Lubitsch Americano: um mês de filmes de encantar na Cinemateca

Vai durar até ao fim do mês (mas em Abril há mais) e ainda assim fica-se pelos filmes dirigidos por Ernst Lubitsch nas décadas de 1930 e 1940. O ciclo não chega para conhecer tudo, mas dá uma boa ideia sobre o “toque de Lubitsch”

Heaven Can Wait na Cinemateca

A Cinemateca criou uma espécie de teia de ciclos para apresentar toda a obra de Ernst Lubitsch. O cineasta, que viveu entre 1892 e 1947, não teve uma vida longa, mas chegou para dirigir mais de sete dezenas de filmes e encontrar lugar próprio entre os ícones de Hollywood. Sete amostras.   

Lubitsch Americano: Um mês de filmes de encantar na Cinemateca

Ladrão de Alcova (1932)

Gaston é um hábil aldrabão e Lily uma talentosa carteirista. Primeiro tentam roubar-se um ao outro, mas cedo percebem, até por se apaixonarem entretanto, que juntos é que é. O enredo leva-os até Paris, Gaston arranja outro nome e torna-se secretário de uma ricalhaça, a quem em breve vai controlar a fortuna. Porém, não é só a polícia que está na sua peugada… Com Herbert Marshall, Miriam Hopkins e Kay Francis.

Segunda, 27, 15.30

Uma Mulher para Dois (1933)

Quando uma mulher não se consegue decidir entre dois homens que a amam… Enfim, seria mais fácil para a personagem interpretada por Miriam Hopkins se os cavalheiros em questão não fossem interpretados por Fredric March e Gary Cooper. E mais fácil seria se os três, neste filme baseado em peça de Noel Coward, não tentassem viver juntos uma amizade platónica.


Quarta, 1, 15.30; Quinta, 9, 19.00 

Publicidade

A Viúva Alegre (1934)

Há um problema no pequeno reino de Marsóvia quando a principal pagadora de impostos, a muito rica e viúva Sonia, decide partir para Paris. Para resolver a coisa, o conde Danilo é enviado à capital francesa para a impedir de casar com um estranho qualquer e abandonar à sua pouca sorte financeira o reino. Mas nem tudo corre pelo melhor ao embaixador nesta película com Jeanette MacDonald, Edward Everett Horton e Maurice Chevalier.


Sexta, 10, 15.30; Quarta, 15, 21.30 

O Anjo (1937)

A mulher e o marido irem de férias separados é sempre sinal de sarilhos, e é claro que qualquer personagem como esta, interpretada por Marlene Dietrich, se mete em encrencas sentimentais por tudo e por nada. Enfim, Herbert Marshall, Melvyn Douglas que se cuidem.


Sábado, 11, 21.30; Quinta, 16, 15.30 

Publicidade

Ninotchka (1939)

Foi a primeira vez que Greta Garbo se riu num filme, dizia a publicidade de então para atrair ainda mais público a esta comédia anticomunista cheia de graça. Tudo começa porque o partido não confia nos seus enviados a Paris com a missão de fazer dinheiro para os sovietes vendendo as jóias da condessa Swana. Vai daí envia, para os controlar, a severa e dogmática Ninotchka, comissária política que conhece um cavalheiro cheio de charme e, pronto, também ela cairá na armadilha capitalista.


Sábado, 4, 21.30; Sexta, 17, 15.30

O Céu Pode Esperar (1943)

Há mais de uma versão de O Céu Pode Esperar, mas, sem ofensa, esta é a que interessa. Nela Gene Tierney, Don Ameche e Charles Coburn têm interpretações carregadas de subtileza e comicidade que ampliam o efeito da história do homem convencido de que nunca terá lugar no céu e que, por isso, vai sem demora na direcção contrária. Contudo, como a vida que ele conta a Sua Excelência, a pós-morte também tem muito que se lhe diga.


Quarta, 1, 19.00; Quarta, 8, 15.30

Publicidade

O Pecado de Cluny Brown (1946)

A rapariga, que não é outra senão a própria Jennifer Jones, quer muito ser canalizadora (gostos…) e tenta ajudar um jovem com problemas na canalização (não, não é essa canalização em que estão a pensar) durante uma festa. A coisa não corre bem, principalmente pela quantidade de coquetéis que a rapariga bebe enquanto conhece e convive com um escritor checo. A situação, porém, é salva pelo tio da moça, que decide arranjar-lhe emprego numa casa rica. E não é que é mesmo nessa casa que ela encontra o mesmo escritor checo, interpretado por Peter Lawford…

Quinta, 30, 21.30 

Clássicos do cinema

Cinquenta filmes clássicos imprescindíveis

Comédias e westerns, policiais e melodramas, ficção científica e fantástico, sem esquecer o musical, fazem parte desta lista de fitas clássicas. Nela encontramos obras de realizadores como Buster Keaton, Fritz Lang, Ingmar Bergman, John Ford, Howard Hawks, Fellini, Truffaut, Godard, Luchino Visconti ou Martin Scorsese, entre muitos, muitos outros.   

Ler mais
Por Eurico de Barros

Sete cenas românticas clássicas do cinema

Beijos assolapados, traições, finais trágicos. O cinema está cheio de cenas de amor inesquecíveis e estas sete derretem os corações mais insensíveis e fazem chorar as pedras da calçada. 

Ler mais
Por Eurico de Barros
Publicidade

Comentários

0 comments