Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Jubilant Relax: a criatividade mora aqui

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Jubilant Relax
© João Saramago Jubilant Relax

Jubilant Relax: a criatividade mora aqui

Fica fora daquele que é considerado o quarteirão mais artístico da cidade, mas vale a pena fazer um desvio para ir conhecer este espaço multifacetado no Bonfim, onde a arte reina nas suas mais variadas expressões

Por Patrícia Santos
Publicidade

Que o Porto respira arte por todos os poros, não é novidade. A quantidade e a qualidade das galerias que se espalham pela cidade é a prova disso mesmo. A abertura do Jubilant Relax, onde a produção musical, a arte gráfica, a gravura em madeira, a serigrafia, a dança, a fotografia e o grafite convivem sob o mesmo tecto, vem reforçar a ideia, ao dar aos apaixonados pela arte mais um sítio para apreciá-la como deve ser e para dar largas à criatividade. O espaço tem ainda um bar com snacks para petiscar a qualquer hora do dia, para que a fome não lhe afecte a imaginação.

Recomendado: Oito espaços dois em um no Porto

Jubilant Relax: a criatividade mora aqui

Jubilant Relax
Jubilant Relax
© João Saramago

Trio improvável

Andre Jundi (aka dorobô) e Bruno Lorenzi (camutuê) são naturais de Marília, no estado de São Paulo, mas os seus caminhos nunca se cruzaram muito por lá. A aproximação aconteceu quando Andre veio ao Porto passar música num evento e resolveu entrar em contacto com Bruno, que já cá estava a estudar, para que se pudessem encontrar e este o ajudasse a ambientar-se. Em conversa, Bruno revelou que trabalhava num estúdio de tatuagens mas tinha vontade de mudar-se para um espaço seu. Andre ficou com a pulga atrás da orelha – até porque, juntamente com um outro amigo, Felipe Parra (mocors), também queria um lugar onde pudesse dedicar-se às suas artes. Estes, em vez de avançarem com o projecto no Brasil, mudaram-se para a Invicta e, pouco tempo depois, surgiu o Jubilant Relax, um sítio de trabalho artístico. A situação política que o país de onde são naturais atravessa (que complica a vida de quem trabalha com arte), pesou na decisão de atravessarem o Atlântico, explica Bruno. E aqui há espaço para todos, salientam. Para este trio improvável e para quem se quiser juntar a eles, a trabalhar por lá, por exemplo, nas mesas da esplanada. Só não cabem preconceitos, avisam.

Jubilant Relax
Jubilant Relax
© João Saramago

Espaço versátil

A área é ampla – além da esplanada, há espaço para um estúdio de tatuagem, um café e uma loja – o que propicia a realização de diferentes tipos de eventos. E isso é o ideal, já que um dos objectivos desta equipa é ter um calendário de actividades bastante preenchido. A organização de exposições, mostras de cinema, oficinas, feiras, cursos ou concertos será uma constante, prometem. Mas os interessados também podem fazer propostas, desde que as iniciativas em questão estejam de acordo com a filosofia deste espaço no Bonfim. Mas damos-lhe uma dica: uma vez que o Jubilant Relax é versátil q.b., por estas bandas é possível desenvolver trabalhos de produção musical, arte gráfica, gravura em madeira, serigrafia, dança, fotografia e grafite.

Publicidade
Jubilant Relax
Jubilant Relax
© João Saramago

Bar aberto

Sabemos bem que de barriga vazia o cérebro não funciona da mesma maneira, portanto, o espaço também tem um bar, pois claro, com snacks para petiscar a qualquer hora do dia. Para beber, embarque numa viagem até ao Brasil e experimente algumas bebidas típicas. Paratudo, Jurubeba, Brasilberg e Rabo de Galo são os seus bonitos nomes.

Mais arte no Porto

Viola
©Casa Museu Teixeira Lopes

16 obras de arte para ver no Porto

Arte Obra-prima

Provavelmente nunca reparou, mas há muitas obras de arte espalhadas pela cidade e, algumas delas, estão mesmo debaixo do seu nariz. A pensar na sua cultura geral e artística, reunimos 16 obras de arte para ver no Porto, de visita obrigatória. Da pintura à escultura, passando pela arte urbana, onde aparecem murais grafitados, até colecções únicas de soldadinhos de chumbo em museus, aqui tem um pouco de tudo. Para admirar sozinho ou acompanhado, com amigos ou em família, pegue nesta lista, dê um passeio pela cidade e aplauda os artistas da Invicta.

Coral Books
© Marco Duarte

Três projectos em que os livros são as obras de arte

Arte

Emmanuel Nassar, Julião Sarmento, Albuquerque Mendes, Antoni Tàpies, Rafa Forteza, Jaume Plensa, Sobral Centeno, Filipe Cortez, Carolina Pimenta e João Vieira Paiva são alguns dos artistas envolvidos nestes três projectos em que os livros são as obras de arte. As peças, que se caracterizam por uma qualidade e criatividade rara, aparecem sobre múltiplos formatos. Na Coral Books, por exemplo, foram de um livro em fole para os desenhos de Siza, a outro em rolo para os de Nikias, passando por um postal de Manuel Casimiro ou uma caixa-moldura para Bernardo Pinto de Almeida.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade