Sete novidades de Outono a não perder

Que os dias mais curtos não sirvam de desculpa para não sair de casa. Lisboa tem novidades para todos os gostos.

Fotografia: Manuel Manso

Um novo quiosque e um novo escape room, uma nova queijaria e um novo restaurante, já para não falar nos novos éclaires da L'Éclair. Afinal, há muitos motivos para ficarmos felizes com a chegada do Outono. 

7 novidades de Outono a não perder

Os novos éclairs da L’Éclair
Fotografia: Arlindo Camacho
1/7

Os novos éclairs da L’Éclair

Peguem na pessoa mais faladora do mundo e levem-na ao L’Éclair. De certeza que vão conseguir uns segundos de sossego. É que a pastelaria fina de Matthieu Croiger tem as melhores criações (usamos “criações” de propósito, armados em estilistas) para entreter os maxilares. Chegou a semana passada a colecção de Outono/Inverno (lá está, “colecção”) de onde fazem parte dez novidades. Experimente o de Chocolate Negro, porque “com um vestido preto nunca me comprometo” e o de Limão-Yuzu, um clássico de meia-estação. Os preços são de alta costura: entre os 4,50€ e os 4,90€.

A Não Perder!
O éclair Gold, uma excentricidade que lembra um Ferrero Rocher alongado, resultado de uma luxuosa alfaiataria de sabores: leva chocolate Biskelia 34% da Valrhona, creme de baunilha de Madagáscar e fava de Tonka, noz pecan caramelizada e caramelo.

Ler mais
Avenidas Novas
A nova esplanada do Palácio Galveias
2/7

A nova esplanada do Palácio Galveias

Ainda não foi inventado um sítio melhor do que a biblioteca para quem quer estar sozinho rodeado de outras pessoas. A Biblioteca Municipal Palácio Galveias, renovada e reaberta em Junho, vem suprir a falta de lugares onde os mais ensimesmados podem estar em rebanho. E o quiosque que voltou à vida há duas semanas foi fundamental para colocar o Campo Pequeno no mapa do esplanadarismo lisboeta. Saúda- -se a chegada do Acaso, um lugar que serve bebidas e refeições ligeiras (há poke bowls, as saladas de peixe havaianas da moda) num cenário que varia entre o palaciano (por causa do Palácio Galveias), a distopia maximalista (basta olhar para a Culturgest) e o bucólico (se nos sentarmos na relva).

Ler mais
Areeiro/Alameda
O primeiro escape game de Campo de Ourique
(C)DR
3/7

O primeiro escape game de Campo de Ourique

Já são muitas as salas de rapto voluntário em Lisboa, mas a mais recente de todas, a Safarka Escape Room em Campo de Ourique, é especial. Isto porque emprega actores profissionais que tornam a experiência toda mais intensa – e não, não é porque eles se queixam de que “nunca mais houve teatro na televisão”. Os actores interferem na narrativa e tornam e experiência de viajar até às profundezas da terra mais realista. É este o enredo deste jogo de fuga que começa numa pirâmide na Somália e vai por aí abaixo. A aventura é para maiores de 18 anos, mas crianças maiores de 12 podem ir desde que acompanhadas por um adulto.

Ler mais
Por Renata Lima Lobo
O novo restaurante da moda: Naked no Príncipe Real
Fotografia: Arlindo Camacho
4/7

O novo restaurante da moda: Naked no Príncipe Real

Não vá ao engano, este não é um restaurante para naturistas. E não vá duplamente ao engano, este não é um restaurante para naturalistas – esses são os que estudam a natureza e não os que se despem. Adiante. Vá ao Naked só se o quiser riscar da sua lista um dos novos restaurantes da moda e conhecer pratos de comida saudável sem fundamentalismos – o que quer dizer, sem carne e sem alimentos processados. É um restaurante flexitariano* com opções deliciosas para todo o tipo de esquisitices. Perdão, dietas. Ai, perdão, “regimes alimentares”. É isso.


* Flexitari-quê?l
Flexitariano. Se calhar nunca ouviu falar. Mas não se assuste porque o corrector ortográfico e o Priberam também não. Mas nós explicamos. O flexitarianismo é uma espécie de vegetarianismo flexível, ou em part-time, adoptado por pessoas que se alimentam sobretudo de vegetais mas não excluem totalmente a carne e o peixe da sua dieta. É o “católico não praticante” da superioridade moral alimentar.

Ler mais
Princípe Real
A tap room da Musa em Marvila
Fotografia: Francisco Santos
5/7

A tap room da Musa em Marvila

Talvez seja precipitado falar em “beer district” tendo em conta as divisões administrativas em Portugal e a quantidade de cervejarias em Marvila – apenas três: Lince, Dois Corvos e Musa. Propomos, em alternativa, a expressão “freguesia da cerveja” ou o mais popular “paróquia da jola”. A verdade é que a Fábrica Musa é um ponto a favor nesta apropriação geográfica extraída a partir da cevada e do malte. Abriu no início de Outubro e apresenta todas a sua panóplia de cervejas à pressão e mais algumas sazonais ou experimentais, num total de 12 torneiras – lagers, stouts, ales, etc*. Para encher a sala e esvaziar os barris, a Fábrica Musa organiza concertos e DJ sets.

*Pequeno léxico da cerveja artesanal

Lager
Cerveja fermentada a baixas temperaturas, fácil de beber. É aquilo a que podemos chamar, longe dos snobs, “uma cerveja normal”.

Porter
Cerveja preta, mais amarga, feita a partir de malte tostado. Pode ter um travo a café.

IPA
Lê-se “ai pi ei” e significa indian pale ale, um tipo de cerveja de lúpulo, mais forte, frutada e amarga.

Growler
Garrafas de vidro reutilizáveis que pode levar para casa e trazer de volta com a sua cerveja de pressão preferida.

IBU
Abreviatura para International Bitter Units, diz-nos o grau de amargor da cerveja. Exemplo: 15, pouco amarga; 60, muito amarga.

AVB
Significa “alchool per volume” e é o nível alcoólico da cerveja que estamos habituados a ver nos rótulos em percentagem.

Ler mais
Por Miguel Branco
O renovado Chafariz de Dentro
Arlindo Camacho
6/7

O renovado Chafariz de Dentro

Finalmente está resposta a verdade topográfica: o Largo do Chafariz de Dentro, em Alfama, voltou a ter um chafariz lá dentro. E a funcionar. A mais antiga parede que dá água de Lisboa (o primeiro registo é de 1280) volta assim a refrescar passeantes. A água é potável e está fresquinha.

Ler mais
Por Renata Lima Lobo
A queijaria Maître Renard
Fotografia: Manuel Manso
7/7

A queijaria Maître Renard

Se o mito de que o queijo faz esquecer é verdade, então se calhar não íamos ser capazes de. De acabar a frase anterior? Seria isso? Não interessa. Abriu em Outubro em Campo de Ourique a queijaria – perdão, fromagerie – Maître Renard, um projecto de dois amigos franceses que gostam muito daquilo que os franceses são famosos por gostar. Os queijos vêm de vários sítios mas há uma predominância de rodelas gaulesas. Sobra espaço para outros lacticínios franceses, vinhos, patés, mostardas e compotas.

Ler mais
Campo de Ourique

Outono em Lisboa

Sete novidades de Outono a não perder

Um novo quiosque e um novo escape room, uma nova queijaria e um novo restaurante, já para não falar nos novos éclaires da L'Éclair. Afinal, há muitos motivos para ficarmos felizes com a chegada do Outono. 

Ler mais
Por Luís Leal Miranda

Cinco esplanadas para fingir que é Verão

O Royale Café presenteia os seus clientes com mantas para a esplanada exterior, uma técnica repetida pelo recentemente renovado Noobai, que será em breve reforçado com aquecedores de esplanada. O Park também tem desses apetrechos, fazendo deste terraço uma espécie de réplica de outro hemisfério. À beira-rio pode encontrar conforto nas mantas do À Margem ou no Le Chat.

Ler mais
Por Luís Leal Miranda
Publicidade

Comentários

0 comments