A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado
©DGPC/ADFMuseu de Arte Contemporânea

Emília Ferreira é a nova directora do MNAC

Por Miguel Branco
Publicidade

A historiadora substitui Aida Rechena, que rescinde a ligação ao Museu do Chiado por iniciativa própria. Emília Ferreira toma posse a 1 de Dezembro. 

A seu pedido, Aida Rechena, deixa o lugar que havia ocupado em Janeiro de 2016. Passa agora a integrar os serviços centrais da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), tendo sido substituída pela historiadora Emília Ferreira. A sua nomeação decorre em regime de substituição até que a DGPC decida abrir concurso público para o cargo.

Emília Ferreira é, além de historiadora, investigadora associada na Universidade de Victoria (Canadá), do Instituto de História da Arte, curadora de exposições plásticas, autora de ficção, bem como organizadora de conferências sobre arte em Portugal e lá fora. A isto acrescenta-se ainda a publicação de críticas e entrevistas a vários artistas portugueses.

É mestre e doutora em História da Arte Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Isto depois de se ter licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Não parece faltar bagagem à nova directora do MNAC.

+ Museus em Lisboa: as obras de arte que tem mesmo de ver

+ Exposição: A mão-de-olhos-azuis de Cândido Portinari (1903-1962)

Últimas notícias

    Publicidade