9 discos para oferecer no Natal

Para o menino e para a menina, para a avó e para o amigo que usa sacos de pano. Sugerimos 9 presentes de Natal em forma de disco. Para fazer um furor na troca de prendas.
Taylor Swift
Photograph: Courtesy Big Machine Records Taylor Swift
Por Miguel Branco |
Publicidade

De Taylor Swift a Camané, passando por Father John Misty e The National. Temos muitas ideias para presentes de Natal neste artigo. Só há um problema: são todos discos, ou seja, é bom que existam leitores de CDs lá por casa. Por outra: na casa da pessoa que receber a prenda. Há gostos para todos os elementos da família. É só escolher. 

  

9 discos para oferecer no Natal

Camera

Para o avô

Camané - Camané canta Marceneiro

Anda toda a gente a cantar toda a gente. Mas não é por isso que este Camané canta Marceneiro não é um belo disco. Até porque não é todos os dias que alguém se lembra de homenagear uma lenda do fado como Alfredo Marceneiro. Quem se deve lembrar dele é o seu avô, que o mais provável é que, enquanto rasga o embrulho, diga, que nem um ultra, que “o fado do Alfredo é que era a sério”.

13,99€

Camera

Para a avó

Raquel Tavares - Roberto Carlos por Raquel Tavares. Do Fundo do Coração

Não é que seja inédito, mas esta relação amorosa Brasil-Portugal continua a dar frutos. Desta vez, é a fadista Raquel Tavares quem edita o disco Roberto Carlos por Raquel Tavares. Do Fundo do Coração. Uma referência de infância para a cantora, que decidiu incluir canções como “Você”, “Fera Ferida” e “Emoções”. Numa quadra como esta, nada como emocionar a sua avó com um disco do seu cantor brasileiro preferido.

12.99€

 

Publicidade
Camera

Para a mãe

Father John Misty - Pure Comedy

Mãe que é mãe, ainda que não o exija, precisa de amor. Precisa de carinho pelas preocupações que os filhos, o marido e os pais lhe dão, precisa de palavras dedicadas a si, de se sentir valorizada. E Father John Misty é perito nesta arte de encantar mulheres, com a sua voz melosa e canções românticas. Ofereça Pure Comedy e talvez oiça menos raspanetes.

15.99€

Camera

Para o pai

António Zambujo - Até Pensei que Fosse Minha

António Zambujo, na verdade, é para o pai como podia ser para quase todos os elementos da família. É um homem transversal, que neste Até Pensei que Fosse Minha só canta canções do eterno e lendário Chico Buarque, de quem o seu pai só pode ser o maior fã. Se errar no presente, já sabe, para o ano ofereça um do Chico Buarque, cantado por ele próprio.

10€

 

Publicidade
Camera

Para o irmão mais velho

The National - Sleep Well Beast

Os National são aquela banda-fenómeno que mal espirram aparecem milhares de pessoas com lenços. A prova disso, é que o concerto dado no Coliseu dos Recreios esgotou com uma antecedência digna de Rolling Stones. É claro que para a malta mais nova o conjunto de Matt Berninger pode já ser descontextualizado e uma seca. Mas para quem viveu os primeiros anos do novo milénio ao máximo, este Sleep Well Beast, sétimo disco da banda, é daqueles presentes de Natal com direito a obrigado e beijinho.

11.99€

Camera

Para o irmão mais novo

Vince Staples - Big Fish Theory

A primeira razão para este disco ser um belo presente de Natal é simples: é um dos melhores discos do ano. E, seguramente, o melhor disco de rap do ano. Vince Staples tem-se estabelecido como um rapper-génio, capaz de juntar as melhores rimas sobre os melhores instrumentais. Big Fish Theory parece um enredo passado na pista de dança, uma espécie de club-rap, que vai na mouche para o seu irmão mais novo, que anda por aí a descobrir a noite.

11.99$

Publicidade
Camera

Para a irmã

Taylor Swift - Reputation

Uma coisa é certa: atingir a reputação de Taylor Swift não é proeza para qualquer um. Nem mesmo para a sua irmã, que esperamos que seja popular na sua arte, seja ela qual for. Ao mesmo tempo, este sexto disco da artista pode bem ter uma conotação pedagógica, ou seja, “mana, se fores tão poderosa quanto ela tens a vida feita, mas não precisas disso tudo, és melhor do que isso”. Já viu? Até lhe damos o discurso para o momento da entrega.

17.99€

Camera

Para o amigo que gosta de porrada

Putas Bêbadas - Orgulho de Ex-Buds

Bom, quando a banda tem este nome exclui-se logo a família, não vá acusarem-no de ser asneirento, algo que o Natal prefere manter à margem. E depois, escusa de negar, todos temos aquele amigo que adora wrestling e perde noites a ver combates de várias artes marciais. É que o concerto de apresentação deste disco foi algures em Campolide, num ginásio de boxe, e o opening act foi um combate de MMA. Estamos em campo noise-rock que até tem desvios ao trap. Ofereça o disco enquanto pratica o fisinher do seu lutador preferido. Impossível falhar.

8€

Publicidade
Camera

Para o amigo que usa sacos de pano

Ariel Pink - Dedicated to Bobby Jameson

Está a ver o estilo, não está? Aquele saco reutilizável com o qual todos os outros amigos gozam, mas que ele, do alto da sua confiança, ignora ou manda para um sítio. E os amigos das pessoas que usam sacos de pano têm que ser capazes de identificar a música que mais lhes dá gosto. Ariel Pink anda lá desde que começaram a ouvir música, desde que ponderaram ou chegaram mesmo a pintar o cabelo de cor-de-rosa. Dedicated to Bobby Jameson é um disco que fala sobre Bobby Jameson, um cantor dos anos 60 que a o mundo da música, agentes e promotores, decidiram maltratar. Ou seja, foi indiciado como a próxima grande cena e depois esquecido em vão. Esta lenga-lenga não lhe interessa? Mas ao amigo do saco de pano interessa e muito.

16.99€

Músicas de Natal

Natal Diferente
©DR
Música

Os melhores discos de Natal

O Coro de Santo Amaro de Oeiras, o Michael Bublé e o Bing Crosby não têm lugar nesta lista de discos de Natal. Mas pode contar ouvir clássicos como "Silent Night" ou "Joy to the World", pelas vozes e mãos de gente séria. Dos Beach Boys a Sufjan Stevens, passando por Phil Spector ou John Fahey, entre outros. Há música natalina para todos os gostos e situações.

Música, Pop

A humanidade não merecia isto, muito menos no Natal

Chegou a época do consumismo desenfreado e das estrelas pop desesperadas. Haverá melhor maneira de festejar do que com uma dezena de canções simplesmente horríveis? Há grandes canções de Natal, é verdade, mas estes terrores reunidos pela Time Out Londres são um reflexo muito mais honesto das semanas que se aproximam em filas de centros comerciais, jantares temáticos e encontros de família. Divirta-se com a pior playlist de Natal de todos os tempos.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com