Guia para o Belém Art Fest

Às horas que menos se espera e nos lugares onde menos se esperaria, o Belém Art Fest volta a oferecer concertos, gastronomia e visitas guiadas entre arte e património.
Mosteiro dos Jerónimos
Fotografia: Arlindo Camacho Mosteiro dos Jerónimos
Por Francisca Dias Real |
Publicidade

Ouvir rap junto a quadros de Picasso, world music entre múmias e sarcófagos, vadiar pelos Jerónimos à noite, passar um serão espojado nos relvados de Marcelo Rebelo de Sousa. Entre sexta e sábado, 27 e 28, pode fazer tudo isto em mais uma edição do Belém Art Fest, o festival que leva a música aos museus quando o Sol se põe. O cartaz de concertos é grande (e está todo na página ali ao lado) e divide-se pelos palcos do Claustro do Mosteiro dos Jerónimos, Picadeiro Real, Museu Nacional de Arqueologia, Museu Berardo, Museu da Presidência e Jardins do Palácio de Belém.

A programação completa pode ser consultada aqui

Guia para o Belém Art Fest

Cirandar, comer e comprar no Jardim de Belém

O Jardim da Praça do Império, onde habitualmente faz ginástica para fintar as senhoras que andam atrás de si para lhe ler a sina, é também um belo sítio para descansar à sombra de uma árvore e, durante estes dois dias, aproveitar o arraial de carrinhas de street food e outras tantas bancas de artesanato. A organização promete "as opções mais sofisticadas e as mais recentes novidades de street food nacional". Tudo para comer com as mãos e em andamento. Para esta zona não precisa de bilhete, mas convém levar a carteira.

Ver Mike El Nite no Museu Berardo

O rapper português Mike El Nite vai transformar o Museu Berardo no Museu Bayardo, tudo por culpa de “Dr. Bayard”, o primeiro single do seu novo EP, que leva à ribalta os famosos rebuçados mas sempre ao seu estilo, com muita frescura, recorrendo ao humor e à sátira. O concerto, que acontece este sábado às 00.40, revisita malhas menos tocadas e estreia novos sons no palco improvisado do museu.

Publicidade
Museu Berardo
©Paulo Raimundo

Ver Conan Osíris e Picasso juntos

Picasso na parede e Conan Osiris no palco – não é todos os dias que se vê este dois a coexistirem no mesmo espaço. Pode amá-lo ou odiá-lo, mas ninguém fica indiferente ao autor do disco Adoro Bolos, que actua no sábado, à 01.45, no Museu Berardo. O artista cruza hip-hop com electrónica e apropria-se de música cigana e árabe – uma excentricidade sem fim a ser apresentada ao lado de obras de artistas tão ou mais extravagantes do que Osiris.

Viver a noite no museu

Aliás, nos museus. Durante estes dois dias as peças expostas não ganham vida à noite – como no famoso filme À Noite, no Museu – mas vai poder circular nos corredores do Berardo, do Museu de Arqueologia, entre os coches do Picadeiro ou pelo Mosteiro, tudo fora de horas, entre as 19.00 e as 03.00. 

Publicidade
Jerónimos

Visitar o mosteiro sem turistas

Sempre que passa por Belém pensa que é desta que vai entrar no Mosteiro dos Jerónimos e quando vê a fila desiste na hora – é normal, não estamos a julgar ninguém. Mas no Belém Art Fest pode fazê-lo sem aturar as filas infinitas. Mais do que isso, pode fazê-lo e ainda ouvir na sexta o carioca Marcelo Camelo (23.40), da Banda do Mar, e no sábado o jazz de tirar o fôlego da britânica Lianne La Havas (23.30).

Ouvir música entre carruagens

Mas não são umas carruagens quaisquer, estas viajaram dos séculos XVI a XIX, provenientes da Casa Real Portuguesa, Igreja e colecções particulares. O Picadeiro Real, a primeira morada dos coches a partir de 1905, ainda alberga muitos e bons coches e é entre eles que poderá ouvir JP Simões (sexta, 22.00) e Tomara (sábado, 20.40).

Publicidade
Palácio de Belém
Fotografia: Arlindo Camacho

Ir a um concerto com a bênção de Marcelo

Não sabemos se o Presidente da República estará por lá, mas é nos jardins da sua residência oficial que decorrem os concertos do one-man-show Noiserv (sexta; 22.45) e de Márcia (sábado; 23.00).

Ver um concerto junto de múmias

As marcas do Antigo Egipto em território nacional estão quase todas aqui, no Museu Nacional de Arqueologia, talvez dos sítios mais inusitados para se ver um concerto, até porque, lembre-se, mesmo ao seu lado estão uma série de túmulos faraónicos com sarcófagos e múmias. E é com esta companhia que, sexta, pode ouvir a voz melodiosa de Beatriz Pessoa e o afro-electro-pop-indie de Témé Tan, e no sábado ficar a conhecer o projecto de Guilherme Kastrup, produtor dos discos de Elza Soares.

Já que aqui está

vista apartir dos descobrimentos
Fotografia: Ana Luzia
Coisas para fazer

Paragens obrigatórias em Belém

Um passeio por Belém implica uma passagem pelos melhores museus e restaurantes. Deverá ainda tirar uma selfie com um batalhão de turistas como pano de fundo e paragem em alguns pontos de referência, como se andasse a descobrir a cidade pela primeira vez. 

museu dos coches
©Wikipedia
Coisas para fazer

Museus e monumentos a não perder em Belém

De antigos coches a peças modernas, de edifícios que se perdem nos tempos a estruturas que ainda cheiram a fresco em Lisboa. Reserve um tempo na sua agenda para explorar a zona de Belém e arredores. Siga o roteiro de museus e monumentos, e faça o favor de compor a ordem da visita a seu gosto. 

Publicidade
Padrão dos descobrimentos
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Lisboa num dia: Belém, Restelo e Ajuda

É quase uma cidade dos museus, mas se só tiver 24 horas de folga vai ter de fazer algumas opções. Aqui há coches, arte contemporânea, comida da boa e muita flora para explorar. Pegue na bússola (hoje diz-se Google Maps) e conquiste Lisboa a Ocidente. 

Publicidade