Mulheres de armas no cinema

Aproveitando a estreia esta semana de 'Atomic Blonde-Agente Especial', com Charlize Theron no papel de uma super-agente secreta na Guerra Fria, recordamos sete actrizes que dão cartas no cinema de acção

Mad Max: Fury Road

Juntam-se a Charlize Theron neste punhado de mulheres duras de roer do cinema, com provas dadas em vários filmes, Pam Grier, Michelle Rodriguez, Angelina Jolie, Michelle Yeo, Cynthia Rothrock e Milla Jovovich.

Mulheres de armas no cinema

Pam Grier

Muito antes de aparecer em Jackie Brown, de Quentin Tarantino, em 1997 já Pam Grier era, nos anos 70, a rainha dos dos filmes policiais e de acção de blaxploitation, graças a personagens que faziam gato-sapato dos homens como Coffy (Coffy, de Jack Hill, 1973), Foxy Brown (Foxy Brown, do mesmo realizador, 1974), Sheba Shayne (Sheba Baby, a Pantera Negra do Harlem, de William Girdler, 1975), ou ainda Friday Foster (Friday Foster, de Arthur Marks, 1975). Grier acaba de rodar Old School Gangstas, de Fred Williamson, onde reencontra muitos dos actores com quem trabalhou nos tempos da blaxploitation, como Richard Roundtree, Jim Brown e o próprio Williamson, ou ainda Robert Forster, seu parceiro em Jackie Brown.

Cynthia Rothtrock

Campeã e cinturão negro de uma impressionante série de artes marciais, esta americana desempoeirada a quem já chamaram “a versão feminina de Chuck Norris,” celebrou 60 anos há poucos meses e é a rainha indisputada do cinema de acção série B dos EUA desde meados dos anos 80, tendo aparecido também nalgumas produções de artes marciais rodadas em Hong Kong. Vários dos seus filmes passaram em Portugal nas décadas de 80 e 90, nos cinemas de programação mais popular, como é o caso de Raiva Armada, China O’Brien, a Lutadora, Anjo de Aço ou Olho por Olho. Além de actriz e produtora, Cynthia Rothrock é também professora de artes marciais.

Publicidade

Michelle Yeo

Uma das actrizes asiáticas mais conhecidas no Ocidente, juntamente com Gong Li, Maggie Cheung, Zhang Ziyi ou Qi Shu, Michelle Yeo, nascida na Malásia, tem formação de bailado clássico, o que a ajudou a preparar-se para os seus papéis no cinema de acção e artes marciais. Vimo-la, entre muitos outros, em filmes como Honra e Vingança (1986), Supercop, a Fúria do Relâmpago (1992), aqui ao lado de Jackie Chan, Os Sete Fantásticos (1994), 007- O Amanhã Nunca Morre (1997), contracenando com o James Bond de Pierce Brosnan, O Tigre e o Dragão, de Ang Lee (2000), O Talismã (2002) ou A Múmia-O Túmulo do Imperador Dragão (2008).

Milla Jovovich

Mal sabia esta supermodelo ucraniana quando começou a fazer filmes, que a sua fama no cinema iria assentar na personagem de uma série de títulos de ficção científica iniciada em 2002 e concluída em 2016 e baseada num jogo de vídeo, Resident Evil. Jovovich, que já era fã do jogo, preparou-se para o papel de Alice, a matadora de zombies de um futuro pós-apocalíptico, aprendendo karaté e kickboxing. Mesmo que boa parte das sequências de acção que protagoniza nos filmes da série sejam feitas à base de efeitos especiais, quer tradicionais, quer de computador. Jovovich também tem entrado noutros filmes de acção, caso de Refém (2002), .45 (2006) ou Sobrevivente (2015). Sem esquecer, naturalmente, O 5º Elemento, de Luc Besson (1997)

Publicidade

Angelina Jolie

Foi graças a ter dado corpo a Lara Croft, a erótica heroína homónima do mundo virtual dos jogos de vídeo, nos dois filmes de Tomb Raider em 2001 e 2003, que Angelina Jolie ganhou as suas cartas de nobreza no cinema de acção e entrou para o imaginário dos apreciadores do género. Mas é preciso não esquecer que já tinha mostrado jeito para tais andanças em Regresso ao Inferno (1998) e no policial O Coleccionador de Ossos, de Philip Noyce (1999). Jolie tomou-lhe o gostou e continuou a trilhar caminho em Tirar Vidas (2004), Mr. e Mrs. Smith (2005), Procurado (2008) ou Salt (2010), aqui numa agente da CIA com contornos de versão feminina de 007.

Michelle Rodriguez

Desde que se revelou logo no primeiro filme, o excelente Girlfight, de Karyn Kusama (2000), que esta texana filha de mãe dominicana e pai porto-riquenho se tornou numa presença constante do cinema policial, de acção e de ficção científica, alinhando fita atrás de fita. Vimo-la em produções tão variadas, mas sempre dura de roer, como Resident Evil (2002), S.W.A.T.-Força de Intervenção (2003), BloodRayne (2005), Avatar, de James Cameron (2009), Machete (2010), Invasão Mundial: Batalha Los Angeles (2011), Velocidade Furiosa 6, 7 e 8 (2013, 2015 e 2017) ou A Missão, de Walter Hill (2016). Mesmo em fitas menores, a tough chick Michelle Rodriguez nunca nos deixa mal.

Publicidade

Charlize Theron

Só os muito, muito distraídos é que estranharão o papel de Charlize Theron como super-espia quebra-ossos e de pontaria mortal em Atomic Blonde-Agente Especial, passado em Berlim Leste poucos dias antes da queda do Muro. Theron já havia feito parte do elenco de Velocidade Furiosa 8 este ano, e quem pode esquecer a sua fabulosa Imperator Furiosa em Mad Max: Estrada da Fúria, de George Miller (2015)? Antes, a actriz sul-africana tinha ainda aparecido em Prometheus, de Ridley Scott (2012), Aeon Flux, de Karyn Kusama (2005), Um Golpe em Itália (2003), Encurralada (2002) ou Jogo de Traições, de John Frankenheimer (2000). Rodagem de acção é o que não lhe falta.

Cinema no feminino: os melhores filmes de...

Scarlett Johansson

Scarlett Johansson começou a fazer filmes quando ainda era criança e já foi dirigida por nomes como Woody Allen, Sofia Coppola ou Spike Jonze, tendo entrado em comédias, dramas, produções de época ou de ficção científica. 

Ler mais
Por Eurico de Barros

Naomi Watts

Já anda nisto do cinema e da televisão desde 1986, foi nomeada para dois Óscares e mais um rol de prémios, entrou em quase meia centena de longas-metragens, mas apenas um pequeno punhado dos filmes em que participou têm o que se costuma chamar “qualidade”. Más escolhas, mau agenciamento, incapacidade para dizer não? Seja como for, aqui ficam os cinco melhores filmes de Naomi Watts.

Ler mais
Por Rui Monteiro
Publicidade

Meryl Streep

Faça lá as contas: 80 papéis, 19 nomeações aos Óscares, 3 vitórias. Se isto não merece um prémio de carreira, então não sabemos o que merece. A 74ª edição dos Globos de Ouro distinguiu Meryl Streep, de 67 anos, com o prémio Cecil B. DeMille. Enquanto o discurso da actriz norte-americana se tornou viral, nós fomos à procura dos seus 10 melhores filmes.

Ler mais
Por Eurico de Barros

Comentários

0 comments