As 14 melhores lojas no Porto

Antes de começar a ler, temos de o avisar: este artigo é muito (mas muito) perigoso para shopaholics. Aqui tem as 14 melhores lojas no Porto
Coração de Alecrim
© João Saramago Coração Alecrim
Por Editores da Time Out Porto |
Publicidade

OH VAI-ME À LOJA! Atenção: ninguém o quer insultar, apenas sugerir que conheça a fundo as melhores lojas no Porto. É que numa cidade como esta, tão ecléctica, há lojas para todos os gostos, idades e carteiras. Há espaços onde pode recordar algumas das marcas mais históricas da cidade, como também há outras mais modernas com peças de artistas conhecidos da nossa praça. Por aqui vai encontrar desde decoração para a casa, vestuário (vintage ou não), calçado, joalharia, cosmética e até bicicletas. E como a vida precisa de banda sonora, também há lojas para aqueles fãs de música que acham que o som do vinil é o mais incrível. 

Recomendado: As novas lojas no Porto que tem de conhecer

As melhores lojas no Porto

Claus Porto
© João Saramago
Compras

Claus Porto

icon-location-pin Flores

Caíram as monarquias e as repúblicas, instauraram-se ditaduras e fizeram-se revoluções. Tudo mudou, menos a Claus Porto, a marca de sabonetes portuense que se manteve firme, de pedra e cal, ao longo de 130 anos. Além de um primeiro piso com produtos para venda, tem também uma galeria visitável onde contam a história da marca ao longo de quatro gerações. Nela, reuniram desenhos feitos à mão, litografias e recortes de jornais, mas não se ficaram por aqui. No terceiro andar, há ainda um laboratório para workshops e uma máquina dos anos 40 que produz sabonetes.

A Eleven Lab Concept fica na Foz virada para o Douro
Marco Duarte
Compras

Eleven Lab Concept

icon-location-pin Porto

Na Rua do Ouro há uma loja bonita e bem decorada, em tons de branco, preto e acobreado, que não só vende peças de várias marcas estrangeiras – algumas ainda com pouca expressão no Porto – como também serve boa comida. “Tudo começou em Luanda, quando abrimos uma loja de roupa. A ideia de andarmos todos vestidos da mesma forma faz-me um pouco de confusão, por isso, andei em vários showrooms pela Europa à procura de novas marcas para levar para lá. Agora, faço o mesmo aqui”, conta Joana Ferreira, a dona.  Pelos varões da loja há peças de marcas bem conhecidas lá fora, como a versátil Zoe Karssen, de Amesterdão, que trabalha com algodão orgânico; a Hemant & Nandita, num estilo hippie chic com vestidos e túnicas em seda e algodão, bordados à mão; ou a marca Kendall + Kylie, das irmãs Jenner (que são também irmãs das Kardashians). Para comer há tostas com salmão fumado e queijo creme, ovos Benedict ou rancheiros, hambúrgueres de carne maturada, smoothie bowls, panquecas e tapiocas.

Publicidade
Mon Père
©DR
Compras, Lojas vintage

Mon Père

icon-location-pin Baixa

A Mon Père é uma espécie de Camden Town em ponto pequeno. A famosa zona londrina com mais lojas e mercados vintage por metro quadrado parece estar condensada neste espaço, em que a maioria da roupa parece ter sido escolhida a dedo para vestir clientes assíduos de festivais de música ou fazer as capas de revistas como a Nylon. Entre camisas coloridas, camisolões, bijuteria, casacos, kispos, turbantes, saias, óculos e até fatos de banho (não se admire se tiver vontade de comprar um fora de época) é demasiado fácil perder-se de amores com várias peças. Mariana Araújo decidiu “deixar de ser uma geek da internet” e transformou a loja online num espaço físico, onde vende (a preços bem simpáticos, refira-se) aquilo que compra em feiras, a fornecedores de todos os cantos do mundo e em viagens pela Europa. 

Na parte de trás da loja fica o ateliê
©Cláudia Paiva
Compras, Joalharia

Dalila Gomes Jewellery

icon-location-pin Baixa

Dalila só recebe clientes mediante marcação, uma vez que passa grande parte do tempo no ateliê, na parte de trás da loja, rodeada de laminadores, martelos de serralheiro, alicates de diferentes tamanhos, polidoras e adrastas mecânicas. As máquinas e as ferramentas brutas que criam as peças delicadas que vende. “Quando me despeço de um cliente, visto a bata, apanho o cabelo, meto mãos à obra e fico toda preta em minutos”, ri. Licenciada em arquitectura, trabalhou com Siza Vieira e com ele coordenou projectos na Coreia do Sul e no Japão. Mas desde criança que sentia um fascínio pela joalharia. “Pedia às minhas avós e à minha mãe para ver as jóias de família e ficava encantada com os pormenores”. A joalharia só apareceu na sua vida muitos anos mais tarde. Todos os dias, Dalila passava a caminho de casa por uma escola que dava cursos em horário pós-laboral. “Na primeira aula aprendi a serrar metal. Cheguei a casa tão feliz, que percebi logo que era isso que  eu queria fazer.” O trabalho de Dalila diferencia-se pelas peças únicas e personalizáveis que cria – fez umas alianças de casamento que encaixavam uma na outra, por exemplo, para um casal na Coreia do Sul. E aposta sobretudo na geometria e na ilusão de óptica. “Gosto que as peças tenham um segredo, que exijam um segundo olhar.”

Publicidade
vida portuguesa
© Marco Duarte
Compras

A Vida Portuguesa

icon-location-pin Galerias

Já toda a gente sabe desta história: Catarina Portas fez o milagre de ressuscitar marcas nacionais mortas há uma data de tempo. As lojas são o sonho de qualquer turista que não se contenta com um íman de frigorífico como recordação, mas também um lugar obrigatório para quem tem saudades dos sabonetes Confiança e das conservas Minerva. Aberta desde 2009, a variedade é mais do que muita e vai dos brinquedos da era pré-electrónica ao estacionário que parou no tempo. Pelo caminho, há faianças, mantas, moda e iguarias diversas, tudo 100% português e com ares de outras épocas.

Almada 13
©João Saramago
Compras

Almada 13

icon-location-pin Galerias

São cinco lojas dentro de uma. É assim que se escreve a história da Almada 13, que abriu pela mão de cinco sócios. São elas a Cork&Co, com produtos de design feitos em cortiça, da qual Mariana Sarmento é responsável; a Yellow Boat, com peças de decoração e roupa inspirada na temática náutica; a We - Rota do Chá, com chás e respectivos acessórios; a Águas Furtadas, de Rute Arnobio, que vende artesanato contemporâneo; e ainda a Aldeias Históricas de Portugal, uma marca que reúne peças de roupa e acessórios de 13 aldeias portuguesas. Como vê, há muito por onde escolher.

Publicidade
Coração de Alecrim
© João Saramago
Compras

Coração Alecrim

icon-location-pin Cedofeita

Tem uma das portas mais coloridas da Baixa, o convite perfeito para entrar numa loja onde tudo o que é local, feito à mão e sustentável ganha protagonismo. Plantas, roupa, acessórios e decoração também fazem parte do recheio.

Castelbel
© João Saramago
Compras, Cosmética

Castelbel - Flagship Store

icon-location-pin Flores

Atingida a maioridade, chegou a hora da Castelbel arranjar casa própria. Esta empresa especializada no fabrico de produtos perfumados de luxo para a casa e para o corpo, fundada em finais de 1999 em Castêlo da Maia, mora agora no Palácio das Artes, bem no coração do Porto.

Publicidade
Matéria prima
©DR
Compras, Estilo de vida

Matéria Prima

icon-location-pin Cedofeita

A Matéria Prima é um clássico portuense e uma loja que procura as abordagens mais singulares da música. Com 20 e poucos anos de vida, mudou-se para a Miguel Bombarda. Além de música, vende livros e revistas para todos os géneros, e partilha o espaço com a Galeria Dama Aflita, que, além de ilustrações, também vende livros e fanzines.

A loja da CRU vende sobretudo marcas nacionais
©DR
Compras

CRU Cowork

icon-location-pin Cedofeita

A CRU é um hub criativo, localizado no quarteirão artístico do Porto, que combina em 400m2 uma loja de autores, uma galeria, oficinas e um espaço de coworking. Na loja vendem peças de alguns dos melhores criadores do momento. Apaixonados pelas artes, o processo de selecção de tudo o que enche as prateleiras é cuidado. Por lá vai encontrar vestuário, acessórios, calçado, joalharia, ilustração, plantas, e artigos de decoração de marcas independentes, sobretudo com design português.

Publicidade
Banema Studio
© Marco Duarte
Compras, Designer

Banema Studio

icon-location-pin Cedofeita

Está no edifício da antiga Padaria Independente, que já foi usado como uma extensão da Galeria Fernando Santos. Reabriu em Junho com um novo conceito e dividida em dois: Banema Lab e Banema Studio. Na Banema Studio encontra vários tipos de artigos assinados por designers portugueses e estrangeiros, desde velas a candeeiros. No segundo piso fica o Banema Lab, um espaço que alberga o showroom da Banema, empresa de madeiras e derivados. Faz ainda parte da filosofia do espaço a organização de eventos, desde exposições a workshops, ou lançamentos de livros. 

Bae
© DR
Compras, Sapatos

Bae

icon-location-pin Santa Catarina

A Bae existe na cidade-berço desde 2016, mas, mais recentemente, decidiram abrir um espaço na Invicta com dois andares. No primeiro piso, com vista para os Clérigos, fica a loja com mais de uma centena de pares de sapatilhas, de marcas bem conhecidas como a New Balance, a Vans, a Puma, a Le Coq Sportif e a Adidas. O segundo andar é ocupado pela galeria, onde estão expostas peças de vestuário e acessórios de marcas de streetwear, como a Wood Wood, a Soulland, a Stussy, a La Paz e a Monokel. E ainda pelo museu, que conta com cerca de 70 pares de sapatilhas clássicas, algumas com mais de 50 anos.

Publicidade
A Amacau fica na Foz
©Marco Duarte
Compras

Amacau

icon-location-pin Porto

Esta loja na Foz, junto ao Douro, além de ter muito mobiliário para venda, desde espelhos, cadeiras e aparadores antigos, tem também elementos de decoração como cerâmicas portuguesas, tapetes trabalhados e almofadas. Mas não é tudo. A Amacau destaca-se ainda por desenvolver, num espaço cowork, projectos de decoração de interiores e de reabilitação ou remodelação para habitação e hotelaria. “Eu sou arquitecta e em 2009 comecei a fazer decoração para alojamento local. Foi nessa altura que me comecei a dedicar também à compra, venda e restauração de mobiliário. Sempre gostei de dar um novo uso a peças que já não tinham grande valor”, conta Ana Couto, a dona.

Chelo Coast House
© Marco Duarte
Compras, Estilo de vida

Chelo Coast House

icon-location-pin Matosinhos

Marie Lenormand é francesa, Marcelo Pizarro é chileno e juntos abriram a Chelo Coast House, uma loja que é também uma oficina e uma cafetaria com comida saudável. Neste “espaço de convívio”, como Marie e Marcelo lhe chamam, vendem bicicletas, fatos de surf e têm ainda um recanto com café proveniente do comércio justo e bolos caseiros feitos com farinha integral.

Lojas que também merecem uma menção honrosa

Patch Porto
©João Saramago
Compras, Lojas vintage

As melhores lojas vintage no Porto

É difícil passar ao lado do boom que assolou a cidade com lojas que vendem peças de outros tempos. Para se orientar entre tanta e tão boa oferta, escolhemos as melhores lojas vintage no Porto, uma vez que para compras em segunda mão a Invicta já é uma referência.

Banema Studio
© Marco Duarte
Compras, Decoração

As 12 melhores lojas de decoração no Porto

Decorar a casa não precisa de ser uma dor de cabeça, só tem de encontrar a loja certa. Pegue nesta lista com as 12 melhores lojas de decoração no Porto e comece já à procura daquele candeeiro de abajur com o qual sempre sonhou, do aparador vintage que iria ficar tão bem na sua sala de estar, ou de uma mesa de apoio mais moderna. 

Publicidade
Patch Porto
©João Saramago
Compras

As melhores lojas alternativas no Porto

Farto de fazer compras sempre nos mesmos sítios? Fuja das multidões e vá respirar outros ares. Quer precise de renovar o armário, adicionar páginas à sua livraria ou lhe apeteça investir em arte – estas lojas têm de tudo. 

Publicidade