White Exclusive Suites & Villas: de braços dados com o Atlântico

O novo hotel de luxo açoriano é como um oásis no oceano. Dormimos no White Exclusive Suites & Villas e sentimo-nos como peixe dentro de água.
white exclusive suites & villas
©Paulo Goulart Photography
Por Cláudia Lima Carvalho |
Publicidade

Verdade seja dita: não há quaisquer fotos que façam justiça ao White Exclusive Suites & Villas. Constatamos isso mal entramos neste novo hotel da ilha de São Miguel. A porta abre-se para nos receber e a primeira coisa que salta à vista é o mar. Umas portas largas em vidro, numa parede de pedra antiga, são o cartão de boas-vindas. De tal forma que nem fazemos o check-in. Pousamos as malas para seguir o caminho do mar e descobrimos então um terraço de suspirar: uma piscina que parece abraçar o Atlântico, espreguiçadeiras e mais sofás.

White Exclusive Suites & Villas

white exclusive suites & villas
©Paulo Goulart Photography

Não é por acaso que não fizemos logo o check-in. Um dos mandamentos deste hotel, que abriu portas no Verão, é os hóspedes fazerem a vida ao ritmo que quiserem. Sem pressas, sem regras, sem formalidades. Quase como se estivessem em casa. E não foi, de facto, difícil sentirmo-nos em casa de amigos, daqueles que conhecemos há muito tempo. Para isso muito ajudou João Almeida, o guest relations do White. É ele quem recebe os hóspedes, que até pode ir buscar ao aeroporto como foi o nosso caso, que fica a menos de dez minutos dali. Na verdade, ainda nem tínhamos aterrado e já João nos tinha enviado um email a prometer uma estadia “única e memorável” com um programa para os dias que ali estaríamos.

Mas voltemos à picisna donde ainda não saímos. Não bastava ter uma vista infinita, como é de água salgada e aquecida. “Já tivemos quem ficasse na piscina a trabalhar. Outros até querem comer dentro de água”, conta João, lembrando que ainda há pouco tempo, durante uma tempestade, uns turistas noruegueses fizeram questão de assistir a tudo dentro da piscina.

White Exclusive Suites & Villas
Paulo Goulart Photography

Publicidade
white exclusive suites & villas
©Paulo Goulart Photography

Há nove suites e uma villa, que tem um terraço próprio com um jacuzzi, também ele em cima do mar. Não há quartos iguais, mas todos eles são espaçosos, equipados com uma kitchenette e, mais importante, todos virados para o mar. Os quartos do primeiro andar têm todos varanda, os que ficam em baixo têm um terraço enorme.

O nome não é por acaso: todo o hotel – instalado num antigo solar que, raza a história, era uma casa de férias integrada numa propriedade de produção vinícola – é branco. João e Catarina Reis, os proprietários, fizeram questão de manter as características da arquitectura vernacular açoriana e isso nota-se na parede da entrada do edifício e em alguns quartos (um deles mantém a estrutura da antiga adega, por exemplo).

Mas a grande inspiração vem, na verdade, da Grécia, mais propriamente das ilhas gregas, destino predilecto do casal. É lá, em especial em Santorini, que passam férias, e dali trouxeram muito daquilo que fazem deste um espaço único nos Açores. Ou “exclusivo”, como gostam de frisar.

Paulo Goulart Photography
Hotéis

Comer onde e quando quer

E porquê exclusivo? Porque é assim que todos os hóspedes são tratados. O restaurante Cardume, é um bom exemplo disso: é apenas para clientes e não tem horas ou espaço restrito. Os hóspedes comem quando e onde querem. Nós ora comemos ao lado da piscina, ora no espaço do restaurante. Mas há quem prefira o sossego da varanda do quarto ou um recanto no terraço que fica numa colina de rocha vulcânica. Para tomar o pequeno-almoço, bem composto e onde não faltam produtos da região – do queijo da ilha ao bolo lêvedo –, combina-se a hora e o sítio no dia anterior.

Por momentos, até esquecemos que estamos nos Açores. Sentimo-nos apenas numa ilha, a ilha do White. 

Publicidade

Como chegar
A partir de 85€ (ida e volta) pela TAP. No aeroporto, pode apanhar táxi ou combinar com o pessoal do White para o irem buscar à zona das chegadas.

Preços
Quartos a partir dos 185€ com pequeno-almoço

GPS

Camera

Para comer

Como já percebeu, não precisa de sair do hotel para comer bem. No Cardume pode provar, por exemplo, bom peixe dos Açores. Recomendamos o peixe confitado com molho de maracujá (26€). O peixe é branco e é o que se apanhar no mar, para que não tenha dúvidas de que é sempre fresco. O tagliatelle de lagosta (32€) ou a costeleta do acém (24€) são outras recomendações. Se está mais para o petisco, vá nuns folhados de morcela com ananás dos Açores, de comer e chorar por mais. Fugindo ao óbvio, vale a pena provar
o sushi do Santa Bárbara Eco-Beach Resort (Estrada Regional no1, 1o Morro de Baixo, Ribeira Grande). É uma das grandes apostas do restaurante, onde o peixe, em especial o atum, é rei. O hotel também lhe prepara um piquenique, caso lhe apetece passear pela ilha.

Camera

Para fazer

O hotel dispõe de um vasto programa para os hóspedes, de passeios pela ilha, a mergulhos e snoorkeling no Atlântico. Até à pesca pode ir. Confie em nós e deixe-se guiar por João Almeida. Ele sabe o que está a fazer e conhece a ilha como poucos, de tal forma que tem sempre resposta para qualquer pergunta, por mais estapafúrdia que lhe possa parecer. O melhor guia, no entanto, que pode ter para esta viagem é mesmo o nosso. Onde comer, onde dormir para lá do White, e o que fazer não apenas em São Miguel, mas em todas as ilhas. Leve consigo uma Time Out Açores. Está nas bancas.

Aproveitar São Miguel

Spa da Ferraria
Fotografia: Rui Soares
Viagens

10 ideias para se pôr de molho em São Miguel

Nem só de Lagoas se faz São Miguel. Ponha as pernas de molho, gele os ossos num mergulho no Atlântico, salte para uma piscina de rochas ou nade em águas de terra - nesta ilha há opções para todos (e são todas tão boas). Pegue no fato de banho e vá até uma destas 10 maravilhas de água em São Miguel. 

lagoa do fogo
Fotografia: Rui Soares
Coisas para fazer, Caminhadas e passeios

As melhores coisas para fazer em São Miguel

E aqui está o single de apresentação. O cartão de visita das nove ilhas, a canção que toda a gente anda a trautear. É a mais conhecida, a maior e a mais acessível das nove ilhas, aquela que está nas bocas do mundo – mas cuja dimensão e oferta podem ser demasiado grandes para mastigar. Não se preocupe, está aqui a papinha toda a feita: um roteiro para aqueles que querem passar um, dois ou três dias em São Miguel.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com