porto de recreio com destino marcado para o centro da cidade. Por lá, vimos Tavira com olhos de ver, descobrimos a arquitectura do centro histórico, sentámo-nos a comer o peixe mais fresco da região e ainda embarcamos num tuk tuk que nos levou pelas salinas e por uma visita guiada pela pesca de atum.

Recomendado: Quinta dos perfumes: na paz das laranjeiras

Tavira
DR

É mesmo em frente ao mítico restaurante Noélia e Jerónimo que está combinado o encontro com Rudi e Tomás, biólogo marinho e engenheiro ambiental, respectivamente, e que são os mestres de cerimónia dos passeios de barco da Solar Moves (www.solarmoves.pt 92 436 9172), a única empresa de Tavira com embarcações de recreio movidas a energia solar. É provável que algures na vida já se tenha metido numa das excursões pela Ria Formosa e é também provável que não tenha conseguido trocar uma palavra com a tripulação por causa do ruído dos motores.

Ora, os barcos da Solar Moves, só para ter uma ideia, navegam as águas cristalinas da região silenciosamente. Têm dois motores de 300 watts cada e fazem menos estardalhaço que um simples aspirador doméstico. Dependem somente da existência do sol para se fazerem ao caminho e têm autonomia para um dia inteiro de viagem.

A bordo, e porque a ideia é dar a conhecer a biodiversidade da região respeitando os princípios da sustentabilidade e preservação ambiental, há uma mesa com frutos secos, sumo de laranja, água fresca e espumante para acompanhar a viagem. Além dos passeios pré-definidos, que podem variar entre as vilas piscatórias de Tavira, observação de pássaros e espécies autóctones, mergulhos no mar e uma visita guiada pelo cais de Cabanas, a modalidade “escolha você” permite desenhar experiências personalizadas para até 12 pessoas, mediante orçamento. Quer sushi a bordo? Dá para fazer. Uma mariscada com os amigos? Também se arranja. Os preços começam nos 25€ por pessoa para 90 minutos de passeio e podem chegar aos 50€ para 210 minutos entre Cacela Velha e o Cais de Tavira.

Tavira
DR

Chegando ao destino, vale a pena dar corda aos sapatos e ir conhecer a cidade. Mas antes, uma paragem muito necessária para almoçar no restaurante Álvaro de Campos, em pleno centro histórico (Rua da Liberdade, 47. 28 102 3496). Depois de entreter o estômago com as amêijoas com alho e coentros (12€), o lombinho de robalo com arroz de berbigão e limão (14,50€) é uma das sugestões apresentadas pelo chef Luís Brito (também ao comando do A Ver Tavira, o único restaurante de fine dining da cidade) e um óptimo representante da gastronomia local.

Publicidade
Tavira
DR

O regresso à Quinta dos Perfumes faz-se à boleia da Tuk Tuk Tavira (91 335 2830) e é Filipe Saleiro, um dos sócios, nascido e criado em Tavira, que orienta a visita guiada sem nunca cair nos óbvios pontos turísticos. Descobrimos as portas de Reixa para lembrar a influência árabe que ainda hoje faz parte da arquitectura da cidade, paramos na Garrafeira Soares (Largo Dr. José Pires Padinha 67-70. 281 381 839) para um vinho do Porto rápido e ficamos de olho na carta de petiscos que geralmente acompanha as provas de vinho na casa. A chamuça de cavala em molho de caril e gengibre (8€) vai ter de ficar para a próxima. Para já, seguimos viagem em direcção às salinas. A todos os que têm comichões mal ouvem falar de tuk tuk (lisboetas, estamos convosco!), esta é de facto uma experiência a considerar para conhecer a história da pesca do atum.

Tavira

Das salinas ao Arraial Ferreira Neto, uma comunidade de pescadores formada na década de 40 perto das Quatro Águas, com uma escola, uma igreja e um núcleo museológico, passa-se uma boa meia hora, mas há passeios mais demorados para quem quer sair da cidade e ir, por exemplo, fazer uma ronda pelas adegas de vinho e pequenos produtores de azeite – o incrível Monterosa faz parte da viagem e é um projecto que vale a pena conhecer, mais que não seja para ter o privilégio de provar um dos melhores azeites da actualidade – ou até ter uma experiência de golfe num dos campos vizinhos. Nesse caso, Filipe troca o tuk tuk por uma carrinha e leva os clientes a desbravar alguns trilhos pedestres da serra de Monchique. Os passeios começam nos 25€ para duas pessoas, mas o melhor é ligar directamente e combinar um passeio à medida.

Outros passeios

Publicidade