A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
jardim dos passarinhos, quiosque, pirouette
Sara Sanz PintoPirouette

Dez paragens obrigatórias na Avenida Sabóia

Na Avenida Sabóia, em pleno coração do Monte Estoril, não faltam espaços, alguns deles bem recentes, que merecem uma visita.

Escrito por
Sara Sanz Pinto
Publicidade

Há dias, Miguel Esteves Cardoso escreveu assim no jornal Público. "Há poucos lugares no mundo que passam a minha prova dos cem: num máximo de cem metros, tem de haver quatro atracções – um sítio onde tomar qualquer coisa, um sítio onde comprar jornais e revistas estrangeiras, um sítio onde se possa fazer umas comprinhas para levar para casa e, finalmente, um sítio para estacionar o carro. Agora vem a parte que choca toda a gente, mas que eu não posso alterar, sob pena de desrespeitar uma regra que já vai com décadas de tradição: esses cem metros incluem as deslocações do carro até aos três estabelecimentos, de ida e de volta. Falta sempre qualquer coisa. Nas grandes cidades, falta o estacionamento. Nas pequenas, faltam os jornais franceses ou as revistas americanas. Mas no Monte Estoril, na Avenida Sabóia, existem esses cem metros perfeitos", remata.

Caso queira ficar-se pelos cem metros de MEC, entre o Ray's Bar e a Queijaria do Monte, pode deixar-se ficar, que fica lindamente. Mas caso queira andar mais uns metros para cima e para baixo, sugerimos-lhe dez paragens obrigatórias na Avenida Sabóia.

Recomendado: Cascais – para passar um dia ou a vida toda

Dez paragens obrigatórias na Avenida Sabóia

  • Museus
  • Música
  • Cascais
  • preço 1 de 4

Viola micaelense, cavaquinho, bandolim português, harmónio, castanholas, adufes... Podíamos ficar aqui a debitar um rol de instrumentos portugueses que, quase de certeza, o Museu da Música Portuguesa – Casa Verdades Faria teria um exemplar. Reúne os espólios de Michel Giacometti e Fernando Lopes-Graça, além do acervo do maestro Álvaro Cassuto, numa casa projectada por Raul Lino. Tem um bonito jardim, de entrada gratuita.

  • Compras
  • Boutiques
  • Cascais

A Cura abriu em Fevereiro de 2018 numa pequena loja no Monte Estoril, mas desde o começo que se mostrou bem recheada de bonitas marcas minimalistas, tanto para homens como mulheres. Lá encontra artigos da Komono, Barbour, Paez, Novesta, Hoff, Dreamcatchers, Otherwise e Mystica. A responsável pelo bom gosto é a proprietária Mafalda Amaral.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Pastelarias

Com um nome que vai directo ao assunto – aqui vendem-se croissants, muitos croissants –, abriu em Setembro de 2020 na Avenida de Sabóia, uma das artérias de comércio que os locais mais gostam de frequentar. “Foi desenhado para ser um negócio a ser franchisado e já temos uma loja nova em Campo de Ourique”, conta David Goldrajch, o dono. A massa e os recheios, doces e salgados, são todos feitos na casa.

  • Restaurantes
  • Português
  • Cascais

Não se deixe enganar pelas cadeiras de marcas de cerveja e a tijoleira gasta d’O Sinaleiro porque, apesar da pouca aposta na decoração, aqui pode provar comida tradicional portuguesa muito bem confeccionada. Peça os filetes de pescada com arroz de tomate ou o bitoque da vazia, e termine com a deliciosa mousse de chocolate caseira.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Mediterrâneo
  • Cascais

O Villa Sabóia é um sonho antigo do actor Lourenço Ortigão que um dia resolveu abrir um restaurante e criar um canal sobre culinária no YouTube. É um "sushi & gin bar" com dois pisos, três salas e capacidade para 60 pessoas. No rés-do-chão são servidas refeições mais leves e há também serviço de takeaway. O piso de cima é mais sofisticado e tem uma "cozinha mediterrânica" com vários de pratos de peixe e carne. A carta é assinada pelo chef Fernando Semedo.

  • Compras
  • Queijarias
  • Grande Lisboa

A Queijaria do Monte tem mais de 60 tipos de queijo à venda, a grande maioria vinda do estrangeiro. É uma loja que nasceu de uma vontade comum nos últimos tempos: mudar de vida. À porta, o cheiro não engana: aqui o queijo é realmente o centro de tudo, mesmo que lá dentro existam umas prateleiras com vinho, azeite ou tostas – no fundo, tudo o que acompanha bem com queijo. O destaque, porém, está nas duas vitrines repletas de queijos de todos os tamanhos, cores e formas, separadas por uma mesa onde se pesam, cortam e provam alguns destes produtos. Há aqueles que estão embalados, maiores ou mais pequenos, e outros tão grandes que até custam a pegar. Alguns duram pouco tempo na vitrine, outros só precisam que alguém lhes ponha os olhos em cima para começarem a desaparecer. Todos os queijos vendidos a peso e cortados ali podem ser provados (os que já estão embalados, não). Mas também pode deixar-se ficar a comer numa das mesinhas postas na rua: uma tábua de queijos à medida, enchidos e vinho para acompanhar. Além disso, há a opção de comprar um queijo e pedir uma parte para comer ali numa tábua e levar a outra para casa. É tudo feito ao gosto do freguês.

Publicidade
  • Compras
  • Presentes e lembranças
  • Cascais

É uma típica papelaria-tabacaria, actualmente quase em vias de extinção. Vende, tal como o nome indica, cigarros, jornais, revistas, cadernos, agendas, canetas e lápis, mas lá também encontra brinquedos para crianças, livros infantis e para adultos, e toda uma variedade de artigos que lhe podem salvar a face e servir de presente de aniversário perante um convite de última hora (ou desorganização da sua parte). É ainda possível tomar café, numas mesinhas do lado exterior, e acompanhá-lo com as famosas bolachas de manteiga da pastelaria Gregório, em Sintra.

  • Bares
  • Cascais

Mais do que um bar, o Ray’s Bar funciona quase como o clube dos moradores do Monte Estoril. É um pub à moda antiga, com um ambiente exótico, que serve de ponto de encontro tanto a portugueses, como a estrangeiros residentes ou de passagem. O ambiente sem pretensões e animado agrada a pessoas das mais variadas idades. Além das bebidas, servem ainda refeições ligeiras. 

Publicidade
  • Compras
  • Mercearia de bairro

Reabriu há uns meses com uma boa oferta de produtos portugueses e, sempre que possível, biológicos e de produtores locais. Lá dentro encontra, por exemplo, vários tipos de Peter Pão (3,60€-4,80€), artesanal e cozido em forno a lenha, uma considerável variedade de queijos e enchidos, medronho (36€-49€) e vinho do Porto (12€) ou da Ilha do Pico (59€), cervejas artesanais, como a Estoril Vida ou a Perfect Peaks (3,10€-2,85€), frutas e legumes, além dos produtos habituais em qualquer mercearia de bairro.

  • Restaurantes

A rematar a Avenida Sabóia, no Jardim Carlos Anjos (mais conhecido por Jardim dos Passarinhos), este café / esplanada / ponto de encontro é há decadas o grande motor da vida social do talvez mais bonito bairro do concelho de Cascais. Agora renovado, o quiosque tem opções para todas as horas do dia. Servem brunches, pokes, bruschettas, tábuas de queijos e enchidos, sumos, vinhos, sangrias e cocktails.

O melhor da Linha

  • Coisas para fazer

Se é certo que muitos projectos foram adiados ou ficaram pelo caminho por causa da Covid-19, outros houve que decidiram arriscar e dar-se a conhecer em plena pandemia. Tem sido desde sempre trabalho da Time Out estar atenta a tudo o que nasce de novo na Grande Lisboa. Vai daí, pusemo-nos em linha e corremos as capelinhas todas para reunir as novidades em Cascais, porque bem sabemos que não gosta que lhe escape nada. Fica a meia hora da capital e tem algumas boas novas para descobrir, especialmente na área da restauração. Siga as nossas pistas e rume à Linha para ver o que há de novo em Cascais.

  • Compras

Destino novo (ou carimbo repetido, não importa) pressupõe sempre um passeio pelas lojas locais. Em Cascais vai encontrá-las espalhadas por diferentes zonas, algumas bem no centro, outras na Cidadela de Cascais, algumas no Estoril, outras em bairros residenciais, mas ainda assim a merecer uma visita. Das concept stores que vendem de tudo um pouco – e que ajudam a fugir às grandes marcas multinacionais que existem em todo o lado – às livrarias independentes, de lojas onde se vendem arte e artesanato português a outras que apostam em roupa para andar em Cascais (isto é, mais descontraída), estude esta lista e saiba os sítios onde é muito tentador abrir a carteira e passar o cartão.

Publicidade
  • Coisas para fazer

Cascais criou um verdadeiro microclima cultural com a implementação daquilo a que chamou de Bairro dos Museus. O conceito é simples e só requer que dê umas voltinhas pelo perímetro que concentra um conjunto de equipamentos dedicados à cultura na vila. Concebido pela Câmara Municipal de Cascais e pela Fundação D. Luís I, o Bairro dos Museus em Cascais distingue-se pela sua faceta inovadora e de coerência cultural, que permite que em curtas distâncias possa saltitar entre os vários habitantes deste bairro. Preparado para a maratona?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade