Dez bilhetes de concertos para oferecer no Natal

Quer dar música no Natal, mas acha que o Spotify tornou os discos obsoletos? Dê bilhetes para concertos. Sugerimos estes dez
Yo La Tengo
Yo La Tengo
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

É daqueles que acha que a Internet, em geral, e as plataformas de streaming legais, em particular, tornaram os discos redundantes, ou mesmo obsoletos? Acha que dar para cima de 15 euros por uma rodela de música é um exagero quando uma mensalidade de Spotify, Apple Music ou coisa que valha ronda os 6,99€? Fica acordado até de manhã a interrogar-se sobre como é que, neste mundo e neste contexto, vai ter cara para dar música à família no Natal? A resposta é simples: bilhetes para concertos (e festivais). Sugerimos estes dez.

Recomendado: Os melhores discos de Natal

Dez bilhetes de concertos para oferecer no Natal

Joan Baez
©DR
Música, Folk, country e blues

Joan Baez

icon-location-pin Coliseu dos Recreios, Santa Maria Maior
icon-calendar

Com mais de 60 anos de carreira, marcados pelo activismo por várias e justas causas, Joan Baez é uma referência da música folk e da canção de protesto americana. No primeiro de Fevereiro regressa ao Coliseu dos Recreios, naquela que é anunciada como a sua última digressão. O alinhamento não estará, ainda assim, circunscrito ao seu valoroso passado, que esta mulher ainda tem coisas para dizer e editou em 2018 o primeiro álbum de música nova em dez anos, Whistle Down the Wind.

Yo La Tengo
Photograph: Carlie Armstrong
Música

Yo La Tengo

icon-location-pin Cineteatro Capitólio, Avenida da Liberdade
icon-calendar

São os maiores. Também são um bom exemplo de longevidade e consistência, de seriedade. Os Yo La Tengo andam nisto desde 1984 e os fundadores Ira Kaplan e Georgia Hubley tocam com James McNew desde 1991. É este trio que vem a Lisboa e que, em 2018, lançou There’s A Riot Going On, que partilha o nome com um discaço de Sly and the Family Stone. Um disco nocturno e vasto, desapressado, onde faixas distorcidas de cinco minutos ou mais coexistem com pequenas canções de dois minutos, mas nem sempre nem por isso mais directas.

Publicidade
© Snow Patrol.jpg
© Snow Patrol
Música, Rock e indie

Snow Patrol

icon-location-pin Campo Pequeno, São Sebastião
icon-calendar

Os Snow Patrol são uma banda de pop-rock com uma pegada global, apesar de não venderem tantos discos (nem terem tantos streams) como alguns dos seus correligionários. Regressaram às prateleiras em 2018, com Wildness, sete anos depois do anterior Fallen Empires (2011) e 20 anos depois da estreia com o álbum Songs for Polarbears. Em Julho vieram ao NOS Alive e voltam a Lisboa em Fevereiro.

Sam the Kid
©DR
Música

A História do Hip-Hop Tuga

icon-location-pin Altice Arena, Parque das Nações
icon-calendar

O espectáculo "A História do Hip-Hop" foi apresentado pela primeira vez em 2017, no Sumol Summer Fest. Era para ter sido um concerto único, mas a pedido de muitas famílias vai repetir-se a 8 de Março na Altice Arena. A ideia é a mesma de 2017: juntar em palco alguns dos maiores nomes do hip-hop nacional ao longo dos últimos 25 anos, num concerto que é uma aula de história rimada. E ritmada. O elenco é vasto e inclui rappers como os Black Company, Boss AC, Capicua, Carlão, Chullage, Dealema, General D, ProfJam e Sam The Kid, entre outros.

Publicidade
Música

Metallica

icon-location-pin Estádio do Restelo, Belém
icon-calendar

Não há muitas bandas como os Metallica. Fundados por Lars Ulrich e James Hetfield no início dos 80s, foram um dos grandes nomes do thrash metal americano da década, e desde o iníco dos anos 90 que é neles que a maior parte das pessoas pensa quando pensa em metal. Ponto. Ao longo dos anos tentaram reinventar o seu som em mais do que uma ocasião, mas no mais recente álbum, Hardwired… To Self-Destruct (2016), optaram por recuperar a fúria thrash dos primeiros tempos.

Backstreet Boys
DR
Música

Backstreet Boys

icon-location-pin Altice Arena, Parque das Nações
icon-calendar

Uma das mais populares boy bands dos anos 90 está de volta a Lisboa. Na bagagem, os Backstreet Boys trazem DNA (2019), o décimo disco de originais. O concerto em Lisboa é o primeiro depois de uma longa estadia em Las Vegas – entre Novembro e Abril, estes rapazes têm quase duas dezenas de concertos marcados para o Zappos Theater.

Publicidade
Música

Rod Stewart

icon-location-pin Altice Arena, Parque das Nações
icon-calendar

No activo desde a década de 60, o britânico Rod Stewart é um caso sério de sucesso, com mais de 200 milhões de discos vendidos em todo o mundo. E – goste-se ou não – assinou suficientes êxitos para preencher umas quantas compilações. Editou o 30.º álbum, Blood Red Rose, em 2018.

The Smashing Pumpkins
© Linda Strawberry
Música

NOS Alive '19

icon-location-pin Passeio Marítimo de Algés, Oeiras
icon-calendar

Nenhum festival português tem a dimensão do NOS Alive. É o que dizem os números: a quantidade de bilhetes vendidos (e o preço dos mesmos), o número de palcos, o volume de concertos, até os cachês dos principais artistas. Mas para além desses valores, encontra-se um cartaz que aposta na diversidade. O festival de Oeiras não tem uma identidade clara, nem um público definido, porque quer chegar a toda a gente. E não há mal nenhum nisso. Entre os nomes confirmados para a próxima edição estão The Cure, Bon Iver e The Smashing Pumpkins.

Publicidade
Música

Diana Krall

icon-location-pin Hipódromo Manuel Possolo, Cascais
icon-calendar

A cantora canadiana Diana Krall é um dos primeiros nomes que vêm à cabeça quando se pensa no edpcooljazz. Não só por já lá ter actuado umas quantas vezes, mas porque o seu smooth jazz assenta que nem uma luva no festival. E, nem de propósito, foi o primeiro nome confirmado para a 16.ª edição. Tudo indica que o alinhamento não se vai centrar no seu álbum de 2018, Love Is Here to Stay, em dueto com o veterano Tony Bennett, mas antes nas canções a que emprestou a voz ao longo dos anos. Tendo em conta que lançou 15 discos nos últimos 25 anos, tem muito por onde escolher.

Música

Muse

icon-location-pin Passeio Marítimo de Algés, Oeiras
icon-calendar

Juntos desde meados da década de 90 (ainda que o primeiro álbum, Showbiz, só tenha saído em 1999), os Muse são hoje uma espécie de Michael Bay da pop-rock progressiva. As suas canções são melodramáticas, têm fogo de artifício e malabarismos instrumentais, além de uma energia quase juvenil. Como se os Led Zeppelin e os Queen tivessem um filho adolescente com perturbação de hiperatividade e défice de atenção. 

Então é Natal

Compras

Já comprou a sua camisola de Natal?

Se ainda não sabe expressar o grande amor por tudo o que é natalício (ou pelo contrário o pequeno ódio de estimação) é ficar atento à lista que se segue. A pensar no fenómeno da ugly christmas sweater (camisolas de Natal feias) andámos à procura de camisolas quentes que cumpram esse requisito de tão fofinhas e exageradas que são. Arranjámos umas quantas mais minimalistas, que o Natal é para todos, não só para quem se gosta de vestir de duentes e pôr luzes a piscar ao peito.

Coisas para fazer

Os melhores mercados de Natal em Lisboa

Para o menino, para a menina, novinho em folha ou à espera de uma segunda vida. Não há volta a dar: por esta altura, os mercados na cidade multiplicam-se como fatias de bolo-rei na hora do lanche. Comece a preparar a época festiva – para os jantares de grupo, a consoada, o almoço de família, a festa na noite de 25 de Dezembro, a passagem de ano e até o Dia de Reis. E para dar, não se esqueça de despachar já os presentes. Anote as melhores sugestões para fazer compras de Natal em Lisboa. Preparado para as ideias que se seguem? Vamos a isso.

Publicidade
Filmes

Os melhores filmes de Natal para ver em família

Cinema bem intencionado e xaroposo é próprio do Natal. E, lamecha que seja, muitas vezes faz falta e é compensador olhar estes filmes e pensar como o mundo seria bem melhor assim: uma ficção atribulada com final feliz. Mas não são só essas películas que associamos à quadra. Antes, durante e depois da deglutição do bacalhau ou do polvo, do peru e de quantidades pornográficas de doces, uma boa fita calha sempre bem. E entre os melhores filmes de Natal também há clássicos de acção, um outro monstrinho e comédias mais ou menos ácidas. É só escolher.

Publicidade