Dez paragens obrigatórias no Saldanha

A pé ou de bicicleta, como a zona agora convida, passe por dez escalas muito recomendáveis nesta zona de Lisboa

©Open House Lisboa/PedroSadioVersailles, um clássico é um clássico

Um filme indie? Um enxoval? À partida, seria difícil encontrar estes dois serviços num só bairro, mas Lisboa é tão incrível que nada disto se torna inverosímil. Bem-vindos ao Saldanha e aos seus nobres arredores, onde há vida, e muita. Venha daí descobri-la. Seja para tomar o pequeno-almoço, para almoçar ou lanchar, ou fazer umas compras. A verdade é que por aqui há muito para fazer, independentemente da hora. Tem dúvidas? Então atente neste lista que lhe preparámos. É certo que assim não se vai perder – nem tão pouco arrepender. 

Recomendado: Os melhores restaurantes no Saldanha para comer

Saldanha e arredores

Padaria Portuguesa LAB

Nesta nova loja da Padaria Portuguesa a grande aposta é o pão de fermentação longa e feito com massa-mãe. Aqui testam-se novas ideias junto do cliente para que possam depois estender-se a outras lojas. Aos fins-de-semana, há brunch (16€).

Avenidas Novas

Apanhe uma das bicicletas da Emel

Falamos do sistema municipal de partilha de bicicletas, baptizado de Gira. Pode apanhar boleia de uma Gira se passar pela zona das Avenidas Novas e Alvalade, onde foram instaladas 15 estações. Pode requisitar uma bicicleta mediante um pagamento diário (10€, mais direccionado a turistas), mensal (15€) ou anual (25€). E em cada viagem até 30 minutos, são-lhe descontados 0,10€, se utilizar uma bicicleta convencional, e 0,20€ no caso de uma eléctrica.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Casa Museu Dr. Anastácio Gonçalves

Os mais distraídos mal darão pela moradia, já com o pé a fugir para as Picoas, mas em matéria de carácter museológico é uma mais-valia do bairro. Na verdade, aqui expõe-se o acervo reunido pelo médico coleccionador António Anastácio Gonçalves. São cerca de 3000 obras de arte arrumadas em três grandes núcleos: pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, porcelana chinesa e mobiliário português e estrangeiro.

São Sebastião

Nómada

Pegaram nas facas de fatiar peixe, nas esteiras de enrolar arroz e mudaram-se da outra margem para o coração de Lisboa, onde Mário Ribeiro, antigo chef executivo do Sushic e Francisco Bessone, o seu sub-chef, abriram o Nómada. No novo restaurante de sushi de fusão do Saldanha também há lugar para uma cozinha mais contemporânea.

Avenidas Novas
Publicidade

Companhia do Campo

Nesta loja de decoração, que nasceu em Campo de Ourique, combinam-se móveis rústicos com peças contemporâneas, clássicas e étnicas. Não sabe bem o que procura? Não se preocupe porque o serviço aqui é personalizado.

Lisboa

Espaço Nimas

Ao longo das últimas décadas tem recebido alguns dos mais relevantes eventos na área do cinema, e felizmente nem as salas do grandes shoppings conseguiram deitar por terra a sua fama na Avenida 5 de Outubro. Desde 1993 que a Medeia Filmes assegura a programação no Nimas, onde é sempre possível assistir a uma sessão de culto, comprar um DVD, ou ficar a par das últimas novidades mais alternativas.

Avenidas Novas
Publicidade

Pastelaria Versailles

É uma das pastelarias mais bonitas de Lisboa, inaugurada em 1922, com os tectos trabalhados, espelhos em art nouveau e candeeiros de cristal. Desde então, mantém-se como referência também em tudo o que serve, do tradicional bolo-rei à pastelaria em geral, que torna as vitrinas desta pastelaria numa das mais gulosas da cidade. Mas a Versailles não se fica pelos éclairs, nem se esgota nos pastéis de nata, ou nos espessos chocolates quentes. É exímia também à hora da refeição. Tem carne de bom corte com a qual faz famosos os croquetes e os pregos no pão. É, há quase um século, ponto de encontro de várias gerações.

Avenidas Novas

Casa Xangai

Foi fundada em 1938 e persiste como um clássico da Avenida da República. Alcançou fama pelos enxovais para criança, com destaque para os vestidos de baptizado e peças em cambraia. As gerações de famílias que aqui procuram peças para a sua prole vão sendo renovadas.

Avenidas Novas
Publicidade

Skøra

A maior referência que o comum mortal tem da cozinha nórdica é a cafetaria do Ikea, onde se comem boas almôndegas suecas mas a cozinha nórdica não é só isso: no Skøra há o melhor que se come na Dinamarca e nas ilhas Faroé mas também um bocadinho de tudo o que é nórdico, das sandes abertas com gravlax de salmão e as salsichas medista aos cinnamon rolls.

Lisboa

L'Éclair

Absurdos, geniais, insensatos, deliciosos, perfeitos, únicos, escandalosos. Todas as descrições das especialidades da L’Éclair são hiperbólicas e imprecisas, como a sensação de andar na lua ou a maternidade – é daquelas coisas que só quem passa por isso é que sabe. A desculpa para entrar é simples: "Já que passei por aqui...". Vá lá, sem culpas.

Avenidas Novas
Publicidade

Mais coisas para fazer na zona

Os melhores restaurantes no Saldanha para comer de manhã à noite

Pastelarias para as manhãs, restaurantes onde o prato do dia é a estrela e outros para ocasiões especiais. Para uma viagem ao passado, para o melhor éclair da cidade ou para comer à barra, já depois da meia-noite. Seguindo este roteiro pelos melhores restaurantes no Saldanha consegue isto tudo e nem precisa de se levantar cedo, que há uns quantos brunchs.

Por Catarina Moura
Publicidade

Comentários

2 comments
Maria P

E então esqueceram das lojas com gosto e coisas lindas- La Vie en Rose, boutique, mesmo a seguir à Pastelaria Versailhes

Sandra C

A Pastelaria Sequeira? Pode não ter a beleza da Versailles mas a pastelaria é magnifica.