Conheça as nove propostas para a Praça de Espanha do futuro

As propostas para a Praça de Espanha estão todas disponíveis para consulta online ou na Fundação Gulbenkian, mas para já fazemos-lhe um resumo da matéria dada.
vista praca de espanha
Por Renata Lima Lobo |
Publicidade

Foram apresentadas na quinta-feira as propostas finalistas do Concurso Internacional de Ideias promovido pela Câmara Municipal de Lisboa para um futuro parque urbano na Praça de Espanha. Agora fomos picá-las.

1

Machado + Braga Macedo Arquitectos, Lda.

Nesta proposta há destaque para a street art e artes performativas num espaço verde que se irá projectar como um complemento ao ar livre da Gulbenkian, Teatro Aberto e Teatro da Comuna. Prevê mesmo a construção de um viaduto pedonal sobre a Avenida Calouste Gulbenkian e este parque como suporte para as artes contará com a ajuda de um muro de gabião onde podem ser pintados murais ou um espaço destinado a concertos.

2

Sérgio Miguel da Silva Godinho

O projecto baseia-se numa obra que pode ser encontrada no MoMa, Nova Iorque: Physichromie 21 (1960) de Carlos Cruz-Diez. As linhas diagonais da obra serviram de inspiração para a matriz do parque, um espaço aglutinador de arte, desporto, recreio e lazer. O arquitecto propõe uma zona de quiosques revestidos com elementos efémeros, um skatepark, espaços verdes decorados a freixos, cerejeiras e zambujeiros, mobiliário urbano fixo e móvel ou… projecção de imagens nas árvores durante a noite que podem reflectir algumas exposições temporárias que passem pela Gulbenkian.

Publicidade
3

Ventura Trindade Arquitectos

Neste caso conte com uma grande clareira central com um lago, um bosque seco e um bosque húmido recheados a árvores autóctones, um anfiteatro, uma ligação pedonal elevada entre o Teatro Aberto e o Teatro da Comuna ou duas praças: a Praça Pavalhã que enquadra o Arco de São Bento e a Praça Columbano junto a uma nova entrada de metro com quiosque e parque infantil à porta.

4

Pedro Miguel Machado da Costa

Se o projecto anterior tem uma clareira central de grandes dimensões, este tem clareiras de vários tamanhos que podem servir para o que der e vier, sejam propostas de cidadãos, do município ou de outras entidades. A maior tem 54 metros de diâmetro, a mais pequena 18. A ideia é dar continuidade a este processo aberto e continuar a construí-lo com esses contributos. Um parque que se adapta a mudanças de desejos e que tem 30% do espaço dedicado a nada. Ou a tudo.

Publicidade
5

Atelier do Beco da Bela Vista, Arquitectura Paisagista

As clareiras também marcam presença, ou não funcionassem como bacias de retenção de água, mas há dois elementos visuais que se destacam no desenho desta proposta. POr um lado uma ciclovia que passa literalmente por cima da Avenida Calouste Gulbenkian e uma nova estação de metro dotada de comércio,  esplanada, sanitários e uma cobertura visitável a que podemos seguramente chamar de miradouro. Um skatepark também está nos planos deste atelier, assim como uma passadeira diagonal que liga o parque à Gulbenkian.

6

NPK - Arquitectos Paisagistas Associados

Esta proposta quer a renaturalização da ribeira do rego, por aqui ainda passa sem ninguém dar por ela e a construção da chamada Praça da Água, uma área de polidesportivos informais em campos relvados e espaço público com bancadas de apoio para refeições. Além de um anfiteatro com capacidade para 300 pessoas, defende a instalação de ponte de ligação à entrada principal da Gulbenkian, mas com um mecanismo retrátil para encerramento no período nocturno.

Publicidade
7

Ceregeiro - Arquitectura Paisagista

Além de uma grande área central com direito a lago, o projecto prevê um espaço de exposições com 165m2, um anfiteatro modelado numa encosta que parte do Teatro da Comuna, um quiosque junto ao Arco de São Bento e também um skatepark.

8

José Adrião

Um jardim com muitos jardins de diferentes dimensões. A proposta inclui um grande relvado central de um hectare apto a receber as mais diversas actividades, como jogos informais, concertos de pequena dimensão ou festivais. Isto além de um circuito de manutenção de 1500m, um parque canino, um skate park, quatro quiosques ao longo do parque ou uma fonte com repuxos de água junto ao relvado principal.

Publicidade
9

TPF Planege Cenor - Consultores de Engenharia e Gestão

Uma rede ciclo-pedonal elevada está nos planos desta última proposta, que acrescenta uma praça junto aos teatros que pode servir de palco, um skatepark e um centro interpretativo/educativo dedicado à Arte e Ecologia, que poderá estar em sintonia com as exposições da Fundação Calouste Gulbenkian. Destaque ainda para a ideia de convidar artistas portugueses para criar propostas de arte pública para o parque, que podem passar pela iluminação, pelo mobiliário urbano ou mesmo pelo próprio pavimento.

Ali à beira

Versailles
©Open House Lisboa/PedroSadio
Coisas para fazer

Oito paragens obrigatórias no Saldanha

Um filme indie? Um enxoval para criança? À partida, seria difícil encontrar estes dois serviços num só bairro, mas Lisboa é tão incrível que nada disto se torna inverosímil. Bem-vindos ao Saldanha e aos seus nobres arredores, onde há vida, e muita. Venha daí descobri-la. 

Casa Nepalesa - Sortido de Pratos
©César Baltazar
Restaurantes

Os melhores restaurantes nas Avenidas Novas

Italianos, nepaleses, japoneses e, como não podia deixar de ser, portugueses, numa linha muito tradicional. As Avenidas Novas têm oferta para todos os gostos e carteiras. Esta é a nossa escolha dos melhores restaurantes nas Avenidas Novas para comer bem quando andar de passeio pela zona.

Publicidade