Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Dez versões clássicas de “I Concentrate on You”
Música, Compositor, Coler Porter
©DR Cole Porter

Dez versões clássicas de “I Concentrate on You”

“Quando tudo corre mal, encontro força ao pensar em ti”, diz-nos esta célebre canção de Cole Porter

Por José Carlos Fernandes
Publicidade

“I Concentrate on You” foi composto por Cole Porter para o filme Broadway Melody of 1940, com Fred Astaire e Eleanor Powell e realização de Norman Taurog. O filme inclui vários números musicais com canções de Cole Porter, entre as quais estão “I’ve Got My Eyes on You”, “Begin the Beguine” e “I Concentrate on You”, que foi cantado por Douglas McPhall e dançado por Astaire e Powell.

A letra apresenta o pensamento no objecto amado como bóia de salvação em momentos difíceis: “Quando os céus se ensombram/ E os sarilhos começam a fervilhar/ Quando os ventos ganham demasiada força/ Concentro-me em ti// Quando a fortuna não me sorri/ E todos me dão por acabado/ Quando as canções que me restam são lamentos/ Concentro-me em ti”.

Recomendado: Os concertos estão de regresso ao Hot Clube, mas ainda à distância

Dez versões clássicas de “I Concentrate on You”

1. Tommy Dorsey

Ano: 1939

A primeira gravação da canção foi realizada para a RCA Victor a 29 de Dezembro de 1939 – ainda antes da estreia do filme, que teve lugar a 9 de Fevereiro de 1940 – pela orquestra de Tommy Dorsey com Anita Boyer, naquela que seria a última colaboração da cantora com Dorsey.

2. Frank Sinatra

Ano: 1947
Álbum: Songs by Sinatra vol. 1 (Columbia)

Esta versão de “I Concentrate on You” faz parte de Songs by Sinatra vol. 1, um álbum de quatro discos de 78 rpm (e um total de oito faixas) que Sinatra gravou para a Columbia e que, como a maioria do material do cantor nesta editora, teve arranjos de Alex Stordahl.

O cantor retomou a canção 14 anos depois, em Sinatra's Swingin' Session!!! (um álbum para a Capitol preenchido com novas versões de canções gravadas para a Columbia nos anos 40), e 20 anos depois, nos álbuns Close to You e Francis Albert Sinatra & Antônio Carlos Jobim.

Publicidade

3. Chris Connor

Ano: 1955
Álbum: This Is Chris (Bethlehem)

Em 1954, Chris Connor iniciou carreira em nome próprio na Bethlehem, com dois LP de 10’’, Sings Lullabys for Lovers e Sings Lullabys of Birdland, seguidos em 1955 por This Is Chris, com o quinteto do pianista Ralph Sharon, em que alinhavam Herbie Mann (flauta), Joe Puma (guitarra), Milt Hinton (contrabaixo) e Osie Johnson (bateria). Como tem sido frequente na interpretação de “I Concentrate on You”, o swing dá lugar a um balanço latino.

4. Ella Fitzgerald

Ano: 1956
Álbum: Ella Fitzgerald Sings the Cole Porter Song Book (Verve)

Este foi o álbum que inaugurou a histórica série de “Song Books” de Ella para a Verve e foi também o primeiro disco editado pela Verve – a editora que Norman Granz criou para suceder à Clef e à Norgran. O duplo álbum teve arranjos e direcção de Buddy Bregman.

Publicidade

5. Art Farmer & Quincy Jones

Ano: 1957
Álbum: Last Night When We Were Young (ABC-Paramount)

O trompetista Art Farmer (1928-1999) estreou-se a gravar como sideman em 1948 e como líder em 1953, num septeto com arranjos de um muito jovem Quincy Jones. Quatro anos depois, Farmer voltaria a aliar-se a Quincy Jones, desta feita à frente de uma orquestra de cordas e com a secção rítmica a ser assegurada por Hank Jones (piano), Barry Galbraith (guitarra), Addison Farmer (contrabaixo) e Osie Johnson (bateria).

6. Jeri Southern

Ano: 1959
Álbum: Jeri Southern Meets Cole Porter (Capitol)

A discografia da cantora Jeri Southern (1926-1991) concentrou-se entre 1954 e 1960, com uma dúzia de álbuns para a Decca e para a Capitol. Esta colecção de canções de Cole Porter foi o penúltimo álbum de Southern e teve arranjos de Billy May.

Publicidade

7. Oscar Peterson

Ano: 1959
Álbum: Oscar Peterson Plays Cole Porter (Verve)

Oscar Peterson gravou dois álbuns em trio com o título Oscar Peterson Plays Cole Porter: um em 1951, para a Mercury, com Barney Kessel (guitarra) e Ray Brown (contrabaixo); outro em 1959, para a Verve, com Ray Brown (contrabaixo) e Ed Thigpen (bateria). Este “I Concentrate on You” sereno e depurado (ao arrepio do que era usual no irrequieto pianista canadiano) provém do segundo.

8. Stan Kenton

Ano: 1959
Álbum: Live from Las Vegas Tropicana (Capitol)

Neste registo ao vivo no Blue Room do Tropicana Hotel em Las Vegas, a 2 de Fevereiro de 1959, a sugestão tropical contida no nome do hotel parece ter contaminado “I Concentrate on You”, que ganhou um groove latino vivo.

Publicidade

9. Kai Winding & J.J. Johnson

Ano: 1961
Álbum: The Great Kai & J.J. (Impulse!)

Kai Winding (1922-1983) e J.J. Johnson (1924-2001) estão entre os mais notáveis trombonistas dos anos 50/60 e assinaram um total de 14 álbuns em parceria entre 1953 e 1969, com títulos que propiciam confusões, como Jay & Kai (1952-56, Savoy), K + J.J. (1955, Bethlehem), Jay and Kai + 6 (1956, Columbia), Jay and Kai (1956, Columbia) e este The Great Kai & J.J., que contou com uma rara aparição do pianista Bill Evans como sideman, complementado, em “I Concentrate on You”, por Paul Chambers (contrabaixo) e Roy Haynes (bateria).

10. Julian “Cannonball” Adderley

Ano: 1966
Álbum: Great Love Themes: The “Cannonball” Adderley Quintet with Strings (Capitol)

O quinteto do saxofonista Julian “Cannonball” Adderley, com o seu irmão Nat (corneta), Joe Zawinul (piano), Herbie Lewis (contrabaixo) e Roy McCurdy (bateria), surge envolto em arranjos de cordas da autoria de Ray Ellis, que, em “I Concentrate on You”, ganham atmosfera onírica e exótica, reforçada pelo ritmo latino.

Mais versões

Thelonious Monk
@William P. Gottlieb

Dez versões clássicas de “‘Round Midnight”

Música Jazz

Sendo o jazz uma música eminentemente nocturna, não é de admirar que“‘Round Midnight” se tenha tornado numa das suas composições mais populares, sendo alvo de mais um milhar de versões. Estas dez são imprescindíveis.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade