11 filmes a não perder na 11ª edição do MotelX

Aí está ele. Como todos os anos por esta altura, o MotelX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa chega à capital e vá lá de assustar, melhor, entusiasmar os adeptos do cinema de terror. 11 filmes, comemorando 11 edições, seguem já.
68 kill
Alfonso Bresciani 68 Kill no MotelX
Por Rui Monteiro |
Publicidade

Este ano virado para homenagear Roger Corman e Alejandro Jodorowsky, o MotelX apresenta uma programação vasta, em curtas e longas-metragens e actividades paralelas várias. Mas o que interessa, aqui e agora, são as novidades, o que não se viu e talvez nem se veja no circuito comercial. E aí vão 11 exemplos.

11 filmes a não perder na 11ª edição do MotelX

Camera

The Limehouse Golem

O filme de Juan Carlos Medina, apresentado como “uma revisitação feminista do mito de Jack, o Estripador”, é um dos poucos com estreia comercial anunciada. Diz o enredo que depois de uma série de assassinatos, a abalada comunidade começa a acreditar que os crimes só podem ter origem numa criatura lendária, o tal Golem do título. À frente da caçada estão Bill Nighy, Olivia Cooke e Eddie Marsan.

Cinema São Jorge. Ter, 5, 00.15. Qua, 6, 19.05

Camera

Kuso

Com direcção do músico Flying Lotus, argumento seu e de David Firth, e interpretação de Hannibal Buress, George Clinton e David Firth, esta película, sensação nas sessões de meia-noite no Festival de Cinema de Sundance, é uma proposta “escatológica e experimental” passada depois de um devastador tremor de terra abalar Los Angeles.

Cinema São Jorge. Qua, 6, 00.05

Publicidade
Camera

The Bar

Paranóia e suspeição não são alheias ao cinema de Álex de la Iglesia. Desta vez, no seu mais recente filme, o realizador do País Basco fecha um grupo de cidadãos no interior de um café madrileno depois de um tiroteio deixar duas vítimas caídas e sem vida no passeio. O argumento é do conhecido Jorge Guerricaechevarría e, nos principais papéis, encontram-se Blanca Suárez, Mario Casas e Carmen Machi.

Cinema São Jorge. Qua, 6, 19.00. Sex, 8, 14.30

Camera

Prey

É, decerto, um dos mais conhecidos realizadores do cinema de terror holandês. Foi ele quem dirigiu o aterrorizador O Elevador, em 1983, ou o igualmente assustador Amsterdamned, em 1988. Agora, Dick Maas está em Lisboa para apresentar esta variação sobre Tubarão, desta vez com leões e carradas de humor negro traduzidas nas interpretações de Mark Frost, Sophie van Winden e Victor Löw.

Cinema São Jorge. Qua, 6, 23.45. Qui, 7, 19.00

Publicidade
Camera

The Night of the Virgin

O realizador basco Roberto San Sebástian, com esta negra e cómica história de Guillermo Guerrero – em que durante a noite de passagem de ano um rapazola tenta perder a virgindade –, procura subverter as convenções do género. Para tal, mistura e volta a dar à sua maneira universos distintos como os de, por exemplo, Sam Raimi e Rob Zombie, neste filme com Javier Bódalo e Miriam Martín.

Teatro Tivoli BBVA. Qui, 7, 23.45. Cinema São Jorge Sex, 8, 21.40 Sala 3

Camera

Rift

Gunnar (Björn Stefánsson) rompeu com Einar (Sigurður Þór Óskarsson) e, meses depois, recebe um telefonema do ex-namorado. O homem parece-lhe, digamos, desorientado, e Gunnar põe-se a caminho da cabana isolada numa ilha onde vive Einar sem saber dos perigos que corre. Tirando isto, com este filme, o realizador islandês Erlingur Óttar Thoroddsen, cria, a bem dizer, o subgénero LGBT no cinema de terror.

Cinema São Jorge. Qui, 7, 21.35. Sex, 8, 16.45

Publicidade
Camera

Lake Bodom

Também do Norte da Europa, mas desta vez da Finlândia, chega esta película mais ou menos tradicional de Taneli Mustonen. Filme em que uns jovens campistas (Nelly Hirst-Gee, Mimosa Willamo, Mikael Gabriel, entre outros), aí pelos idos de 1960, são esfaqueados até à morte por um psicopata. O que é, aliás, apenas o mote para este argumento de Aleksi Hyvärinen e Taneli Mustonen.

Cinema São Jorge. Sex, 8, 19.10. Sáb, 9, 21.40

Camera

Lowlife

Pode ser um dos momentos do festival, a estreia do realizador Ryan Prows (o qual, com a actriz Nicki Micheaux, estará presente no MotelX). A sua primeira longa-metragem, com argumento de Tim Cairo e Jake Gibson, sobre a sordidez das vidas de um toxicodependente, um ex-presidiário e um praticante de luta livre, tida como uma “variação de Tarantino para a era Trump”, tem sido recebida com alguma fanfarra nos fóruns especializados em cinema de terror.

Cinema São Jorge. Sex, 8, 21.30

Publicidade
Camera

68 Kill

Amor, loucura e dinheiro, ou, como já se escreveu, um filme punk sobre feminilidade, masculinidade e o roubo de 68 mil dólares. Confuso? Pois tudo começa com um par de mortos e só depois se sabe a maluquice de história que está por detrás destes assassinatos, evidentemente movidos pela inveja e o oportunismo das soluções fáceis. Comédia negra, o filme, escrito e dirigido por Trent Haaga, tem Matthew Gray Gubler, AnnaLynne McCord e Alisha Boe nos papéis principais.

Cinema São Jorge. Sáb, 9, 19.05

Camera

Cold Hell

Stefan Ruzowitzky recebeu, em 2007, o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro, com Os Falsificadores. Uma década depois, o realizador austríaco está no MotelX para apresentar Cold Hell. No filme, com argumento de Martin Ambrosch, uma mulher (Violetta Schurawlow), em Viena, na Áustria, testemunha um assassínio, mas é vista pelo matador (Tobias Moretti) e, claro, a sua vida dá uma grande volta. Perante a indiferença da polícia, apesar da boa vontade de um detective (Robert Palfrader), a protagonista tem de encontrar maneira de se proteger e escapar com vida.

Cinema São Jorge. Sáb, 9, 21.35. Dom, 10, 19.15

Mostrar mais

Tenha medo, muito medo

Filmes, Terror

Oito filmes de terror realizados por mulheres

Aquela ideia do sexo fraco, lembram-se? Pois, apesar da pujança do sexismo, essa forma de ver as mulheres está morta. Razão? Simples: elas já não vão nisso. E afirmam-se, mesmo que seja preciso acotovelar uns homens para, por exemplo, fazerem filmes de terror. Há mais, mas por enquanto ficam estas pioneiras.  

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com