Ideias para celebrar o Saint Patrick's Day em Lisboa

São Vicente é o padroeiro de Lisboa, Santo António é o mais popular, com direito a feriado e tudo. Mas este é o mês de São Patrício, o santo que não nos importamos de importar. Saiba como celebrar o Saint Patrick's Day em Lisboa.

Dia 17 celebra-se o Saint Patrick's Day e onde houver um irlandês – basta um – vai haver uma festa. Em Lisboa, as embaixadas não-oficiais da Irlanda (os pubs do Cais do Sodré) vestem-se de verde para assinalar a data. Mas não é só de cerveja, chapéus de duende e outros estereótipos que se faz o feriado irlandês.

Ideias para celebrar o Saint Patrick's Day em Lisboa

1

Jameson Arraial St Patrick’s

Algumas das melhores festas começam na véspera do dia oficial de festejos. Este é o terceiro ano da festa da Jameson em Lisboa associada a São Patrício, o santo irlandês que também tem direito a arraial, desta vez com festa marcada no Capitólio, a renascida casa de espectáculos do Parque Mayer com a programação a cargo da Sons em Trânsito.

Capicua, Moullinex e XINOBI ou Kid Francescoli são alguns dos músicos convidados, numa noite que também vai ter jogos, prémios e algumas surpresas. A organização diz que o evento é privado, mas há bilhetes a 10€ por cabeça. As informações saem deste email da Mood Events: mood@moodevents.pt.

Cine Teatro Capitólio, Parque Mayer. Sex 19.00-02.00. Bilhete Individual: 10€ (inclui duas bebidas Jameson)

Ler mais
Avenida da Liberdade
2

St Patrick's Day Party

3 /5 estrelas

Música, dança, whiskey e cerveja. Tudo isto, mas com chancela irlandesa, vai invadir a Fábrica Braço de Prata, onde a música estará a cargo das bandas Beltane (Polónia) e Crann Mór (Portugal) e está convidado a tentar aprender os movimentos da dança irlandesa com a Rince na Lisboa - Academy of Irish Dance ou a Escola Ana Kohler - Dança Irlandesa.

Pelo meio há petiscos irlandeses e alguns momentos happy hour. Para festejar que nem um irlandês.

Rua da Fábrica de Material de Guerra, 1 (Poço do Bispo). Sáb 22.00. 5€ (dá acesso a todos os eventos)

Ler mais
Marvila
Publicidade
3

Slemish - Irish Folk

A banda folk irlandesa Slemish foi convidada pela Riverside International Church, em Cascais, para homenagear o santo padroeiro da Irlanda em concerto. Fundados em 2005 em Belfast, os Slemish vêm carregados de instrumentos tradicionais da sua terra natal para apresentar canções de origem celta, entre baladas e ritmos mais enérgicos. A entrada é livre.

Riverside International Church, Avenida 25 de Abril, Galerias O Navegador, 1011, Piso -1 Loja 85 (Cascais). Sex 19.30-21.00

Ler mais
Cascais
4

O'Gilins e Hennessy's Irish Pub

3 /5 estrelas

O St Patrick’s Day é, sobretudo, uma festa de rua. E é no Cais do Sodré, nos bares Hennessy’s e O’Gillins, que o verde se vai instalar. São dos mesmos donos, estão a uma rotunda de distância, e são dois dos melhores bares irlandeses da cidade. Prometem-nos música ao vivo, mas não fazem descontos. 

 

Ler mais
Cais do Sodré
Publicidade
5

St. Patrick’s Day no Hard Rock Cafe Lisboa

4 /5 estrelas

O Hard Rock Cafe (HRC) comemora o feriado irlandês com sete dias especiais. Ou melhor, com uma especialidade que será servida apenas durante sete dias a partir de 17 de Março. Agora prepare-se: servido em pão torrado com alface, tomate e acompanhado das batatas do HRC, o The St. Maddy’s Guiness Bacon Cheeseburguer é um hambúrguer coberto com geleia de bacon e Jameson e ainda leva molho de queijo e Guinness. 

Se tiver um amigo irlandês, avise-o que o documento de identificação dá-lhe direito a um desconto de 50% neste hambúrguer, desde que o peça entre as 11.30 e as 14.00 de dia 17 de Março.

Ler mais
Avenida da Liberdade/Príncipe Real
6
Irish & Co

Irish & Co

Também o Irish & Co, que tem um espaço no Parque das Nações e outro na Doca de Santo Amaro, vai celebrar a data com meia pint de Guiness a 2,90€ o dia todo (normalmente é 3,20€).  

 

Publicidade
7

British Bar

É sempre importante ver o outro lado. Isto é: os ingleses celebram o dia, claro, mas a rivalidade entre Inglaterra e Irlanda tem séculos de história e isso continua a ser assunto. É por isso que o British Bar, também no Cais do Sodré, se veste a rigor para a ocasião. É a empregada Sara quem nos garante: “Todos os anos decoramos a casa e fica sempre um caos. Temos brindes e essas coisas. E não, não fazemos descontos porque não precisamos”. 

 

Ler mais
Cais do Sodré
8

The George

2 /5 estrelas

Já o pub inglês The George vai apostar na tal rivalidade. Sobretudo quando a última jornada do Torneio das Seis Nações de rugby põe em confronto os dois países, que estão muito bem posicionados na tabela. “É assim, queremos que a Inglaterra ganhe e que os ingleses venham cá ver o jogo e celebrar o dia. ”, explica Mafalda Bota, responsável do bar, que nos garante que vão ter três cocktails novos e uma promoção no Jameson Ginger and Lime (14€), leve três pague dois. 

 

Ler mais
Baixa Pombalina
Publicidade

Mais copos em Lisboa

Oito bares no Cais do Sodré

A categorização pode ter os seus problemas. Dizemos oito bares no Cais do Sodré ainda que alguns possam ser considerados cafés e outros discotecas. Mas afinal, na hora de beber um copo, o que é que isso importa?   Recomendado: Os melhores bares de Lisboa. 

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Os melhores bares na Graça

Lá de cima, vê-se a cidade como de nenhum outro lugar. Mas nem só de miradouros vive a Graça. Há muita coisa nova a dar nas vistas, mesmo depois do sol se pôr. Descubra os melhores bares na Graça, um bairro cheio de turistas mas que não abdica de ter vida própria.  Recomendado: Restaurantes obrigatórios na Graça

Ler mais
Por Clara Silva
Publicidade

Iniciação à cerveja artesanal – O Manual

Qual é a diferença (ou diferenças) entre a cerveja artesanal e, digamos, uma Super Bock? Não há uma resposta fácil e sucinta para essa pergunta, mas as diferenças são óbvias. A começar pelo sabor, os ingredientes usados e a variedade de propostas, passando pelo cariz menos comercial e, digamos, mais experimental. Os mais dados à poesia, porém, dirão que são cervejas feitas por pessoas e para pessoas. Mais fácil, e menos romântico, é dizer que são elaboradas por meios tradicionais, de forma independente e em quantidades relativamente pequenas. Os ingredientes são os mesmos? Embora a qualidade dos ingredientes usados varie de caso para caso, em princípio a base é a mesma: a água, que é 95% da cerveja, o malte e as leveduras para a fermentação, e o lúpulo, que confere amargor, aroma e contribui para a preservação. Claro que algumas têm outros elementos, como fruta ou ervas, até sal. Ouvi dizer que não levam nem corantes nem conservantes. Estragam-se rápido? Não. As bebidas alcoólicas aguentam muito tempo sem se estragar. E a grande maioria das cervejas artesanais pode ser bebida depois de ultrapassado o prazo de validade. No entanto, depois dessa data, os cervejeiros não garantem que o sabor e o aroma seja o pretendido – o sabor e o aroma, de resto, vão mudando ao longo da vida da cerveja na garrafa, muito antes de ultrapassado o prazo. Onde e quando é que isto começou? Outra pergunta difícil. Os monges trapistas europeus, por exemplo, fazem cervejas “artesanais” há sécul

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Comentários

0 comments