A Time Out na sua caixa de entrada

bandas filarmónicas na av liberdade
© José Frade

37 bandas filarmónicas cortam o trânsito à Avenida da Liberdade

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Começa a ser uma tradição. Bandas Filarmónicas voltam a desfilar entre a Estátua dos Combatentes da Grande Guerra e o Monumento aos Restauradores.

São cerca de 1600 músicos de 37 bandas filarmónicas e agrupamentos de todo o país, e descem a Avenida da Liberdade para homenagear esta prática musical. É o Desfile de Bandas Filarmónica, que acontece neste domingo e está tornar-se programa obrigatório nas comemorações da Restauração em Lisboa.

O desfile parte da Estátua dos Combatentes da Grande Guerra e termina em apoteose nos Restauradores com a versão integral de A Portuguesa, do Hino da Maria da Fonte e do Hino da Restauração tocados pelas bandas participantes e cantada pelo Coro do Orfeão de Castelo Branco e dirigidos pelo maestro da Banda Sinfónica do Exército, o major Alexandre Coelho.

O desfile começa às 15.00 com o Grupo de Bombos de Atei (de Vila Real) e com a Banda Sinfónica do Exército. A banda anfitriã, de Lisboa, vem da Sociedade Filarmónica União e Capricho Olivalense, colectividade mais antiga da Freguesia dos Olivais com 132. Será liderada pelo maestro Luís Filipe Henriques Ferreira e é composta por 68 executantes com idades entre os 14 e os 56 anos.

A oitava edição do Desfile de Bandas Filarmónicas – dedicada a todos os músicos que mantêm viva uma história de mais de 200 anos, e que constitui um importante papel na formação cívica e musical de crianças e jovens – é uma iniciativa da autarquia, da EGEAC e do Movimento 1.º de Dezembro. 

Avenida da Liberdade. Dom 15.00-17.00. Entrada livre.

+ Marvila vai andar dois dias de copo na mão

+ Campo de Ourique popular: Toy canta os parabéns ao mercado

Últimas notícias

    Publicidade