Há três novos murais de arte urbana

E que bom que é lavar as vistas com arte urbana
vhils no barreiro
ⓒCMBarreiro Mural no Barreiro
Por Francisca Dias Real |
Publicidade

A cidade está a tornar-se numa verdadeira galeria a céu aberto, que pode ser vista de perto e ainda rende umas boas fotografias para as redes. Siga o nosso roteiro de novidades, duas em Lisboa e outra no Barreiro, só precisa de passar para a outra margem. 

 

Novos murais de arte urbana

mario belem, arte urbana
ManuelManso

Mário Belém em Santa Apolónia

Em plena Rua da Bica do Sapato, Mário Belém aceitou o convite da Galeria de Arte Urbana (GAU) para ocupar parte de uma parede e o seu muro contíguo para celebrar os 150 anos da abolição da pena de morte em Portugal – um gesto pioneiro na época, que deu um exemplo à Europa e ao mundo. O artista usou cores mais vivas como o amarelo, laranja e azuis, num claro contraste com os tons mais escuros que a morte sempre sugere. “Isto é uma obra dividida em três. De um lado tenho representada a vida, com as flores, e do outro lado a morte. Faz sentido usar os dois lados da moeda nisto, mas é sobretudo uma mensagem de vitória de algo que se aboliu de vez”.

Cruzamento da Rua da Bica do Sapato com a Rua Diogo Couto.

vhils no barreiro
ⓒCMBarreiro

Vhils no Barreiro

Depois da exposição na Galeria Vera Cortês, há uns tempos que não víamos uma obra de Vhils fora de portas. Para ver a mais recente precisa de passar a ponte para a outra margem, até ao Barreiro. Olhe que vale a pena. A nova obra, localizada numa das entradas do Bairro de Santa Bárbara, tem 150 metros de comprimento e faz uma homenagem ao passado industrial do Barreiro. O mural reflecte a visão do artista sobre a importância deste território na identidade e memória dos barreirenses e enquadra um espaço da nova alameda, agora ajardinada, que servirá para receber pequenos espectáculos.

Entradas do Bairro de Santa Bárbara

Publicidade
wk interact, arte urbana
@Underdogs

WK Interact na Alta de Lisboa

Já é premissa obrigatória da Underdogs sempre que algum artista inaugura uma exposição na galeria — a par desta tem de criar sempre um mural na cidade. O artista francês radicado em Nova Iorque assume que sempre quis deixar algo para as pessoas que vêm a seguir a ele, e foi exactamente isso que fez debaixo do viaduto do eixo Norte-Sul, na Alta de Lisboa com um mural gigante a preto e branco.

Viaduto Eixo Norte-Sul entre Ameixoeira e Alta de Lisboa.

Mais arte urbana em Lisboa

Vhils e Obey
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer

Vhils em Lisboa: o roteiro perfeito

Vhils não se faz rogado quando o assunto passa pela dimensão das obras que vai criando mundo fora. A nova obra localizada numa das entradas do Bairro de Santa Bárbara tem 150 metros e faz uma homenagem ao passado industrial do Barreiro. 

Publicidade