Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Dia da Terra: como tratar o nosso planeta a partir de casa

Dia da Terra: como tratar o nosso planeta a partir de casa

Na data que assinala os 50 anos do Dia Internacional da Terra, olhamos para as nossas práticas e mostramos-lhe como pode reduzir o seu impacto a partir de casa, com a ajuda da Google

La Ciudad de México se preocupa por el ambiente
Foto: Istock / Vzoletkaipa
Por Sebastião Almeida |
Publicidade

Há 50 anos, em 1970, milhares de norte-americanos, sobretudos estudantes, saíam à rua por todo o país para protestar contra as políticas ambientais adoptadas. Gaylord Nelson, político e ambientalista, terá sido o responsável da iniciativa. Ao convidar os principais líderes estudantis de milhares de universidades e escolas secundárias para se juntarem e exigirem medida eficazes na consciencialização para os danos ambientais causados pelo excesso de poluição, abuso de recursos naturais e outros factores, lançava as fundações de uma data que se tornou, principalmente, educativa. Hoje, meio século depois, as preocupações são as mesmas.

Os estudantes continuam a ser a principal voz a exigir soluções para reverter a crise climática, mas a pandemia alterou-lhe as voltas. Porque a celebração se faz digitalmente, a Google, em parceria com a California Academy of Sciences e a Ellen MacArthur Foundation, lançou uma ferramenta interactiva que permite saber mais sobre economia circular e como aumentar o tempo de vida de vários objectos, como poupar electricidade ou diminuir o desperdício de água e alimentos. Abaixo, mostramos-lhe como.

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Your plan, your planet

Os directos acontecem no Instagram da Fashion Revolution Week
© DR

Roupa e objectos

Por ano, são produzidos em todo o mundo 100 mil milhões de peças de roupa. Desse número, apenas 1% dos materiais e fibras constituintes são encaminhados para reciclagem. O custo anual de roupas descartadas é de 460 mil milhões de dólares (cerca de 424 mil milhões de euros).

Ponha em prática hábitos de economia circular que lhe permitirão gastar menos e criar menos desperdício:

-Alugue roupa que só foi usada uma vez

-Leve tshirts não usadas a um alafaiate para que as possa reutilizar

-Doe roupa. É a melhor solução para se livrar das peças que já não usa

-Repare mobília antiga 

-Use garrafas de água reutilizáveis, em vez de recipientes de plástico

- Revenda telemóveis e outros equipamentos electrónicos. Mude de telemóvel, no mínimo, apenas a cada dois anos

h20 qualitty
Manu Schwendener/ Unsplash

Água

Se em média demorar cinco minutos no duche, gasta, num ano, o equivalente a 16 banheiras cheias de água. Na altura de lavar os pratos depois das refeições, as máquinas de lavar gastam metade da energia e um terço da água comparado com a lavagem à mão. Se tiver alguma torneira a pingar, uma gota que caia a cada dois segundos, corresponde a 3875 litros de água desperdiçados num ano.

Publicidade
Receba os produtos mais frescos sem sair de casa
© DR

Alimentos

Congelar os restos conserva as suas propriedades e mantém a comida segura indefinidamente (livre de bactérias, bolores). Se desperdiçar dois ovos semanalmente, durante um ano, equivale a gastar uma quantidade de água que daria para encher seis autocarros.

Outro dado relevante mostra que dois terços dos alimentos que desperdiçamos em casa poderiam ter sido utilizados se armazenados correctamente.

Sabe onde guardar os produtos?

-A carne congelada mantem-se própria para consumo por tempo indefinido. No frigorífico deverá ser consumida entre três a quatro dias

-As maçãs devem ser guardadas no frio. Se guardadas à temperatura ambiente, amadurecem seis a 10 vezes mais depressa. No frigorífico estarão bem conservadas até seis semanas

-O tomate não deve ser guardado no frigorífico. Armazene-o na bancada da cozinha, longe de luz directa. A refrigeração pode provocar uma perda de sabor e textura

Lightbulb
DR

Energia

Mesmo em standby, os dispositivos domésticos gastam cerca de 23% do custo total de energia em casa. Nos Estados Unidos,  este valor corresponde a 19 mil milhões de dólares por ano. 

Sabia que um portátil em standby, ligado à corrente, gasta 57kWh todos os anos? Isso corresponde às emissões de CO2 de uma viagem de uma hora de automóvel.

Com estas pequenas mudanças de comportamentos consegue reduzir consumos e gastar menos recursos:

-Desligar a televisão da corrente permite poupar 104 kWh anualmente, o que corresponde às emissões de CO2 libertadas ao conduzir um carro durante duas horas e meia

-Lavar a roupa a frio gasta 10 vezes menos energia e permite que as roupas durem mais tempo

Mundo sustentável

Time In Portugal 005
DR

Time In Portugal: Foca-te no Planeta

Os projectos sustentáveis que estão a salvar as nossas cidades e as melhores ideias para ser amigo do ambiente sem sair de casa. Leia grátis a Time In Portugal desta semana.

ISTO
Duarte Drago
Compras, Estilo de vida

As lojas e marcas sustentáveis em Lisboa que tem de conhecer

Hoje em dia, estar atento à pegada ecológica e tornar-se consciente das suas escolhas enquanto consumidor já se tornou habitual – comprar sustentável deixou de ser um bicho de sete cabeças e, para alguns, é já um estilo de vida. Também por isso Lisboa tem cada vez mais espaços e marcas que promovem este modo de vida. Reunimos marcas sustentáveis que tem de conhecer.

Publicidade
Prado Mercearia
©Manuel Manso
Restaurantes, Mercearias finas

Encha a despensa nas melhores lojas para comprar a granel em Lisboa

Grão a grão é realmente possível fazer a diferença no que toca à sustentabilidade, isto se nos tornarmos adeptos de compras a granel. Feijão, quinoa, arroz, nozes, tremoços ou infusões, os dispensadores destas lojas estão recheados e pode fazer o mesmo à sua despensa. Só no distrito de Lisboa, há 63 sítios de venda de produtos a granel.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade