Get us in your inbox

Raquel Dias da Silva

Raquel Dias da Silva

Jornalista, Time Out Lisboa

Se não fosse jornalista, seria contadora de histórias. Como é mais ou menos a mesma coisa, decidiu que faria da redacção a sua segunda casa. Depois de uma passagem pela secção de Ciência do Público em 2017, onde aprendeu que ser séria não é ser sisuda, aventurou-se pelo jornalismo de lifestyle com a extinta revista Epicur. Pouco depois, mudou-se de malas e bagagens para a Time Out. Já lá vão cinco anos e ainda há tanto por contar. Se depender dela, nenhuma família ficará sem saber o que há para fazer e ver na cidade. É verdade, também se pela por um bom livro e faz questão de partilhar as novidades e os melhores sítios para abastecer a estante. E, se o dia não estiver simpático, das duas uma: ou à mesa ou na sala de espectáculos, fica o encontro marcado. Na Internet, podem encontrá-la aqui.

Se a quiser importunar ou tiver segredos para partilhar, é enviar e-mail (raquel.silva@timeout.com). 

Articles (416)

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Aproveite o fim-de-semana para descobrir uma dúzia de exposições em Lisboa. Uma proposta para tornar os próximos dias mais culturais – sozinho, com a família ou os amigos (vai tudo atrelado). Com tantos museus e galerias na cidade, é impossível não ter o que ver. Mas não queremos que se perca e, por isso, dizemos-lhe quais as exposições a que deve prestar mais atenção. Aproveite ainda para espreitar a Feira de Arte e Antiguidades, que fica na Cordoaria Nacional até domingo, ou a Bienal de Joalharia Contemporânea, que começou esta semana. Só tem de decidir por onde quer começar: pintura, fotografia, ilustração, design ou instalações de grande escala. Trace o roteiro cultural e bom fim-de-semana. Recomendado: Estas exposições gratuitas em Lisboa valem a visita

10 coisas para fazer em família este fim-de-semana em Lisboa (e arredores)

10 coisas para fazer em família este fim-de-semana em Lisboa (e arredores)

A Primavera já chegou: não se deixe ficar a anhar em casa (há tantas actividades ao ar livre para crianças em Lisboa!). Aproveite ao máximo o fim-de-semana em família. Se precisa de entreter as crianças até ficarem sem pilhas e ser hora de voltar para a cama, explore algumas sugestões para encher o sábado e o domingo. Há oficinas, espectáculos e muitas outras propostas para, arriscamos escrever, todos os gostos e feitios. Só tem de escolher como os entreter (e, se estas sugestões não chegarem, temos mais ideias de coisas para fazer em Lisboa com crianças). E, se ficar na dúvida, não nos pergunte a nós: pergunte-lhes a eles. Recomendados: 🍸 As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa🖼️ Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

Mergulhos low cost: as melhores piscinas até 20 euros em Lisboa (e arredores)

Mergulhos low cost: as melhores piscinas até 20 euros em Lisboa (e arredores)

Gosta de dar um bom mergulho na piscina, mas recusa-se a esvaziar a carteira para o fazer? Depois de explorar, por exemplo, as melhores piscinas de hotel sem fazer check-in, partimos em busca de mergulhos low cost, daqueles que refrescam as ideias e o corpinho sem dar cabo da conta bancária. Umas têm mais afluência, até porque são maiores, mas há opções para todos. Prepare o saco com os essenciais e vá meter água para uma destas piscinas baratas em Lisboa ou nos arredores, sem precisar de gastar mais de 20€ (bem, talvez mais um euro ou outro ao fim-de-semana). Recomendado:😎 As melhores coisas para fazer em Lisboa em Abril de 2024☀️ Há paraísos perto de Lisboa para explorar

Estes programas trocam o 25 de Abril por miúdos

Estes programas trocam o 25 de Abril por miúdos

O 25 de Abril de 1974 pode parecer uma coisa um bocadinho antiga, que já faz parte da História, mas é por isso que, agora, vivemos em liberdade, num país muito menos triste e cinzento. E é por isso também que, se ainda não falou sobre a revolução dos cravos aos miúdos, está na hora de o fazer. Atenção, não é preciso dar-lhes uma seca: há muitas formas didácticas e divertidas de os ensinar quem foi Salazar, o que é uma ditadura e porque é que agora é que é bom. Para não perder tempo, aproveite que temos várias sugestões de programas que trocam o 25 de Abril por miúdos. São pelo menos meia dúzia de coisas para fazer com as crianças em Lisboa e arredores. Recomendado: A revolução para garotos. Livros infantis sobre o 25 de Abril

As melhores festas de aniversário para crianças em Lisboa (e arredores)

As melhores festas de aniversário para crianças em Lisboa (e arredores)

Os miúdos deliram com os anos e os pais gostam de lhes dar uma festa, claro. Mas bem sabemos a pressão que pode ser encontrar o sítio certo para fazer uma festa infantil. Em parques e museus, com animação e insufláveis, há muito por onde escolher (tanto quanto as imensas coisas que há para fazer em Lisboa). Tudo depende da disponibilidade, da paciência e do número de zeros na conta bancária dos pais – nesta lista encontra as melhores festas de aniversário para crianças em Lisboa à medida de todos. Afinal, eles esperam 365 dias pela chegada deste dia (o único momento capaz de rivalizar com o aniversário deve ser o Natal...), as expectativas estão ao rubro e o melhor presente que lhes pode dar é uma festa inesquecível. Recomendado: Grandes guias para pequenos aventureiros

Actividades ao ar livre para crianças em Lisboa (e arredores)

Actividades ao ar livre para crianças em Lisboa (e arredores)

Está com vontade de explorar a cidade, mas anda com os miúdos de atrelado? Não precisa de desesperar, muito menos se o tempo estiver de feição. Há propostas de coisas para fazer ao ar livre para si e para eles. Com o bónus, atenção, de o ajudar a tirar-lhes a energia sem dar cabo do orçamento (sim, zelamos pela sua carteira como se fosse a nossa). Desde jardins e parques para jogos e piqueniques em família até miradouros e roteiros de arte urbana para ver as vistas, estas sãos as melhores actividades ao ar livre para crianças em Lisboa e arredores. Recomendados:🤩 As melhores coisas para fazer em família este fim-de-semana em Lisboa🖼️ Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

Como ter uma horta em casa: o bê-á-bá da agricultura urbana

Como ter uma horta em casa: o bê-á-bá da agricultura urbana

Prepare-se para arregaçar as mangas e pôr as mãos na terra. Já não é preciso sair da cidade para ter a sua própria horta: a agricultura urbana está ao alcance de todos. Basta aprender o bê-á-bá da arte de cultivar plantas em casa. Desde o espaço perfeito para as suas primeiras sementes ou plântulas aos materiais e ferramentas necessários, os especialistas ensinam-lhe como ter uma horta em casa, com um orçamento simpático e sem um terreno à sua disposição. Com um pouco de imaginação e bricolage, verá como é possível poupar dinheiro nas compras do supermercado e ter ao mesmo tempo um estilo de vida mais amigo do ambiente. As dicas são da engenheira agrónoma e comunicadora de ciência Maria João Horta Parreira, uma apaixonada por horticultura e jardinagem, e de Tiago Lucena, que não só tem formação em agricultura biológica e design de permacultura, como é co-fundador do projecto sustentável A Senhora do Monte, um livro, blogue e canal de Youtube onde também pode aprender mais sobre hortas e jardins. Recomendado: Nesta escola em Lisboa, ter terra nas calças faz parte da lição

Vencer a folha em branco: cursos de escrita em Lisboa (e online)

Vencer a folha em branco: cursos de escrita em Lisboa (e online)

Nem sempre é fácil dar largas à imaginação quando à sua frente está uma folha em branco, quer seja de papel ou digital. Mas é preciso preenchê-la com alguma história, real, assim-assim ou toda ela ficção. Nestes cursos de escrita desenvolve tanto a parte criativa como a técnica – sim, porque há truques que facilitam a redacção de um texto. Se está a pensar dar largas à imaginação, nestes cursos de escrita em Lisboa (e online), pode aprender de tudo, sem ter de passar por crises de criatividade. Recomendado:👅 Para tagarelar: cursos de inglês (e outras línguas) em Lisboa🫶 Cursos em Lisboa para meter mãos à obra

Piscinas naturais em Portugal para mergulhar na natureza

Piscinas naturais em Portugal para mergulhar na natureza

A praia e as piscinas de hotel não são as únicas opções se quiser dar uns mergulhos ou ir chapinhar com as crianças. As piscinas naturais, por exemplo, têm muitas vantagens e são mais abundantes do que se possa pensar. Normalmente no meio da natureza, permitem-no observar a beleza selvagem que o rodeia, enquanto nada em águas sem cloro. Já para não falar que são excelentes alternativas para fugir de enchentes. Fomos à procura das piscinas naturais em Portugal mais imperdíveis e partilhamos esta lista para o fazer sair de casa. Aproveite e junte a família. Mas com cuidados, não se esqueça. Recomendado:😎 A hora mudou? Temos ideias para aproveitar os 60 minutos extra de sol☀️ Há paraísos perto de Lisboa para explorar

Amor, política e família: seis novos livros para crianças

Amor, política e família: seis novos livros para crianças

Livros nunca são demais e a melhor altura para lhes apanhar o gosto é logo desde pequeninos. A verdade é que os miúdos nem precisam de saber ler para se começarem a maravilhar com as páginas ilustradas e as histórias onde nunca falta uma bela lição. Em prosa curta ou em verso, sem nunca dispensar a ilustração aprimorada e cheia de bons esconderijos, estas obras prometem fazê-los abrir a boca de espanto. Uns foram lançados há pouco tempo, outros estão prestes a sair, mas são todos livros infantis e juvenis fresquinhos (da fornada de 2024) que convencem até os adultos. Recomendado:🌹 A revolução para garotos: livros para crianças (e jovens) sobre o 25 de Abril💖 Dez livros infanto-juvenis que nos chamaram à atenção em 2023

Beachcombing: um guia para famílias e naturalistas

Beachcombing: um guia para famílias e naturalistas

Quando era criança, Ana Pêgo brincava quase sempre no areal das Avencas, na Parede. Fazia passeios, observava as poças de maré e coleccionava tesouros naturais, que as correntes marítimas tinham transportado até à linha de costa. Desde vidro-do-mar, fosco e colorido, até vestígios curiosos de animais, como búzios, conchas e fósseis. Ainda sem saber, praticava beachcombing ou, em bom português, a arte de “pentear a praia”. A actividade naturalista ainda não tem grande tradição em Portugal, mas entusiasma cada vez mais veraneantes, que a vão abraçando em família durante todo o ano. Evocando as peregrinações de menina, que fazia acompanhada com o pai, com quem ia de umas praias para as outras na maré baixa, Ana recebe-nos “no seu quintal” de braços abertos. “São muito boas recordações”, diz, já com os pés a enterrarem-se na areia das Avencas. “Às vezes nem falávamos, ele fotografava e fazia as suas observações, eu as minhas. Agora, venho sozinha ou com as minhas sobrinhas, que fazem imensas perguntas.” Beachcomber desde tenra idade, Ana acabou por tornar-se bióloga marinha e educadora ambiental: matar a curiosidade de mini-exploradores faz tanto parte da sua vida como do seu trabalho. “É incrível como há muitas crianças que moram aqui ao lado e passam o Verão na praia e não sabem nada sobre os animais e os vestígios de fauna marinha que encontram.” As oficinas que dinamiza já não procuram apenas tesouros do mar. Em 2014, em co-autoria com o fotógrafo de natureza Luís Quinta, as

Para tagarelar: os melhores cursos de inglês (e outras línguas) em Lisboa

Para tagarelar: os melhores cursos de inglês (e outras línguas) em Lisboa

Se tem vontade de falar a língua dos vizinhos do AirBnb ou a do turista ao seu lado na rua, está na hora de esquecer a premissa de que burro velho não aprende línguas. Aprende e nós ajudamos. Os básicos para praticar levam-se na ponta da língua, prontinhos a despejar e a surpreender quem está à espera que daí só saia o universal inglês. Sim, sabemos onde encontrar os melhores cursos de inglês, mas, atenção, por estas bandas encontra linguarudos que o ensinam a dar bailinho tanto em espanhol como em russo. Espreite esta lista de centros de formação e institutos de línguas e inscreva-se num ou dois cursos de línguas em Lisboa. Recomendado:😎 Vinte coisas à turista que os lisboetas devem experimentar☀️ Coisas para fazer em Lisboa este mês

Listings and reviews (1)

Espaço Ulmeiro

Espaço Ulmeiro

Estávamos em 1969 quando José Antunes Ribeiro fundou a Ulmeiro, no 13A da Avenida do Uruguai, em Benfica. No tempo da ditadura, a livraria-distribuidora foi um dos locais preferidos para quem andava em busca de ideias alternativas e livros proibidos. A audácia resultou em algumas visitas indesejadas, mas o proprietário, um livreiro-editor-poeta, manteve-se sempre resistente. Quarenta e sete anos depois, em 2016, quando José anunciou o fecho do espaço, ninguém quis acreditar – nem o próprio, que reinventou a roda e conseguiu manter as portas abertas mais três anos, antes de se mudar para a Fábrica Braço de Prata. Agora, graças a uma parceria com a Junta de Freguesia de Benfica, o Espaço Ulmeiro – Associação Cultural está novamente de portas abertas. Entre a morada original e a nova, no número 19B, encontra-se o “Passeio Ulmeiro”, que inclui nomes como o de Agostinho da Silva e António Lobo Antunes.

News (2482)

Sílvio é herdeiro do cravo e guardião da manhã (e nós também)

Sílvio é herdeiro do cravo e guardião da manhã (e nós também)

Foi numa aldeia de Rossas, Vieira do Minho, que Francisco Duarte Mangas viveu a Revolução dos Cravos. Tinha 14 anos e viu tudo acontecer pela televisão. Estava nas aulas – naquela altura, havia a Telescola, com emissão das duas às sete da tarde – e lembra-se do crucifixo de um lado e dos retratos de Américo Thomaz e Marcello Caetano do outro. “Estávamos a ter francês quando interromperam a emissão, veio um dos militares do Conselho da Revolução comunicar o que estava a acontecer e a professora nos mandou ir para casa”, recorda Francisco, que neste mês de Abril, a propósito dos 50 anos do 25 de Abril, nos convida a reflectir sobre o que significa viver em liberdade – e, mais importante, como podemos assegurar que Portugal não volta a ser o “País da Gente Triste”. No seu novo livro, editado pelo Caminho das Palavras e desenhado por Ana Biscaia a carvão e aguarela, o protagonista é um menino curioso que, ao ver a mãe de cravo na mão, quer saber porque anda ela com uma flor tão linda. Sílvio, herdeiro do cravo chega às livrarias este sábado, 20 de Abril. “Naquela altura [antes do 25 de Abril], já tínhamos ouvido falar num golpe de Estado, mas não sabíamos o que era, eu não sabia, e lá fomos para as aulas, até que aconteceu”, conta-nos Francisco, que eventualmente haveria de ir estudar para o Porto, para se formar em História. Actualmente, é escritor a tempo inteiro e presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto. “Lembro-me que fizemos a nossa primeira man

A madrasta de Teresa não é como as dos contos de fadas

A madrasta de Teresa não é como as dos contos de fadas

As madrastas são todas más, é o que nos dizem os contos de fadas: a da Branca de Neve é uma bruxa invejosa, a da Cinderela força-a a cozinhar e a limpar a casa sozinha. E, quando dizemos que a vida nos é madrasta, queremos dizer que tem sido dura, que as felicidades são poucas e os dissabores fazem fila à porta. Mas a palavra “madrasta” vem do latim vulgar matrasta, que significa apenas “mulher do pai”. O sentido depreciativo nada tem a ver com a sua etimologia e, claro, as madrastas não são todas más. Que o diga Inês Neves Rosa. Além de filha e enteada, Inês também é mãe e madrasta (consta que sem reclamações). Tal como a fictícia Joana, que dá muitos mimos e chama à enteada Teresa a “coisa-boa-mais-linda-do-mundo”. Editado pela Porto Editora, A Minha Madrasta, o álbum ilustrado que Inês assina com Mariana Dimas, procura desfazer o estigma e ressignificar a palavra. Chega às livrarias esta quinta-feira, 18 de Abril. “Encontrei a página Somos Madrastas, da brasileira Mariana Camardelli, em 2021. Fiquei a pensar ‘adorava fazer isto em Portugal’. Falei com a Mari, que foi impecável e me ajudou, e agora o movimento também tem crescido cá [são cinco mil seguidores no Instagram], com vários testemunhos sobre a madrastidade, desde as dificuldades aos sentimentos de invisibilidade, de insegurança, de incompreensão que provocam. Foi por causa disso que me convidaram para falar, por exemplo, n’Um Género de Conversa e foi precisamente por causa desse podcast que a Mariana me contactou

Ir às praias da Arrábida só de transportes públicos (ou modos suaves)

Ir às praias da Arrábida só de transportes públicos (ou modos suaves)

A Câmara Municipal de Setúbal aprovou um novo Programa Arrábida sem Carros e em Segurança, que antecipa as regras para a época balnear, que arranca a 1 de Junho e se prolonga até 15 de Setembro. Mas, salvo uma ou outra medida, é o habitual. A aposta continua a ser nos transportes públicos e nos modos suaves, como bicicletas e trotinetas, impondo-se as clássicas restrições rodoviárias em prol dos bens naturais e da biodiversidade do concelho. “As condições muito particulares deste território impõem que se estabeleça um modelo específico de mobilidade e acesso às praias do concelho de Setúbal, designadamente para o período correspondente à época balnear, em que se regista maior afluência de utentes”, lê-se em comunicado da autarquia, que destaca o compromisso com “acções de preservação e sustentabilidade ambiental” numa das duas áreas protegidas do concelho. Segundo a mesma nota, a ideia é contribuir para a redução da emissão dos gases de estufa no concelho, rumo à neutralidade carbónica que o país está obrigado a atingir até 2050, bem como prevenir riscos, nomeadamente os associados ao socorro e prevenção de incêndios rurais e florestais, e promover a utilização dos transportes públicos e da circulação em modos suaves. “As condições particulares do Parque Natural da Arrábida, com características naturais, morfológicas e ambientais da orla costeira, não se compadecem com a elevada pressão exercida pela circulação e parqueamento irregular de viaturas automóveis, em particular, d

Veja as imagens das futuras estações de metro da Estrela e de Santos

Veja as imagens das futuras estações de metro da Estrela e de Santos

As estações do Rato, da Estrela e de Santos estão unidas por um túnel desde Março, depois da demolição da estrutura que as separava, mas a Linha Circular só deverá inaugurar no primeiro trimestre de 2025. Em antecipação da conclusão da obra, que tem sido adiada devido a vários atrasos, o Metropolitano de Lisboa lançou um conjunto de três vídeos com imagens em 3D, que permitem conhecer, de uma forma mais aproximada, o resultado da construção das futuras estações da Estrela e de Santos, bem como da remodelação da actual estação do Cais do Sodré. Na Estrela, as escavações começaram há um ano. A futura estação, localizada no cimo da Calçada da Estrela, em frente à Basílica, será acessível na extremidade sul do Jardim da Estrela, a partir do antigo edifício da farmácia do Hospital Militar, e estará servida por seis ascensores e duas escadas mecânicas. Já a futura estação de Santos – localizada a poente do quarteirão definido pela Av. D. Carlos I, Rua das Francesinhas, Rua dos Industriais e Travessa do Pasteleiro – terá acessos na Travessa do Pasteleiro e na Avenida D. Carlos I, com o acesso principal no Largo da Esperança, integrando o elevador dos bombeiros. Existirá também um acesso ao Bairro da Madragoa por elevador, com todos os níveis da estação, desde o cais à superfície, servidos por escadas mecânicas. Segundo o Metropolitano de Lisboa, os trabalhos decorrem a bom ritmo. Quanto à actual estação do Cais do Sodré, será criado um novo átrio poente com novos acess

Na Casa Fernando Pessoa, a festa de Abril faz-se com poesia, rádio e música

Na Casa Fernando Pessoa, a festa de Abril faz-se com poesia, rádio e música

A Casa Fernando Pessoa vai juntar-se às comemorações dos 50 anos do 25 de Abril com programação dedicada à importância da palavra dita e escrita para a liberdade. O grande destaque vai para a apresentação do primeiro álbum a solo da cantora e improvisadora Andrea Conangla, a 26 de Abril. Mas a agenda começa a mexer já este sábado, dia 20, com um workshop em torno da arte de dizer poesia, conduzido por Mia Tomé, entre as 10.00 e as 17.00. A actriz – que trabalha regularmente a voz, em publicidade, dobragens e até na música, e que é “dizedora de poesia”, em projectos nacionais e internacionais – convida todos os jovens entre os 13 e os 18 anos para exercícios de leitura e interpretação a partir de poemas de várias autoras que também fizeram a revolução, como Natália Correia e As Três Marias (Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa e Maria Isabel Barreno). A sessão (14€) culminará com a gravação dos poemas trabalhados, para criação de um arquivo sonoro. Para participarem, os jovens têm de se inscrever por e-mail (servicoeducativo@casafernandopessoa.pt). Segue-se, a 23 de Abril, uma Noite de Rádio, das 21.00 às 22.00, com entrada livre (limitada à lotação do auditório). Com a curadoria do radialista Tiago Ribeiro, os jornalistas António Macedo, Mariana Oliveira e Sandy Gageiro vão ler textos e poemas relacionados com a liberdade. A acompanhar, estarão os músicos Hugo Lobo, ao piano, e Romeu Tristão, no contrabaixo. A ideia será lembrar a importância da rádio para a Revolução dos

Nos Anjos, Selim faz política com a sua mercearia a granel

Nos Anjos, Selim faz política com a sua mercearia a granel

Estávamos em 2021 quando Selim B. Taziri, então com 25 anos, arriscou abrir uma modesta mercearia a granel no bairro dos Anjos. Era o segundo ano de pandemia, o mundo ainda estava confinado e desconfiado, e Selim trabalhava sozinho e sem armazém. “Tinha orçamento de estudante, mas estava disposto a fazer o sacrifício e os clientes foram aparecendo porque pensavam ‘é só um gajo, com um espaço pequeno, a tentar fazer uma coisa boa’”, conta-nos, já na sua nova morada, no número 8B da Rua de Macau, o sol ao alto e a esplanada cheia. Aberto há quase três meses, mas ainda com muitas novidades por anunciar, este novo Ecolonco também é café e, se tudo correr bem, no Verão inaugura um espaço de aprendizagens e activismos vários, com programação para todas as idades. “Desde workshops e oficinas amigas do ambiente até aulas de dança, yoga, pilates, boxe, o que for preciso para ter uma cabeça e um corpo mais tranquilos.” © Francisco Romão Pereira / Time Out Quando perguntamos como veio aqui parar, Selim revela-nos que nasceu em Paris e cresceu na Tunísia, mas sonha com Portugal há muito, muito tempo – muito antes de se mudar de vez, já cá vinha surfar umas ondas. O pai é franco-tunisino, a mãe portuguesa. “Não me sinto francês e crescer na Tunísia foi difícil, com a ditadura, o governo, depois a revolução de 2011 e o facto de não sermos muçulmanos num país onde a religião predominante é o islamismo. Queria viver num país onde pudesse realmente discutir política e economia, e ser ouvido

Arranha-céus, comboios e Star Wars. Em Oeiras, não há idade para brincar com LEGO

Arranha-céus, comboios e Star Wars. Em Oeiras, não há idade para brincar com LEGO

Vão ser quatro dias de festa, seis milhões de peças e um espaço para pais e filhos. Entre 25 e 28 de Abril, as melhores brincadeiras fazem-se no Pavilhão dos Leões de Porto Salvo. Mas avisamos já: a idade fica à porta. Na exposição de LEGO “Oeiras BRinCKa”, não há criança nem adulto capaz de resistir ao encantamento das construções expostas. Na última edição, em 2022, registaram-se 30 mil visitantes e 61 horas de brincadeira. Dois anos depois, Porto Salvo volta a receber o maior evento nacional apoiado pela marca dinamarquesa LEGO. Desde cenários do universo Star Wars até uma cidade plena de acção, arranha-céus e comboios em movimento, a organização promete surpresas, desafios e prémios para toda a família. Entre as exposições confirmadas, destacam-se as dedicadas aos universos Star Wars e Friends (não é a série, mas a colecção que a LEGO criou “para ajudar as crianças a crescer”), bem como a habitual mesa com réplicas de viaturas, aeronaves e navios militares, a par da ferrovia LEGO, com réplicas de comboios reais onde vários expositores se juntam para mostrar um diorama gigante. Mas há mais programação. Está prevista, por exemplo, uma demonstração do GBC (Great Ball Contraption) da PLUG – Associação Portuguesa de Utilizadores de LEGO, que desde 2010 leva a magia da LEGO a várias cidades do país. “São centenas de pequenas bolas em movimento contínuo, transportadas pelas máquinas mais estranhas, incríveis e hipnotizantes”, lê-se em comunicado. “Temos ainda várias experiências

Nesta feira, tudo cabe dentro de uma casa de bonecas

Nesta feira, tudo cabe dentro de uma casa de bonecas

Chama-se Lisboa Miniaturas, é uma feira de miniaturas para casas de bonecas e vai ocupar a sala Veneza do Hotel Roma nos dias 11 e 12 de Maio. Com entrada livre, o evento conta com a participação de vários miniaturistas de Portugal, Espanha e França, que prometem levar uma vasta gama de peças originais em diferentes escalas e estilos, desde o vitoriano ao moderno, passando pelo shabby chic e o art déco. “É um encontro para entusiastas, artesãos e coleccionadores, onde cada pequeno objecto conta uma história e reflecte a paixão e o detalhe investidos na sua criação”, lê-se em comunicado da organização, que destaca o facto da magia das casas de bonecas transcender gerações, “com as suas minúsculas mobílias, utensílios e decorações. São uma forma de arte que exige paciência, precisão e, acima de tudo, imaginação.” A lista de expositores ainda não foi divulgada, mas deverá poder contar com mobiliário miniatura original, feito e pintado à mão; acessórios variados para casas de bonecas, incluindo personagens; plantas e flores em miniatura; entre outras peças artesanais. Para além disso, haverá também à venda kits, materiais e ferramentas para construção de miniaturas, bem como sorteios e brindes surpresa. Av. Roma, 33. 11-12 Mai, Sáb-Dom 11.00-19.00. Entrada livre Siga o novo canal da Time Out Lisboa no Whatsapp + Brincamos ou colamos cartazes? Esta exposição responde com as paredes do PREC

Este hospital ajuda a combater a “síndrome da bata branca” nas crianças

Este hospital ajuda a combater a “síndrome da bata branca” nas crianças

O Hospital da Bonecada tem regresso marcado à Praça Central do Centro Comercial Colombo. Entre sábado, 20 de Abril, e quarta-feira, 1 de Maio, as crianças são convidadas a levar os seus bonecos ao popular hospital-modelo, dinamizado desde 2001 por estudantes da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa. Este ano, a edição realiza-se sobre o mote “A Criança e a Diferença”. “É com muito gosto que, ano após ano, apoiamos e a servimos de palco para este projecto que tem um propósito tão significativo para as crianças, contribuindo para que comecem a olhar para os profissionais de saúde sem medo. Além disso, é recompensador saber que fazemos também parte da história de vários estudantes da área da Saúde que tornam possível a realização do Hospital da Bonecada”, diz o director do Centro Colombo, Paulo Gomes, citado em comunicado da iniciativa, galardoada em 2007 com o prémio Hospital do Futuro, pela Sociedade Portuguesa de Pediatria. A infra-estrutura deste hospital é semelhante à de um hospital real para que as crianças, dos três aos dez anos, conheçam o ambiente hospitalar. Tudo começa na Sala de Espera, onde podem desfrutar de várias actividades, como pinturas faciais e desenho, antes de seguirem para a Sala de Triagem, onde vão ter de explicar os sinais e sintomas da “doença” dos seus brinquedos, para poderem receber um boletim de saúde e uma cor consoante a gravidade da situação. As restantes salas são dedicadas às diferentes áreas da saúde. Nos Consultórios

Na happy hour do Oceanário, quem comprar um bilhete leva dois

Na happy hour do Oceanário, quem comprar um bilhete leva dois

A hora mudou na madrugada de 31 de Março. E, como nunca é tarde para celebrar termos 60 minutos extra para aproveitar o sol, o Oceanário de Lisboa está a promover uma campanha de happy hour até 22 de Abril. Se comprar um bilhete a partir das 17.00, tem direito a outro. A campanha está disponível em todas as tipologias de bilhete, mas é exclusiva para compras online no site do Oceanário, entre 15 e 22 de Abril, para visitas entre as 17.00 e as 20.00 (última entrada às 19.00). Atenção: está limitada ao stock existente. Em 2023, o Oceanário fez 25 anos e a Time Out visitou o aquário, incluindo os bastidores, em reportagem. No grande aquário central, “Um Planeta, Um Oceano” é o tema de uma viagem à descoberta do Oceano Global e de mais de 500 espécies diferentes. Há ainda duas exposições temporárias: as “Florestas Submersas by Takashi Amano”, o maior aquário natural do mundo, e a instalação artística “ONE – O Mar como nunca o sentiu”, que retrata a ligação profunda do homem com o mar e invoca a grandiosidade do oceano através de uma experiência imersiva pelo território marítimo português. Oceanário de Lisboa. Seg-Dom 10.00-20.00 (última entrada às 19.00). 17€-25€ (grátis até aos dois anos) Siga o novo canal da Time Out Lisboa no Whatsapp + Há mais cavalos-marinhos em Almada do que se imaginava

Prémios Sophia: Edgar Pêra lidera nomeações com o seu ‘The Nothingness Club’

Prémios Sophia: Edgar Pêra lidera nomeações com o seu ‘The Nothingness Club’

Os Prémios Sophia, que procuram destacar o que de melhor se produz no cinema nacional, celebram a 13.ª edição a 23 de Maio, no Casino Estoril. O thriller psicológico Não Sou Nada – The Nothingness Club, de Edgar Pêra, lidera os Prémios Sophia com 15 nomeações, incluindo para Melhor Filme e Melhor Realização. Great Yarmouth - Provisional Figures, de Marco Martins, Nação Valente, de Carlos Conceição, e Mal Viver, de João Canijo, são os seus principais oponentes, revelou esta sexta-feira a Academia Portuguesa de Cinema. Os filmes nomeados para Melhor Realização e Melhor Argumento Original são os mesmos que conseguiram a nomeação para Melhor Filme, mas na categoria Argumento Adaptado a história é outra. Aqui, os candidatos são A Sibila, de Eduardo Brito, que adapta a obra homónima de Agustina Bessa-Luís; Nayola, de Virgílio Almeida, que adapta A Caixa Preta de Mia Couto e José Eduardo Agualusa; e A Arte de Morrer Longe, de Júlio Alves, adaptado a partir da obra homónima de Mário de Carvalho. Quanto aos elencos, estão nomeados para Melhor Actor Principal João Arrais (Nação Valente), Miguel Borges (Não Sou Nada – The Nothingness Club), Rafael Morais (Amadeo) e Rui Morisson (Sombras Brancas), enquanto que, na categoria de Melhor Actriz Principal, os holofotes apontam para as interpretações de Anabela Moreira (Mal Viver), Beatriz Batarda (Great Yarmouth – Provisional Figures), Carla Maciel (Légua) e Joana Bernardo (A Noiva). Nos papéis secundários, estão nomeados os actores Albano J

Benfica vai juntar 2000 crianças de cravo na mão

Benfica vai juntar 2000 crianças de cravo na mão

A Junta de Freguesia de Benfica está a preparar uma acção, em parceria com escolas públicas e privadas, para assinalar os 50 anos do 25 de Abril. Na próxima terça-feira, 16 de Abril, a partir das 16.00, 2000 crianças vão juntar-se, de camisolas iguais e cravo na mão, para formar “50x2”, em referência às cinco décadas de liberdade e democracia em Portugal, depois da queda da ditadura. “A Junta de Freguesia de Benfica continua a apostar na educação e nas iniciativas dirigidas aos mais jovens, fomentando a sua identidade e conhecimento histórico, e assinalando, desta forma, uma data marcante do percurso da democracia em território nacional”, lê-se em comunicado. Siga o novo canal da Time Out Lisboa no Whatsapp + Cravos, liberdade, ciência e descontos: a fórmula de Abril no Pavilhão do Conhecimento