Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Charles Aznavour (1924-2018): cinco canções absolutas (mais duas portuguesas)

Charles Aznavour (1924-2018): cinco canções absolutas (mais duas portuguesas)

Cantor francês morreu no Dia Mundial da Música. Tinha 94 anos. Gravou 1200 canções ao longo de sete décadas de carreira

1985-92 TROUVILLE
© Roland Godefroy © Roland Godefroy
Publicidade

Símbolo da França e da chanson que o século XX popularizou, Charles Aznavour morreu nesta segunda-feira, aos 94 anos, depois de uma longuíssima carreira. O cantor francês deixou a sua assinatura em mais de mil canções, um número que dispara para 1200 quando estão em causa os temas a que deu voz. Cantou em oito línguas. Vendeu 150 milhões de discos. Fez cinema e teatro. Interveio – tanto na política nacional francesa como internacional.

Apesar de ter nascido em Paris, a 22 de Maio de 1924, os pais eram arménios. O seu nome verdadeiro era Shahnour Vaghinagh Aznavourian. Em 1988, envolveu-se numa grande campanha de ajuda humanitária para as pessoas do país de origem, destruído por por sismo brutal. Foi nomeado embaixador itinerante da Arménia na Unesco, em 1995, e embaixador da Arménia na Suíça em 2009. Ainda nos anos 1970, em França, viu-se a braços com a Justiça, num processo em que era acusado de fraude fiscal e que se arrastou durante anos.

No entanto, “Aznavoice” será sempre lembrado pela música. Passou duas vezes por Portugal na sua digressão de despedida, que durou toda uma década: primeiro em 2006, depois em 2016. “La bohème”, “Il faut savoir”, “Hier encore”, “La Mamma” ou “Tous Les Visages de L'amour” (que a maioria das pessoas conhecerá na versão inglesa, “She”, que Aznavour cantou mas que Elvis Costello popularizou) são canções intemporais.

Outras composições do francês podem ouvir-se nas vozes de outros músicos com impacto mundial: Édith Piaf, Serge Gainsbourg, Sylvie Vartan, Juliette Gréco, Johnny Hallyday, Frank Sinatra, Elton John, Dean Martin, Bryan Ferry, Carole King, Paul Anka, Sting, Amália Rodrigues. A fadista gravou “Aïe mourrir pour toi”. Mas não foi a única portuguesa a cantar Aznavour: Simone de Oliveira tem no seu reportório “C'est triste Venice”. São as cinco canções – mais duas – que damos a ouvir abaixo.

Reciomendado: Dez canções com cheiro a maresia

As canções inesquecíveis de Charles Aznavour

“La bohème”

“Il faut savoir”

Publicidade

“Hier encore”

“La Mamma”

Publicidade

“Tous les visages de l'amour”

“Aïe mourir pour toi”, Amália Rodrigues

Publicidade

“C'est triste Venice”, Simone de Oliveira

Mais música

Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band
@Cortesia The Beatles/Apple Records
Música

10 grandes discos com 50 anos: 1967

Dia 1 de Junho, dia da Criança, e dia de Beatles e do seu Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, lançado há precisamente 50 anos. Mas a lista de preciosidades com meio século de vida não fica por aqui. De Hendrix a Cohen, de Doors a Mothers of Invention, entre em modo de escuta.

Publicidade