Festival Cumplicidades: está o baile armado em Lisboa

O festival Cumplicidades volta a invadir a cidade.Não bailámos, mas fizemos as contas aos espectáculos.

Sete ao cubo é a conta que o Cumplicidades fez. Sete espectáculos, sete locais e em sete dias. Deste sábado, 10, até dia 16 de Março, a cidade recebe o Cumplicidades – Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa de braços e portas abertas, com programação de Tânia Carvalho (que pode conhecer aqui ao lado) e Abraham Hurtado.

“Há que desmistificar a ideia de que a arte contemporânea é para elites e é isso que queremos fazer com o Cumplicidades”, conta Francisco Camacho, fundador e director artístico da EIRA, estrutura artística que promove o festival. “Ainda há muito público por conquistar em Lisboa, há muita gente que nunca entrou numa sala de espectáculos e com esta programação podemos ajudar.”

No total são 56 apresentações, portanto não terá grandes desculpas para não picar o ponto numa delas. “A diversidade de locais e o número de vezes que o espectáculo é repetido é uma afirmação de que a dança quer estar mais tempo em cena e estar mais disponível para o público. Há aqui um lado reivindicativo, uma chamada de atenção para o mundo da dança”, explica Francisco.

Este ano, o festival cumpre o desígnio da rotação de programadores, e portanto Tânia Carvalho lidera as tropas (pode ler tudo aqui ao lado) no que diz respeitos aos sete espectáculos apresentados em sete sítios diferentes da cidade — Biblioteca de Marvila, Rua das Gaivotas 6, Cal- Primeiros Sintomas, Espaço Alkantara, Teatro da Trindade - Sala Estúdio, Teatro Ibérico e Negócio. Já Abraham produziu as sete Variações, um único espectáculo que é adaptado aos mesmos sete locais, interpretado por artistas internacionais dos países do Mediterrâneo.

A primeira vez

Nesta 3.ª edição, o Cumplicidades traz uma novidade, o Passaporte de Dança. Numa parceria com as Juntas de Freguesia da cidade, a iniciativa contempla um circuito amplo e diversificado de aulas de dança gratuitas, dirigido a todas as faixas etárias até este sábado, dia 10. De Marvila ao Lumiar, da Misericórdia a Carnide, são diferentes espaços que se juntam ao bailado, que vai do ballet ao lindy hop, sem esquecer a street dance ou a dança do ventre. Portanto, comece a pensar como se vai dividir entre espectáculos e aulas de dança. Junte-se ao baile.

A partir de 5€.

Mais em Lisboa

As peças de teatro em Lisboa a não perder em Março

O reportório contemporâneo domina a programação teatral para este mês na capital. E quando se fala de teatro contemporâneo fala-se em obras de autores, digamos, já testados. Contudo também se fala de novos textos, mais ou menos acabados de escrever e postos em cena por autores portugueses, o que é mais raro. Aqui vão 10 exemplos.

Ler mais
Por Rui Monteiro
Publicidade

Comentários

0 comments