Lisboa Mistura 2018: bailar ao som do mundo na Ribeira das Naus

O festival Lisboa Mistura regressa à cidade e desce à beira-rio para mostrar a música do mundo
OPA, Lisboa mistura
Por Francisca Dias Real |
Publicidade

Abrir as portas de Lisboa para deixar entrar o mundo mesmo à beira-Tejo. Arranca esta quinta-feira mais uma edição do festival Lisboa Mistura e, até domingo, por lá fica na Ribeira das Naus para aquele que é um encontro entre ritmos e culturas do Mediterrâneo e do espaço ibero-americano, a preço zero.

Este ano, o Lisboa Mistura volta a integrar a programação das Festas de Lisboa para celebrar o Dia de Portugal, a 10 de Junho. “Celebrar este dia é tentar quebrar preconceitos. Precisamos de criar uma nova perspectiva de comunidade, e nós acabamos por ter um papel educativo através de um simples festival”, diz Carlos Martins, da Associação Sons da Lusofonia, que organiza o festival em parceria com a EGEAC.

Como nas edições anteriores, o Lisboa Mistura dedica o primeiro dia a uma Pré-Mistura, no B.Leza, e só depois se muda de armas e bagagens para a Ribeira das Naus, para usar a música e a cultura urbana como ponte para as dimensões sociais e políticas que integram o cosmopolitismo da cidade.

E festival não é festival sem ter uma zona dedicada à street food, para aconchegar o estômago depois de bater o pé no chão ao som dos ritmos do mundo. Conheça o plano de festas que lhe traçámos.

O que não pode perder

Noite

Quinta 22.00

icon-location-pin Cais do Sodré

Já é tradição que antes da verdadeira Mistura acontecer, na Ribeira das Naus, haja sempre uma Pré-Mistura. Esta acontece no B.Leza, às 22.00, e começa numa conversa para acabar num DJ set. À volta da mesa juntam-se Vítor Belanciano, Núria Rito Pinto, Carlos Martins e o DJ Johnny, que discutem a necessidade de desenvolver uma linhagem de influências do ponto de vista da música, isto porque muito do que é feito agora em Portugal tem origem em sons, músicas e formações de outras décadas, em países africanos de expressão portuguesa e Brasil. No fundo, discute-se a sistematização dessa narrativa em música.

da cruz

Sexta 19.00

Neste primeiro dia de Lisboa Mistura, a festa começa lá para as 19.00 com um Sunset Mistura da responsabilidade da DJ e produtora Cigarra, que leva à Ribeira das Naus os ritmos brasileiros directamente de São Paulo. Logo a seguir, o comando é assumido pelo projecto sociocultural Nice Groove (21.00), que envolve o público na sua actuação. Às 21.30, preparese para o baile funk, afrobeat, dub e hip-hop da brasileira Mariana Da Cruz. O dia acaba com Metá Metá, a banda brasileira que nos traz um disco marcado pelo contexto sociopolítico que se tem vivido no Brasil nos últimos anos.

Publicidade

Sábado 18.00

O dia começa mais cedo na Biblioteca de Marvila com um ensaio aberto da OPA – Oficina Portátil de Artes, que actua no dia seguinte. Voltando à Ribeira das Naus, o pôr-do-sol faz-se ao som de DJ Johnny (18.00), seguido de mais uma arruada dos Nice Groove. Lá para as 20.30, a banda de afrobeat They Must Be Crazy apodera-se do palco para, às 22.00, dar lugar a IKOQWE, a dupla composta por Pedro Coquenão (artisticamente conhecido como Batida) e o activista Luaty Beirão. A noite fecha com o saxofonista e cantor Orlando Julius, pioneiro do afrobeat e dos cruzamentos da música africana com a música afroamericana, que se junta aos londrinos The Heliocentrics (23.30).

Mais festa em Lisboa

arraial da renovar a mouraria
©Carla Rosado
Coisas para fazer

Santos Populares 2018: 53 arraiais em Lisboa

A curtir todos os santos ajudam, mas nenhum ajuda tanto quanto o Santo António. Durante o mês de Junho (e ainda com alguns resquícios em Julho), o santo mais popular de Lisboa transforma a cidade num imenso arraial enquanto assiste, deliciado, ao sacrifício de milhares de sardinhas. 

casa dos bicos por rui sousa
©Rui Sousa
Coisas para fazer

O melhor das Festas de Lisboa 2018

Desocupe a sua agenda porque vai precisar de espaço (e de muita energia) para o que se segue. Junho é provavelmente o mês em que os lisboetas menos dormem (ai arraiais, arraiais) mas é também o mês em que as olheiras são melhor toleradas no local trabalho, portanto comece por descontrair e siga os nossos conselhos até ao fim.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com