Os rivais de James Bond no cinema

Agora que Daniel Craig vai voltar a interpretar 007 num novo filme da série, convém lembrar que sempre houve, e continua a haver, outros espiões que o desafiam na tela
James Bond, Skyfall
Por Eurico de Barros |
Publicidade

O actor Daniel Craig disse que preferia cortar os pulsos a fazer mais um James Bond, mas afinal vai voltar a encarnar o agente secreto mais famoso da história do cinema. Aqui, recordamos os grandes rivais de 007 no cinema. 

Os rivais de James Bond no cinema

Camera

Harry Palmer

Criado pelo escritor britânico Len Deighton deliberadamente por oposição ao carismático e aventuroso James Bond, Harry Palmer é um discreto agente secreto inglês que usa óculos e só recorre à violência em último recurso. Palmer, o anti-007, foi protagonizado por Michael Caine em cinco filmes: O Caso Ipcress, de Sidney J. Furie (1965), O Meu Funeral em Berlim (1966), de Guy Hamilton (que também realizou fitas de James Bond), Um Cérebro por um Milhão (1967), de Ken Russell, O Comboio do Leste, de George Mihalka (1995) e Tensão Máxima em São Petersburgo, de Douglas Jackson (1996).

Camera

Matt Helm

Surgido primeiro em livro como um agente secreto realista e pragmático, Matt Helm, criação de Douglas Hamilton, saltou para o cinema nos anos 60 interpretado por Dean Martin como uma paródia assumida e bem-disposta a James Bond e aos seus filmes. Martin viveu Helm na tela ao longo de quatro filmes: Matt Helm, Agente Muito Secreto (1966), de Phil Karlson, Matt Helm não Perdoa, de Henry Levin (1966), Quem Brinca com o Fogo Queima-se, de Henry Levin (1967) e Um Perigo em Cada Curva, de Phil Karlson (1968).

Publicidade
Camera

Derek Flint

James Coburn interpretou este super-agente secreto da Z.O.W.I.E. (Zonal Organization World Intelligente Espionage), que não só parodia o estilo de 007 e os seus filmes, como lhes faz referências directas, já que Flint chega a ter uma pistola do mesmo modelo da de James Bond, uma Walther PPK e cita a organização criminosa SPECTRE que aquele combate. Coburn foi Flint em Flint, Agente Secreto, de Daniel Mann (1966) e Flint, Perigo Supremo, de Gordon Douglas (1967).

Camera

George Smiley

Imortalizado na televisão por Alec Guinness, George Smiley, o espião muito british criado por John Le Carré mais ao menos na mesma altura em que Len Deighton concebeu Harry Palmer, e também com uma clara intenção de dar uma visão realista e anti-espectacular do mundo da espionagem, foi recentemente personificado no cinema por Gary Oldman em A Toupeira, de Tomas Alfredson (2011). Este filme é a versão cinematográfica da minissérie homónima de 1979 com Guinness.

Publicidade
Camera

Jack Ryan

Antigo militar, professor e consultor e agente da CIA especializado em contra-espionagem, Jack Ryan é “filho” de Tom Clancy, o autor expoente do chamado techno-thriller de espionagem, e é um homem que concilia o intelecto e a acção. No cinema, Ryan já foi personificado por quatro actores diferentes em cinco filmes: Alec Baldwin em Caça ao Outubro Vermelho, de John McTiernan (1990), Harrison Ford em Jogos de Poder-O Atentado (1992) e Perigo Imediato (1994), ambos de Phillip Noyce, Ben Affleck em A Soma de Todos os Medos, de Phil Alden Robinson (2002) e Chris Pine em Jack Ryan: Agente Sombra, de Kenneth Branagh (2014).

Camera

Austin Powers

Mike Myers concebeu a figura do agente britânico Austin Powers e os seus filmes são simultaneamente um gozo pegado e uma homenagem sentida a todo o universo do cinema de espionagem, às suas figuras, estereótipos e situações feitas, começando no próprio 007 e acabando em Derek Flint e Matt Helm, e também espiões da televisão como Jason King. A trilogia Austin Powers é composta por Austin Powers-O Agente Misterioso (1997), Austin Powers: O Espião Irresistível (1999) e Austin Powers em Membro Dourado (2002), todos de Jay Roach. Myers interpreta Powers e ainda os vilões Dr. Evil, Fat Bastard e Goldmember.

Publicidade
Camera

Spy Kids

Carmen (Alexa PenaVega)  tem 12 anos, Juni (Daryl Sabara) tem nove. São filhos de um casal de espiões reformados, Ingrid e Gregorio Cortez (Carla Gugino e Antonio Banderas) e jovens agentes da OSS (Organization of Super Spies). Criações de Robert Rodriguez, os Spy Kids vivem aventuras que combinam a espionagem, a ficção científica e a fantasia, e já apareceram em quatro filmes: Spy Kids: O Filme (2001), Spy Kids. A Ilha dos Sonhos Perdidos (2002), Spy Kids 3D-Game Over (2003) e Spy Kids: Todo o Tempo do Mundo (2011), todos de Robert Rodriguez.

Camera

Jason Bourne

Ex-agente especial e assassino profissional da CIA que sofre de amnésia, e cuja verdadeira identidade é David Webb, Jason Bourne é uma criação do escritor Robert Ludlum e um anti-herói torturado pelo seu passado. Matt Damon dá-lhe corpo no cinema, em Identidade Desconhecida, de Doug Liman (2002), Supremacia, (2004), Ultimato (2007) e Jason Bourne, todos realizados por Paul Greengrass. Dentro da série mas sem o Bourne de Damon, há ainda O Legado de Bourne, de Tony Gilroy (2012), com Jeremy Renner.

Bond, James Bond

Na toca do lobo livro onde vinha a imagem
©DR
Arte

O verdadeiro James Bond

Ele foi mais Bond do que o próprio James Bond. Dusco Popov inspirou o agente secreto mais famoso do mundo da literatura e do cinema e ainda assim era muito melhor do que ele, garante Larry Loftis, autor de Na Toca do Lobo, o novo livro sobre o jugoslavo e playboy, agente duplo e triplo durante a II Guerra Mundial. 

Gillian Anderson as Bond, from her Twitter @GillianA, 2016
@GillianA
Filmes

Seis mulheres que podiam ser James Bond

Daniel Craig andava a torturar-se sem saber se queria ou não quer fazer mais um filme de James Bond quando Gillian Anderson postou no Twitter um cartaz de si própria como Jane Bond, candidatando-se ao lugar. Pegando na deixa, aqui ficam seis actrizes que gostaríamos de ver na corrida para o papel.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com